Terceiro trimestre de gestação e um bebê em casa!

Categorias: Depoimentos Mães
Postei ontem sobre a preparação para a chegada do segundo filho, mas não contei como está a minha vida com um bebe de 1 ano e 10 meses em casa e quase 30 semanas de gestação.
Para quem não me conhece, tenho 2 cirurgias grandes de coluna com 4 parafusos na lombar e mais 4 na cervical. Na primeira gestação, mesmo trabalhando a 25 km de casa e enfrentando o atraso da entrega do meu apartamento por mais de um ano, eu me sentia muito mais disposta e conseguia ter tempo pra quase tudo.
Logo que o Pedro nasceu, mudamos de apartamento e minha vida ficou mais tranquila e com muito menos transito, saímos do miolo de Vila Mariana em SP para morar em frente a um parque em Barueri, cidade da Grande SP. Deixei de percorrer grandes distancias para ter tudo ao lado de casa. Isso ajudou muito na volta da licença maternidade do Pedro já que eu consegui almoçar em casa e passar um bom tempo com ele antes de ir ao trabalho.
A vida parecia transcorrer de forma mais tranquila quando a babá e os netos vieram morar pertinho da nossa casa e eu engravidei da Olivia, foi tudo no mesmo mês. Para quem nos acompanha, sabe que os pequenos Nicolas de 6 anos e a Geovana de 2 e meio ficam na minha casa durante o dia. Bom é que o Pedro ganhou companhia para brincar e aprender a dividir o tempo e os brinquedos. Mais gente, mais crianças, mais idas ao mercado, mais idas ao pediatra, mais preocupações e menos horas de sono.

2014 tem sido um ano muito bom, em todos os sentidos, mas também tem sido o mais corrido de todos. Difícil o dia em que eu não tenha algo a fazer, um médico pra ir ou uma passada rápida no mercado com aquela lista imensa de coisas. Já perdi as contas de quantas xícaras de arroz, açúcar e sal já peguei na casa da babá por nào ter tempo de ir ao mercado. O dia tem voado e quando vejo, lá estou em na cama tentando descansar um pouco.

Nesta gestação tive a sorte de não enfrentar o calor horrível como em 2012 e tenho conseguido controlar minha pressão e o inchaço de maneira bem mais eficiente, mas o cansaço não acaba nunca. Durmo e acordo com a sensação de que não consegui descansar quase nada e pra ajudar o Pedro deixou de acordar as 9h para acordar as 7:30 todos os dias.
1 ano e 10 meses. Esta é a idade do Pedro, um bebê completamente dependente da mãe que ama sentar no chão pra brincar, que adora jogar bola e quer um colinho antes de dormir. A mamãe aqui tá fazendo um esforço danado pra sentar no chão, pra dar colo e tentar acompanhar o ritmo dele, mas tem dias que vou pra cama me arrastando. Admiro as mães que tem 3 ou 4 filhos e sequer tem uma ajuda em casa.
Algumas coisinhas que tem me ajudado bastante no dia a dia: chegar em casa o Pedro já estar de banho tomado, jantado e de pijama. Fico com a troca da fralda noturna e a última mamadeira, além de 2 horas inteiras para brincar com ele e assistir a Peppa. Nos fins de semana quem assume as fraldas, colo, corre corre com a bola e o senta levanta pra brincar é o papai. Aproveito esse tempo para cuidar de mim, resolver o que não consegui durante a semana e descansar quando sobra tempo.
Dizem que gravidez de menina consome muito a mãe, mas na verdade a gravidez enquanto ainda temos um bebê em casa é bastante exaustiva. Não podemos fazer nossos horários, não podemos ficar de preguiça na cama no sábado e nem ficar uma meia horinha sentada na frente da TV vendo um jornal de pernas pro ar. É preciso organizar o tempo, as funções e a casa em função da rotina do filho e das necessidades da mãe.
Mãe de dois, mãe cansada, mãe sem tempo, mãe feliz e realizada pelo privilégio de ter um casal para amar e ser amada. Família de Deus me deu e sou muito grata por ela!

Deixe seu comentário