Mãe de dois, na vida real

Categorias: Depoimentos Mães
mae de dois vida realJá se passaram dois meses de quando eu escrevi sobre o que era ser mãe de dois. Sempre que me lembro deste post tenho vontade de rir de mim mesma. Agora que minha mãe já foi embora há mais de um mês e eu tirei o óculos cor de rosa, posso contar como é ter dois filhos tão pequenos na vida real.
Como já disse diversas vezes, o Pedro só tem tamanho, ainda é um bebê e exige muita atenção e cuidados. Além do ciúmes absurdo que tem da irmã, está naquela fase das birras. Tem dias que ele está melhor e outros nem tanto.
Pois bem, Pedro que dormia a noite inteira, desde que a irmã chegou, passou a acordar algumas vezes e nem sempre volta a dormir rapidamente. Fico feito barata tonta tentando convence-lo a voltar pro berço ou pedindo pro marido cuidar dele enquanto eu amamento a Olivia. Geralmente acordo exausta e desesperada por mais duas horas de sono, mas raramente consigo.
Pela manhã quando fico sozinha com os dois é tranquilo, Pedro geralmente brinca na sala ou no quarto dele, Olivia toma banho, mama bastante e dorme por 2 ou 3 horas seguidas. A hora do almoço é sempre um corre corre, porque o Pedro sente falta da soneca da tarde então coloca-lo no banho e faze-lo almoçar é quase um milagre. Depois que põe o uniforme fica plantado na porta querendo sair logo pra escola, então tenho que vesti-lo quando está quase na hora de descer. Geralmente nesta hora a Olivia acorda desesperada querendo mamar e eu cuido dela, enquanto a babá leva ele até a van escolar lá na portaria.

Aquela soneca boa da tarde deixou de existir assim que minha mãe foi embora. Preciso correr pra organizar as contas, ler emails, ir ao mercado, farmácia ou qualquer outro lugar no horário em que o Pedro está na escola, porque com dois é praticamente impossível sair sozinha, pelo menos eu não consigo.

Pedro chega as 18h da escola, com fome, cansado, manhoso e querendo atenção. Olivia que é super tranquila, neste horário quer colo e mamar o tempo todo. Dependendo do dia preciso escolher qual choro escutar, o dela ou o dele, porque em algum momento preciso esquentar a comida dele, dar banho, dar um pouco de atenção e depois coloca-lo pra dormir. Raros os dias em que ele quer brincar sozinho e não se importa se a Olivia está no meu colo ou não, nestes aproveito para faze-la dormir e corro cuidar dele. Se ela está dormindo quando ele chega, o que é raro, a noite fica bem mais tranquila, consigo cuidar dele e dar toda atenção que ele precisa. O fim do dia é o período mais dificil para cuidar dos dois, a babá já foi e o marido não está em casa. Já tive vontade de chorar diversas vezes por não me achar capaz de cuidar sozinha de duas crianças, mas depois o desespero passa e tudo se ajeita.
Eu sabia que seria corrido e cansativo, mas tem dias que é desesperador. Admiro as mães que com dois ou três ainda cuidam da casa sem ajuda de ninguém, lavam, passam e cozinham. Aqui por sorte, além da babá que cuida também da casa, tenho um marido extremamente organizado, participativo nas tarefas de casa e super presente na vida dos filhos. Ainda tenho a sorte dele me deixar dormir até mais tarde no sábado. Ele cuidas das crianças e eu desmaio por duas ou três horas até que a pequena precise mamar novamente.
Tem dias que temo não dar conta, tem dias que mal durmo, tem dias que mal como ou tomo água, tem dias que chega a noite e eu ainda estou de pijama e mesmo assim, to adorando ser mãe de dois.

15 comentários

  1. Avatar

    Realmente não é fácil ser mãe de dois. Estou desbravando este Horizonte fazem 5 meses e participo com você sobre os momentos de total incapacidade… Glória a Deus pela Graça que nos sustenta.

