Ela partiu meu coração

Categorias: Desabafo Mães

Ela, justo ela que está sempre à minha volta, ela que me procura pela casa logo cedo, que me espera atrás da porta no final do dia. Ela partiu meu coração.

Ela de sorriso largo, de olhinhos brilhantes e curiosos, que caminha na ponta dos pés, que conversa com a beleza de uma criança, que questiona como a mais nova aprendiz da turma. Ela!

Ela hoje me pegou de surpresa, uma surpresa dolorosa, que me fez chorar, calar, orar, repensar a vida (de novo). Ela que sempre disputa um lugar na cama, que aparece de surpresa entre mim e o irmão, ela que canta mais alto para que possa ouvi-la primeiro.

Ela que me fez negociar a noite com o irmão, que me fez convence-lo de dormir com o papai, para que pudesse dormir com ela uma noite inteira. Justo ela, que acorda no meio da noite porque sente saudade, porque prefere o meu colo, porque quer a mamãe de todo jeito.

Hoje ela não me escolheu. Com voz firme e tranquila me disse: vou dormir com o papai, vai ser divertido. Tentei convence-la de que eu também estava sentindo sua falta, de que eu também precisava de mais tempo junto. Ela partiu o meu coração.

Leia: Meu filho só quer o pai…

Chorei escondida, quietinha no canto da sala enquanto ouvia ela rir no quarto com o papai. Não eu não tenho ciúmes da relação dos dois, pelo contrário, é lindo vê-los juntos. Mas a sua escolha me fez desabar como se tudo estivesse errado.

Pensei imediatamente em quando eu deixei de ser divertida, interessante e dedicada. Pensei que eu estava em alta desvantagem pelo simples fato de ser engolida pelas obrigações do dia a dia, pelas horas longe de casa, pela rotina que não consigo mais acompanhar de perto.

Já não sou eu quem leio a agenda primeiro, não sou eu quem dou banho depois da escola, não sou eu quem está disponível na maior parte do dia.

Ela partiu meu coração, mas não por ter escolhido o pai. Ela partiu meu coração por ter me feito de novo enxergar a minha nova realidade. Realidade esta que eu não gosto nem um pouco de viver. Este deserto que preciso atravessar, que hoje ficou pesado, ficou exaustivo, ficou difícil.

Ela partiu meu coração, não por falta de amor. Sua pureza e leveza em ver a vida, fazer suas escolhas e ser feliz com ela, me mostrou o quanto a vida é triste quando perdemos a nossa liberdade de ir e vir. É como se fossemos prisioneiros da nossa vida por vezes caótica e complicada. É como se tivéssemos perdido o direito do querer, do decidir, do escolher.

Ela partiu meu coração sem sequer imaginar. Já percorri tantos caminhos, já vivi tantas coisas, já escolhi certo e errado, já chorei e sorri, já comecei e desisti. Agora eu só queria poder recuar, voltar mais cedo pra casa, acordar com calma pela manhã, tirar o pijama dos meus filhos e escolher um roupa limpinha quando acordam.

Ela partiu meu coração por ter me mostrado a vida com ela tem sido, e ela de longe tem sido boa. Ainda que no deserto, sigo caminhando, um dia de cada vez, acreditando que tudo em breve mudará, acreditando que coisas novas e melhores virão.

Então na verdade, não foi ela quem partiu meu coração, ela apenas me mostrou o que já estava partido, ou melhor, despedaçado.

Ela é a coisa mais doce e linda que Deus me permitiu ter, ela é minha inspiração diária, ela me faz ver seu irmão com ainda mais amor e disposição, ela completou a minha vida, ela foi a irmã que sonhei ao primogênito, ela que me mostrou que amor não se divide, se multiplica. Ela, que tem o abraço mais delicioso do mundo!

SalvarSalvar

Deixe seu comentário