Bebê no espelho

Categorias: Desenvolvimento Filhos
Pedro brincando
com o amigo do espelho
Recebo até hoje emails quase semanais do site Baby Center, adoro todos os artigos porque ajudam a entender algumas fases do bebê. Hoje cedo estava me lembrando do artigo que relatava a interação do bebê com o espelho, e o curioso fato deles não saberem que a imagem refletida é a sua própria imagem. Segundo algumas pesquisas, os bebês começam a se reconhecer apenas após 1 ano e 3 meses de idade, até lá, interagem como se estivessem brincando com outra criança.
A medida que o tempo vai passando, percebemos claramente os avanços dos nosso pequenos, seja na interação com os pais, seja com pessoas desconhecidas. Aqui nunca tivemos a fase do estranhamento, Pedro não costuma chorar ao olhar pra alguém, mas é melhor não cantar vitória porque a fase ainda pode chegar. Dizem que é um período um tanto difícil, pois o bebê só quer a mãe e quando muito, aceita o colo do pai.
Pedro começou a tentar virar sozinho no sofá e ensaiar engatinhar para tentar pegar os gatos. Sempre que o Paçoca ou a Domitila estavam por perto, a euforia tomava conta dele. Era um tal de puxa o rabo, puxa o pelo, dá gritinhos. Bem, os gatos que sempre foram extremamente dóceis, embora incomodados com os tufos de pelo faltando pelo corpo, nunca reagiram as brincadeiras do Pedro, no máximo deitavam do outro lado do sofá. Agora que o Pedro engatinha, a brincadeira fica mais interessante, ele sai disparado assim que um dos gatos passa na frente dele. É sempre um momento divertido, para o Pedro e para os gatos.
Agora que o Pedro engatinha muito bem, além dos gatos ele tem brincado muito com o amiguinho, na verdade o seu reflexo de bebê no espelho. Assim que o vê, corre em sua direção para tentar abraçá-lo e beijá-lo. Aqui em casa temos alguns espelhos que vão até o chão e claro que até meio metro de altura, eles vivem cheios de mãozinhas, saliva e marcas de nariz, pois o beijo precisa ser de verdade, com direito a lambidas e tudo. Essa interação começou quando ele passou pela fase da angústia e separação, onde só comia de frente pro espelho. Colocávamos ele na cadeirinha e ele só abria a boca se ela estivesse virada pro espelho. Vai ver por isso ele nunca emagrece em fase alguma, seja ela fácil ou difícil.
A interação com o amigo do espelho vem mudando a cada dia, especificamente nos últimos dias em que ele está doentinho, a ida até o espelho não é mais apenas para brincar, mas também para brigar e reclamar, como se algo não estivesse bem. Fato curioso este, que me faz pensar na hipótese de que a comunicação com outra criança é mais interessante do que conosco. Afinal, crianças são sempre mais divertidas!

Deixe seu comentário