Semana mundial do aleitamento materno – Refluxo e hiperlactação

Categorias: Aleitamento Materno Alimentação
Como já comentei em outro post, tive inúmeros problemas para amamentar o Pedro, foram dias, semanas, meses muito difíceis, obstáculos vencidos a cada dia. Dentre essas tantas dificuldades, posso dizer que tive a sorte de não conviver diariamente com o refluxo, um pesadelo na vida de algumas mães. Tenho lido cada dia mais dúvidas, desabafos e pedidos de socorro sobre este tema, e lembrei da pequena Maya. Maya é filha da Kely, amiga e vizinha que viveu por bastante tempo o drama do refluxo. Convidei-a para escrever sobre sua experiência aqui no blog.

 

Refluxo e hiperlactação.

Sou mãe da Maya, hoje com 4 meses e meio. A Maya é uma bebê feliz, grande e gordinha, mas sofremos muito com refluxo desde o início. Até completar um mês ela chorava dia e noite, vomitava muito e não dormia. Quando não estava chorando, estava no peito mamando.  Exausta era a palavra que me definia.Apesar de ter muito leite, de tanto ela mamar a produção diminuiu e comecei a achar que não era suficiente, que não a sustentava. Coisas de mãe de primeira viagem. A Gabi (mais conhecida como a mãe do Pedro), muito solidária, me levou à uma reunião do grupo de amamentação. Voltei muito mais confiante de que não havia nada de errado com meu leite, e com diversas dicas para não desistir de amamentar.Mas a Maya continuava chorando e vomitando muito. Foi quando a pediatra  diagnosticou o refluxo. O choro era de dor, de azia causada pelo leite que voltava, e ela queria mamar a toda hora pois a sucçāo acalmava a queimação. Saí de lá com a receita do  “kit refluxo” – motilium e label – e logo que a Maya tomou os remédios foi um alívio, dormiu 6 horas seguidas.  Com os remédios ela parou de chorar e espaçou as mamadas. Assim meu peito voltou a encher como era antes, o leite jorrava, eu tinha que bombear senão empedrava e me dava febre. Foi aí que recomeçou  o problema… Mesmo com os remédios, a Maya voltou a vomitar durante as mamadas, engasgava a todo momento, e lutava com o peito. Voltamos à pediatra, que suspeitou de intolerância à lactose. Passei a fazer dieta de restrição de leite, o que também não resolveu pois os sintomas continuavam. A pediatra já estava sofrendo junto comigo e fez mais uma tentativa: leite de fórmula Aptamil AR (anti-regurgitação) , intercalando as mamadas de peito e mamadeira. Alívio parcial! A Maya continuou a vomitar só enquanto mamava no peito. Já não sabia mais o que fazer. Estava prestes a desistir da amamentação aos 3 meses, quando liguei  para a pediatra e ela me disse para esvaziar o peito antes de amamentar. Pra mim aquilo não fazia sentido, esvaziar o peito?! Comecei a pesquisar na internet e foi aí que li sobre hiperlactação. Todos os sintomas batiam. Meu problema, ao contrário de muitas mães, era excesso de leite, e isso era o que causava tanto desconforto gástrico na minha pequena.   E o pior é que eu estimulava ainda mais a produção, agravando a situação. Por isso a pediatra pediu para esvaziar o peito. Segui as dicas para regular o volume de leite, e agora a Maya mama no peito a primeira e a última mamada do dia, continuando com Aptamil AR nas outras mamadas. Já não vomita mais nem chora. Aos poucos estou conseguindo diminuir os remédios e a Maya passou a dormir muito melhor. Meu peito está aparentemente vazio, mas tem leite suficiente para ela, que mama feliz. Eu também estou feliz por ter descoberto o problema e não ter desistido da amamentação. Hoje divido minha experiência com outras mães, pois quase ninguém sabe que excesso de leite também é um problema.Para quem quiser saber mais, segue artigo que encontrei sobre hirperlactaçao:”Às vezes uma mãe produz mais leite do que o bebê precisa, e isso pode tornar as mamadas estressantes e desconfortáveis para o bebê e a mãe. A maioria dos bebês de mães que têm leite em excesso ganham peso mais rápido que o normal.Quando uma mãe produz mais leite que o necessário podemos observar alguns dos seguintes comportamentos do bebê:• Bebê chora muito e geralmente é irritadiço ou inquieto;• Às vezes, o bebê pode sufocar, se asfixiar, cuspir ou tossir durante a mamada;• O bebê parece querer morder ou pendurar-se no bico do peito durante a mamada;• O leite jorra quando o bebê larga o peito. Especialmente no começo da mamada;• A mãe pode ter o bico do peito dolorido;• O bebê pode se contorcer e às vezes gritar;• A mamada parece uma batalha, o bebê pega e larga o peito o tempo todo;• As mamadas podem ter uma duração curta às vezes de 5 ou 10 minutos no total;• O bebê parece ter uma relação de amor/ódio com o peito;• O bebê pode arrotar ou ter gases com freqüência entre as mamadas com tendência a regurgitar com freqüência;• O bebê pode ter as fezes verdes, moles ou espumosas;• O peito da mãe está cheio a maior parte do tempo;• A mãe pode ter freqüentemente os canais obstruídos, que pode se transformar em mastite.Estratégias para reduzir a força do reflexo de ejeção:Quando uma mãe produz um grande volume de leite, o reflexo de ejeção pode ser forte. Todo este leite saindo ao mesmo tempo pode ser mais do que um bebê pode engolir. É como se tentar beber água em posição deitada com uma mangueira aberta a fundo.Existem algumas estratégias que podem ajudar a controlar um reflexo de ejeção muito forte sem aumentar a produção de leite:1. Aleitar em um só peito de cada mamada, continuando a oferecer o mesmo lado por pelo menos 2 horas até a próxima mamada completa. * Gradualmente aumentar o período de 2 horas em um só peito se necessário2. Se o outro peito estiver insuportavelmente cheio antes de chegar a hora de trocar de lado, tirar um pouco de leite para aliviar a pressão.3. Coloque compressas frias para aliviar o desconforto.4. Dê de mamar antes que ele esteja afamado para evitar que sugue com força.5. Tente outras posições de aleitamento :• recostada• deitada de lado6. Use a posição de tesoura com a ponta do peito entre o polegar e o dedo médio pode ajudar a moderar a força de saída do leite.7. Se o bebê cuspir ou engasgar tire-o do peito deixe o excesso de leite cair em uma toalha e recoloque-o no mesmo peito uma vez que o fluxo diminuir.8. Deixar o bebe ir e vir ao peito de acordo com a vontade dele.9. Faça o bebê arrotar com freqüência se ele tem gases.10. Algumas ervas ou drogas podem ajudar a reduzir a produção de leite.”FONTE: GVA – Grupo Virtual de Amamentação/ORKUT