    1. Avatar
      admin respondeu: em 25.03.2015

      Não amamos menos nossos filhos, mas como todo ser humano, tbm precisamos descansar, o corpo e a cabeça! bjs

  2. Avatar
    Beatriz Borges disse: em 25.03.2015

    Gabi, eu sou mãe de uma. Então não tenho muito know-how para comparar, mas partilho de um sentimento que acredito que é único, independente da quantidade de filhos, o quanto nos sentimos frustradas por não sermos mamães polvos, capazes de se multiplicar e dar conta de absolutamente tudo. Quando a Melissa era pequena, fiquei um tempo com minha mãe, mas depois mudei pra cidade onde meu marido nasceu e me vi completamente só. Nunca tive ninguém pra ajudar, tinha dias, que eu achava q não ia suportar, que eu ia surtar. Eu chorava no banho, pra esconder as lágrimas até das paredes de casa, envergonhada por não conseguir sustentar tudo. Minha vontade era largar tudo e ir embora. Minha casa era enorme, neste época eu estava com 2 gatos que demandavam limpeza diária dos quintais, tinha q cozinhar, passar, cuidar da Melissa… Meu marido ajudava sim, mas tinha dias que ele ainda ia pra faculdade e eu ficava completamente só. Foi punk mas compensa muito, a gente fraqueja, mas o sorriso do filho te dá a certeza q vc é capaz de fazer tudo de novo. Engraçado, um nunca tinha contado antes esta passagem da minha vida, assim alto, pra td mundo escutar (ler). Foi bom poder exorcizar a vergonha q eu sentia, pq eu me via menos mãe ao me sentir daquele jeito. Obrigada Gabi. Força querida.

    1. Avatar
      admin respondeu: em 25.03.2015

      Que bom saber que não estou só e que não sou a única a me sentir cansada, desesperada e as vezes até desiludida! Vamos que vamos, a vida continua 🙂

  3. Avatar
    amanda rodrigues disse: em 25.03.2015

    Sou mãe de dois comigo é mesma coisa a diferença e que não tenho babá tem aqueles dias que também sinto vontade de chorar mais quando vejo eles dormindo tão relaxados ou sorrindo tudo passa e aquela sensação de imensa felicidade me preenche e todo aquele cansaço se compensa.

    1. Avatar
      admin respondeu: em 25.03.2015

      Vê-los bem e dormindo tranquilos compensa qualquer momento de desespero né? bjs

  4. Avatar
    Michele Kaiser disse: em 14.09.2015

    Gabi, ser mãe de dois assim sozinha para cuidar não é fácil mesmo. A madrugada insone nos consome! Sobreviver ao dia é mais fácil, né? Falou uma mãe de quatro… Um beijo!

  5. Avatar
    Flavia disse: em 14.09.2015

    Eu ri do “tirei o óculos cor de rosa”. Quando Victor nasceu Sophia tinha exatamente 1 ano e 9 meses. Ou seja: literalmente dois bebês dentro de casa. Eu não tive ninguém comigo, marido saia cedo pro trabalho e ficava eu e bebês o dia todo. Não tive babá nem empregada e saia com eles para o banho de sol, para a praça, farmácia, padaria… Alem do Victor acordar q cada 2h para mamar Sophia sofria de terror noturno. Consigo contar nos dedos as noites que dormimos acordando só 3 ou 4 vezes…

    Tinha dia que era difícil demais: nós três chorando! Eu sentia sono, cansaço, desespero…

    Hoje Soft tem 5 anos e Victor tem 3. Sobrevivemos, deu tudo certo!

    Aos poucos as coisas se ajeitam! E ser mãe de dois é lindo!

    1. Avatar
      Gabriela Gama respondeu: em 14.09.2015

      Flavia, juro que vou ficar mais animada depois do seu depoimento rsrsrs

      beijinhos!

