Quando meu filho precisa de mim

Categorias: Cuidados/Saúde Filhos

meu filho precisa de mimQuem não gosta de um carinho, colo e cafuné? Nada mais gostoso do que um cantinho aconchegante para descansar e recarregar as baterias. Com as crianças não é diferente, ou melhor, essa necessidade de cuidados e afagos é muito mais intensa. As crianças dificilmente consegue dosar as coisas, desde o choro, a manha, o colo e tudo mais. Nós adultos ficamos com a parte chata do “não”o tempo todo. Tenho certeza de que o não é necessário, assim como o colo também é.

Comentei em outro post, que o amor de um bebê pelos seus pais, não nasce com ele, este sentimento se transforma, ao meu ver começa na dependência plena, na necessidade de segurança, até de fato virar amor.
Nos primeiros meses de vida do bebê, tendemos a estar mais disponíveis e tentar suprir todas as suas necessidades, mas a medida em que eles vão crescendo, devemos começar a deixa-los mais soltos a fim de conquistar sua independência, despertar a curiosidade em descobrir o mundo, mesmo que o mundo seja um pequeno tapete de atividades e a independência seja engatinhar pela casa. Antes mesmo de casar, ouvi um psicoterapeuta familiar que disse que os filhos precisam de ninho e de asa. O ninho é o porto seguro pra onde sempre voltam quando precisam de segurança e as asas é para que voem e desbravem o mundo, ambos precisam estar equilibrados.
Na primeira infância acho que os filhos precisam apenas de ninho, aconchego, afago e colo, pequenas doses de carinho e amor são capazes de fazer com que eles cresçam mais seguros e felizes.
A necessidade de atenção e cuidados dobra quando temos um pequenino ainda indefeso doente. Parece que eles ficam automaticamente mais carentes e dependentes de nós. Estou passando por esta experiência há 13 dias. Desde então não sei o que é tomar banho sozinha, comer algo em pé na cozinha ou tentar ver o Jornal Nacional. Cada segundo do meu tempo é dele, cada brincadeira e exploração da casa precisa ser comigo junto, sem falar nas 13 noites mega mal dormidas.
Desde que o Pedro apresentou sinais de gripe há alguns dias ele vem acordando demais à noite e exigindo mais colo, desisti de levantar 15 vezes por noite e comecei a traze-lo pra minha cama. Nos primeiros dias quase não dormi ao ouvi-lo respirar com dificuldade, mas a medida que ele foi melhorando eu fui descansando um pouco mais. Depois de tantos dias dormindo grudado feito perereca, parece que voltar a dormir no berço será uma missão bastante difícil. Estou tentando há 4 dias sem muito sucesso. Todas as vezes que ele acorda, e não são poucas, vou até o quarto, pego ele no colo, dou a chupeta e devolvo ele pro berço já dormindo. Chego no meu quarto quando avisto a cama, ouço ele resmungar novamente, e assim vai. Todos dias em que estou em casa a tarde deito grudadinha com ele pra tirar uma soneca, afinal nada como um bom sono pra ajudar na recuperação. Eu tenho estado mais disposta e ele também. Tanto que não dorme durante a noite há 2 dias. Que sufoco, horas tentando faze-lo dormir, tentando faze-lo ficar quietinho no berço ou na minha cama sem muito sucesso.
Esta noite foi o meu limite, foram 4 horas acordada ouvindo choro e manha até que ele pegou no sono pra lá de 6h da manhã, estou só o pó o dia inteiro, mas mesmo cansada tentei supri-lo com muito carinho e colo, afinal é disso que eles mais precisam.
Existe um ditado que fala que ser mãe é padecer no paraíso e acho que é bem isso mesmo. Cansada, exausta ou com sono, estamos sempre lá prontas pra dar amor, carinho e um colo bem aconchegante. Tenho certeza que mesmo cansado e irritado pela gripe, o Pedro é um menino feliz com todo este amor que o cerca.
Espero ter esta mesma disposição por todos os anos que forem necessários.

Deixe seu comentário