Sobre extração de leite materno

Categorias: Aleitamento Materno Alimentação
Tive muita dificuldade para amamentar o Pedro, embora tenha conseguido aos trancos e barrancos que ele mamasse até os dez meses e meio. Por isso nunca pensei que pudesse considerar importante um post sobre bomba para extração de leite, mas venho tendo uma experiência muito boa em amamentar a Olivia e gostaria de compartilhar alguns aprendizados.
Com o Pedro, depois de algum tempo, consegui tirar leite para que ele não tomasse fórmula enquanto eu estivesse no trabalho. Nesta época eu almoçava em casa e conseguia amamentar 4x ao dia quase sempre. Agora com dois pequenos em casa e tendo alguns compromissos, optei por deixar um pouco de leite armazenado para poder deixar a Olivia em casa caso precise sair por mais tempo ou tenha alguma emergência.
Eu não tenho leite de sobra, nem acho fácil tirar leite e pra mim, o tipo de bomba fez muita diferença. A primeira experiência foi com o Pedro, aluguei uma bomba e logo depois uma amiga me emprestou uma igual a alugada por tempo indeterminado. Era a Medela Elétrica Mini. Agora com a Olivia, outra amiga me indicou uma deste modelo e eu acabei decidindo comprar uma bomba. Optei por um modelo superior, Medela Swing e senti muita diferença.
Eu nunca tive uma quantidade enorme de leite e para conseguir tirar uma quantidade bacana, decidi criar uma rotina para que não atrapalhe as mamadas seguintes.
• Tiro leite, somente à noite, depois que as crianças dormem e sei que não vou amamentar logo na sequencia.
• Começo extraindo leite do peito que a Olivia mamou por último, a sucção do bebê é o melhor estímulo e conforme extraio de um, o outro começa a encher.
• Nunca esvazio totalmente o peito, parece que quando deixo um pouco de leite, ele enche mais rápido.
• Limito o tempo da extração em 15 minutos por peito, não fica cansativo e não machuca o bico do peito.
• Não fico olhando a quantidade de leite estou extraindo, o que sair saiu. Guardo o que der e assim por diante. Em algumas situações consegui estrair 150 ml em poucos minutos e em outras, apenas 40 ml. O segredo é não se desesperar e lembre-se que o bebê suga muito melhor do que qualquer bomba. Temos muito mais leite do que o que conseguimos extrair.
Sobre o modelo de bomba que escolhi, queria ressaltar algumas coisas bacanas e que fizeram a diferença aqui.
A sucção é “delicada”e não machuca o peito. Ao ligar a bomba a sucção estimula o peito facilitando a extração. A forma com que suga, parece de fato estimular a produção de leite, ao contrário do modelo mais simples que parecia funcionar apenas quando tinha leite sobrando, e ainda assim havia uma dificuldade enorme para o peito voltar a encher.
Esse modelo é muito mais silencioso e acabo usando enquanto vejo TV sem me incomodar com o barulho.
É bivolt e como onde minha mãe mora, a voltagem é 220v, vai ser muito mais prático do que ficar procurando um transformador.
Medela Swing – Usando e amando
Medela Mini – Usei mas tive algumas dificuldades

Deixe seu comentário