Colo, ingrediente essencial na vida de um bebê!

Categorias: Comportamento Mães
Colo de mãeAcho que toda recém mãe quando cansada, esgotada e as vezes até aflita, acaba tendo a duvida mais do que cruel sobre o que fazer com o choro do bebe.
A pergunta mais frequente: Quando meu bebe chora muito, devo pegá-lo no colo e acalmá-lo ou deixá-lo chorando sozinho?
Para mim a resposta parece mais do que obvia, mas para muitas mães não é!

Pedro desde que nasceu foi um bebe bonzinho demais, chorava muito pouco, mamava bastante e estava sempre com semblante tranquilo. Nesta época ele ficava muito tempo no berço e não reclamava nunca. Passei alguns dias cuidando da interminável obra do meu apartamento novo, Pedro ficou bastante com minha mãe nestes primeiros dias. As vezes eu chegava em casa e ele estava dormindo, ganhava meu colinho só ao acordar. Me sinto péssima quando lembro disso, e tenho vergonha só de pensar que perdi dias importantes da vida do meu filho. É uma culpa que carregarei pra vida toda. Tirando este fato isolado, participo e estou sempre grudada no Pedro, procuro aproveitar tudo sempre!
Lá no comecinho, numa das consultas com a Pediatra, meu marido resolveu perguntar sobre colo, se ficar com o bebe no colo por muito tempo o deixaria mal acostumado. Lembro bem da carinha dela falando que não educaríamos um filho com 10 dias de idade, que depois dos 6 meses se a necessidade de colo fosse muito grande, voltariamos a avaliar! Depois disso, Pedro ganhou muito colinho, dengo, apertos, cheirinhos e tudo mais que pais amorosos fazem com seus pequenos!
Pedro, como toda criança, teve seus dias mais chatinhos e chorosos, descobri que passou varias vezes pelo pico do crescimento e isso pode ter deixado o dia dele mais dificil mesmo. Nestas crises de muito choro e briga com o sono – sim bebes lutam muito contra o sono – eu encontrei uma enorme paciência que jamais imaginei que teria, cuidei, carreguei no colo, acalentei, dei o peito para acalma-lo quando precisou. Nesta época, meu marido que já estava com a paciencia meio esgotada, sugeriu deixar o pequeno no berço chorando um pouco para ver se ele melhorava. Deixei 5 minutos de relógio e desisti da idéia rapidamente. Logo depois deste dia, percebi que ele andava meio manhoso, choramingando de vez enquando. Um ou dois dias depois percebi que algo estava errado, a respiração não estava boa e que ele parecia meio congestionado. Por precaução, levei ele ao pronto socorro, confesso que no início achei exagerado, mas ao chegar lá, descobri que ele estava com a saturação muito baixa, por isso a dificuldade respiratória. Voltei pra casa com remédios, prescrição de inalação diversas vezes ao dia e alguns resultados de exames pendentes. Meu filho não estava apresentando melhoras nas 48h seguintes. Verifiquei o resultado dos exames pela internet e descobri que ele estava com o VSR ( virus sinsicial respiratório), como qualquer ser curioso, fui procurar explicações no meu amigo google. Descobri que este vírus pode causar pneumonia e deixar a criança em estado grave. Na duvida voltei ao pronto socorro, descobri que ele tinha piorado, voltei pra casa com mais remédios. Depois deste dia ele apresentou melhoras, mas logo começou a ficar choroso novamente. Foi num fim de tarde de domingo, no dia seguinte tínhamos consulta com a pediatra, ufa! Depois de muita conversa, chegou a hora de examiná-lo, pesá-lo e ver se estava tudo bem. Para nossa surpresa, nada agradável, Pedro estava iniciando uma otite, motivo pelo qual estava novamente choroso. Mais um remedinho e em 3 dias ele voltou a ser o bebe mega risonho de sempre! Foram dias difíceis, e coração de mãe sofre por qualquer coisa, principalmente com filho doente.
Com tudo isso que vivi, percebi que o choro é sempre motivado por algo, pode ser simples como fome ou sono, pode ser complexo como otite, cólica, refluxo oculto.
Li bastante sobre oferecer colo, acalentar o bebe e todos os beneficios desta decisão. Hoje posso dizer que o Pedro é um bebê fofo, tranquilo e muito, muito sorridente. Acredito que se as necessidades de segurança, carinho e colo são supridas, o benefício é visível! As fases de choro e briga com o sono são raras agora que ele já tem 8 meses, mas ainda ganha muito colo e carinho, ele faz cara de feliz sempre que vem pros meus braços. Isso não tem preço!
Defendo incansavelmente o colo para bebês. Não concordo com a postura do “deixa chorar até cansar”, acredito que esta segunda, desenvolve no bebê uma dificuldade em expressar-se quando maior, visto que nos primeiros meses de vida, o choro que é o unico sinal de que algo vai mal, não foi atendido.
Li artigos interessantes sobre este assunto e os deixo aqui para quem quiser!

 

Desejo às mamães e bebês, muito colinho e aconchego =)

Deixe seu comentário