Me despedindo de 2018

Categorias: Desabafo Mães

Estou me despedindo de 2018 e pensando, será que cada ano que passar vai ser um ano mais difícil? Eu tinha a mais absoluta certeza de que nada superaria 2017, mas 2018 veio para não me deixar nenhuma dúvida.

Comecei o ano imaginando que coisas boas e também difíceis chegariam mas não pensei que passaria por tanta coisa. O trabalho que era ruim, ficou cada dia pior e eu estava beirando a loucura pouco antes de pedir demissão. Vivi a falta de grana, o dia em que precisei ir até a escola dos meus filhos para tira-los de lá ( não foi preciso, mas foi quase), vivi uma separação difícil e dolorosa, a tristeza dos meus filhos com uma família que aos poucos se desfazia. Vivi um dia de cada vez, pensando que talvez não conseguisse sobreviver ao dia seguinte.

Minha mãe esteve mais na minha casa do que na dela no primeiro semestre deste ano, eu mais chorei do que sorri, meu filhos mais sobreviveram do que viveram por alguns meses e eu, tentei cuidar da cabeça, do corpo e de tudo mais que estava ruim, mas não dei conta.

Um dia me vi deprimida, sem dormir e com o corpo pedindo socorro. Recorri aos médicos, psiquiatra, terapia e a Deus. Cuidei de mim, cuidei dos meus filhos, da minha casa.

O tempo passou, o dinheiro que restava acabou e sobrevivemos com o pequeno salário que eu ganhava. Cada dia era uma escolha, de que conta pagar ou negociar. Quando tudo parecia estar perdido, um processo na justiça saiu, o marido arrumou emprego em outra cidade e eu me vi responsável por colocar a casa em ordem.

Me lembro de ter vivido dias intensos entre junho e julho, pagando contas, negociando dívidas, trabalhando até tarde num lugar que me consumia, buscando meus filhos na casa da babá às 21 horas.

Que tempo difícil que passei. A coisa andava tão caótica que minha mãe passou a vir mais e mais e ainda assim, parecia que a vida estava de cabeça para baixo. Logo depois, de tanto ouvir meus filhos pedindo para que eu parasse de trabalhar, decidi pedir demissão, fiz as contas, conversei com o marido e assim segui com o meu plano. Foi L I B E R T A D O R ! ! !

A difícil tarefa de conciliar os filhos e o trabalho!

Em agosto, voltei a passar os meus dias em casa. No começo a Olivia não desgrudava de mim nem no banheiro e de minuto em minuto, perguntava se eu ficaria em casa todo dia, até que ela se acostumou a ficar com a mamãe em casa de novo.

As semanas passaram, a vida parecia ter voltado ao normal e eu começava a empreender sem nem ter me dado conta. Um cliente apareceu, depois mais um, depois outro e assim nasceu a minha empresa. Uma consultoria de comunicação que tem muito a ver comigo, muito a ver com o que penso sobre esse universo e que segue meu ritmo, minhas limitações e minhas prioridades. Eu escolho meus clientes, eu faço meus horários e defino como e quando vou trabalhar. Isso me deu fôlego e eu voltei a viver.

Decidi por conta e risco pegar o carro, colocar os filhos no banco de trás e viajar por 15 dias rumo ao sul. Passamos por Curitiba, Joinville, São Francisco e Jaraguá. Colecionamos memórias, aproveitamos a vida, os dias e a família. Que tempo delicioso e proveitoso tivemos!

Mais uns dias se passaram e muitas coisas novas aconteceram. Clientes, amigos, tempo, projetos e muito mais do que eu poderia imaginar aconteceu. Meu casamento foi resgatado, minha esperança também e eu, só puder agradecer por ter sobrevivido a este enorme caos.

Estou me despedindo não só de 2018, mas também da minha casa, aquela que eu tanto sonhei e que planejei cada centímetro. Estou me despedindo de alguns amigos queridos, da escola dos meus filhos, da igreja a qual sou voluntária. Estou me despedindo de 13 anos de São Paulo, onde vivi, aprendi, sorri e chorei por muitas vezes.

Estou me despedindo de um sonho sonhado há tantos anos atrás que não imaginei que um dia se realizaria. Estou me despedindo das expectativas que criei e que só me geraram ansiedade.

Estou me despedindo não com saudade, rancor ou tristeza. Estou me despedindo com um sorriso no rosto, com olhar sensível ao que Deus fez por mim e pela minha família. Estou me despedindo de algo bom, para encontrar algo ainda melhor.

Estou me despedindo, porque a vida segue, os sonhos mudam, as necessidades mudam. Sigo aqui, feliz e agradecida por ter como destino Curitiba, uma cidade que eu amo intensamente. Por ter encontrado uma escola nova para os meninos que me inspira ser melhor, por ter reencontrado amigos queridos, por ter o prazer de procurar uma nova casa (essa está sendo a parte mais difícil), um novo bairro, um novo mercado.

Estou me despedindo de 2018, com a certeza de que nada foi em vão e que muito do que vivi, será levado para sempre e tudo que aprendi até aqui, foi para o meu bem. Que venha 2019, cheio de coisas boas e novos desafios!

2 comentários

  1. Andreza disse: em 25.11.2018

    Que relato honesto e Franco. Que você seja muitooooo feliz no seu novo lar.

    Eu ainda espero um milagre para salvar meu 2018. Apesar de estar difícil, ainda agradeço a Deus por minha família.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 28.11.2018

      Olha, que ano difícil né?

Deixe seu comentário