9 comentários

  1. Avatar
    Nathalie disse: em 07.08.2015

    Excelente matéria, parece que vcs estão descrevendo eu e minha filha que hj completou 45 dias e tem refluxo, irritação e é bem agitada.
    Preciso da indicação do pediatra da Maya,urgente! Poderiam me fazer essa gentileza?

    Obrigada!
    Mãe aflita…

    1. Gabriela Gama respondeu: em 10.08.2015

      Nathalie, a pediatra da Maya é a mesma dos meus filhos, chama-se Andrea Vaciloto e atende no Eisntein de Alphaville o telefone é 2151.6633

  2. Avatar
    Daniela disse: em 15.08.2015

    Temos exatamente TODAS essas características. Pronto! Descobri o motivo do refluxo da pequena. Aqui chega a sair leite pelo nariz!

  3. Avatar
    Mika disse: em 11.07.2016

    Agora entendi. Meu bb e eu estamos passando por isso, mas já comecei a pegar as dicas. Obrigada.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 11.07.2016

      Fico feliz que o post tenha lhe ajudado. Boa sorte pra vcs!

  4. Avatar
    Lilian disse: em 03.10.2016

    Nossa! Até parece que sou eu e meu bebe nesta história da Maya. Hoje estava desesperada, já não sabia mais o que fazer pois ele está com seis meses e meio e não quer largar o peito de jeito nenhum e eu também sinto muita dozinha em ter que tirar e continuo insistindo em dar peito, mesmo ele golfando muito o meu leite. Assim como a Maya tambem estou dando formula AR para ele e kit refluxo domperidona e ranitidine, ajudou um pouco pq ele não chora mais de dor, se golfa, continua mamando como se nada tivesse acontecendo, nao esta perdendo peso, porem, não está ganhando muito também, está na média. Mas o que mais fico triste se ele mama leite do meu peito ele golfa demais. Comprei uma fórmula sem lactose achando que poderia ser intolerância a lactose e piorou, ele vomitou tudo, mãe faz de tudo né!?. Então, estou nesta luta ainda com o refluxo e hoje não aguentava mais e pedi para Deus uma direção do que fazer, foi aí que pesquisando mais ainda do que já havia pesquisado e achei sobre esta questão de HIPERLACTACAO que nunca tinha visto falar algo sobre isto. Por que ninguém entendia e nem eu ainda entendo o por que do Matheus golfar tanto leite do meu seio e fórmula AR não tanto, sendo que fórmula é puro leite de vaca. Mas vou iniciar este teste hoje mesmo de tirar um pouco do leite do meu peito antes do Matheus mamar. Obrigada pela dica! ??

  5. Avatar
    Lia disse: em 15.08.2018

    Muito muito muito obrigada! Descobri nosso problema agora. Obrigada por postar

  6. Avatar
    Pricila disse: em 03.10.2018

    Estou vivendo este mesmo problema, choro angustiada minha bebê não mama direito; toda hora que o peito , não dorme direito e regugita demais, muito mesmo…. Essa hiperlactacao dura quanto tempo mesmo??? Estou quase desistindo de amamentar

    1. Gabriela Gama respondeu: em 03.10.2018

      Já pesou em procurar uma enfermeira ou um banco de leite pra te ajudar? O leite materno é o que há de melhor pro seu bebe!

Deixe seu comentário