  6. Avatar
    Camila disse: em 15.09.2015

    Eu li esse post qndk VC postou, em março, a minha menina Manuela nasceu no dia 13 ainda não tinha nem 15 dias, a rotina aqui em casa tava uma loucura, Gabriel q tbm eh de março do dia 4 tinha acabado de completar 2aninhos. A chegada da Manu foi mto esperada por ele, e vou dizer q a reação dele foi a melhor desde q ela chegou até hje , q ela já completa 6 meses.
    Sim tem momentos que ele não qr saber da irmã, tem momentos que ele qr q eu tirw ela do meu colo pq ele qr o colo da mamãe, e como VC disse o Gabriel ainda eh o meu bebê.
    Fiquei sim c mto medo do ciúmes, acompanhava seu blog antes da Olivia nascer até hje.
    O começo foi mto difícil, não podia pega lo no colo por conta da cesária, mãe , sogra tudo na minha casa, mãe eh ótimo, sogra tbm, mas as duas juntas, acabavam me deixando extremamente irritada o q não era bom.
    Hoje a Manu c 6 meses e ele c 2e meio , sinto tudo isso q VC disse, cansaço, vontade de chorar muitas vezes.
    Mas qndo olho os dois , ali cmgo, ele me chamando de mamãe, me beijando, falando mamãe te amo, e ela c aquele sorriso qndo me vê, não mudaria absolutamente nada Gabi, são a minha vida. Lógico tem momentos que deixo os dois c o pai e corro p o quarto, fecho a porta e fico lá “tranqüila” pq nem sempre eles deixam neh.
    Nesses 6 meses mudei de casa, a Manu eh APLV , o Gabriel a GNT briga pq não come e juro não sei mais o q fazer p ele comer.
    Mas apesar de mtas vezes achar q não vou dar conta e qrer sumir, mas já pensandl em voltar kk, faria tudo denovo

    E sei q VC tbm
    Obrigada por todos os post. Me ajuda mto.

    Beijos

    1. Avatar
      Gabriela Gama respondeu: em 15.09.2015

      Que bom Cá!
      A maternidade é uma loucura hahahaha

  7. Avatar
    Júlia disse: em 22.09.2015

    Sou mãe de 3, uma menina de 9 anos, e dois meninos um de 5 anos e um de 18 meses, e não tenho ajuda de ninguém durante o dia, levar/buscar em escola, atividades extra, casa, ,roupas, mercado, pediatra, banco… e tudo mais sou eu e normalmente duas crianças ou as 3, é cansativo, meu marido chega perto das 20h e antes das 7h da manhã sai, então tem dias que dá vontade de sentar e chorar, mas passa pois eles precisam de mim, então tenho que ter forças para encarar, mas que nada é muito recompensador

  8. Avatar
    vanessa disse: em 01.10.2015

    Nossa realmente a vida que nos adapta pois eu tbm dois um bebê de seis meses e uma menina de 4 anos e aqui em casa sou Eu pra tudo e sozinha não tenho ajuda nenhuma isso de segunda a segunda e detalhe trabalho fora ainda é chegar do serviço arrumar um pouco da casa fazer comida dar banho dar comida e por pra dormir td o mais rapido possivel pra por eles na cama cedo ja q acoramos cedo eu as 5 30 eles as 6:00 e ai ja começa a correria arrumar os dois lancheiras e levar ate a escola e depois no fim da tarde busca los fim de semana é correr cm roupas pra lavar passar e casa pra limpar limpar td isso uffaa …..só Deus ele mama mt no peito acorda varias vezes na madrugada mas no fim da noite qnd os vejo dormindo dou graças a Deus por me dar capacidade não é facil ser mãe e pai mulher e homem td de uma vez só mas o amor por eles é td de bom ….Certeza Deus nos capacita todas nois somos capazes.

  9. Avatar
    Marcia Melo disse: em 03.10.2015

    É bem isso mesmo, sou mãe de dois e é a maior correria, ainda tenho que dar conta das demais coisas da casa como arrumar, passar, lavar, cozinha e por ai vai, pois não tenho quem me ajude, no entanto é gratificante chegar no final e ver q consegui.

  10. Avatar
    Jéssica disse: em 03.10.2015

    Olá,realmente ser mãe de dois não é fácil tenho uma menina de 3 anos e um menino de 2 anos. Já passei por muitas dificuldades ainda mais que trabalho fora o dia todo de segunda a sexta e tenho todos os serviços de casa pra fazer. Minha sorte é que meu marido é maravilhoso trabalha fora tambem mais me ajuda em tuuuuudo. Só quem passa por isso que sabe quando o cansaço toma conta e eles estão ali totalmente dependente de você, as vezes me sinto triste de querer que eles vivam na mesma rotina que a minha sendo que eu que teria que mudar a minha por eles. Mais o mas importante é que eles são os amores e a razão da minha vida. Te amo filhos

Deixe seu comentário