Carta de um pai aos profissionais de saúde que cuidam do seu filho

Categorias: Depoimentos

Esta é a carta de um pai, aos profissionais que cuidam do seu filho! Uma carta escrita hoje pelo meu marido, pai do Pedro e da Olivia.

Recebi um vídeo da minha esposa onde o nosso filho Pedro de quatro anos e meio canta para ela a música que aprendeu na Igreja, em homenagem ao Dia das Mães. Nada demais para ser destacado, levando-se em consideração que esse tipo de vídeo deve fazer parte do cotidiano de muitas mães na celebração do seu dia. Seria comum como falar sobre um vídeo de casamento. Só que no caso do Pedro esse vídeo tem um significado completamente diferente para nós e tenho certeza de que minha esposa compartilha comigo a opinião de que este vídeo carrega uma carga emotiva mil vezes maior que qualquer outro sobre nossa história poderia ter.

Após sofrer sete otites de repetição entre um e dois anos de idade, o Pedrinho teve perda parcial de audição e foi diagnosticado com Atraso de Processamento Auditivo Central. Nesta fase da vida a audição é fator fundamental para o desenvolvimento da fala e, consequentemente, do desenvolvimento motor e social de uma criança. Não seria exagero dizer que o Pedrinho esteve prestes a ter seu destino limitado como adulto.

Não poderia estudar o que quisesse, não teria uma convivência social plena e precisaria de cuidados especiais das pessoas que o acompanhassem ao longo de sua vida. Nossa segunda filha, Olivia, seguia pelo mesmo caminho, só que mais cedo, antes mesmo de completar um ano. Várias otites de repetição estavam causando uma séria obstrução em seu pequeno sistema auditivo. Mas vamos manter o foco no Pedrinho, que foi o pioneiro do problema e por isso teve sequelas mais longas.

É nesta parte da história que quero chegar e que realmente interessa. Em algo que vai além da competência que sobra nos profissionais que vou citar a seguir e que extrapola aquilo que todos nós buscamos em nossas carreiras profissionais. Algo que vai além de qualquer resultado positivo que possamos buscar e obter no desenvolvimento de um ofício.

Tio Raul (Raul Zanini), cirurgião otorrino, Tia Tata (Talissa Pavesi), fonoaudióloga e psicopedagoga, Tia Pam (Pamela Spanholeto) educadora física, psicomotricista que tem como filosofia o método AT EASE, responsáveis por sua plena recuperação, tem sido os três profissionais de saúde mais presentes na vida do Pedro nos últimos pouco mais de dois anos.

Tio Raul foi o médico cirurgião que curou definitivamente o problema de otites dele (aqui um parênteses: Tio Raul já operou todos os membros dessa família, inclusive a Olivia por duas vezes); Tia Tata tem sido até hoje a fonoaudióloga que trabalha semanalmente a fala do meu filho e Tia Pam, a responsável pela recuperação do seu desenvolvimento motor e social afetado pelo problema.

Para se ter uma ideia desse trabalho, passaram-se mais de dois anos desde o diagnóstico preliminar do Pedrinho e até hoje todos esses profissionais vem acompanhando meu filho. Quero aqui fazer menção também à Escola onde ele estuda desde os dois anos e a todas as excelentes professoras que o ensinam.

Mas o que continua sendo o tema central desse texto é o resultado gerado pelo trabalho desses três profissionais de saúde envolvidos nesta história. Tenho certeza que por mais que eu trabalhe, por mais que eu me esforce no que escolhi como ofício – e, modéstia à parte, acho que sou bom no que faço – eu nunca vou conseguir obter dos meus clientes, das pessoas que pagam pelos meus serviços prestados, o amor, o carinho e a gratidão que eu sinto todas as vezes em que o meu filho Pedro se comunica e se expressa com clareza.

Meu trabalho poderia produzir todo tipo de satisfação material. Mas eu nunca conseguirei gerar amor e esperança de um futuro melhor, como esses três foram capazes de gerar em mim. Independente de qualquer honorário ou consulta pagos, independente do trabalho de cada um deles valer cada centavo investido na saúde do meu filho, eu serei sempre uma pessoa extremamente grata e feliz, todas as vezes em que eu assistir um vídeo do Pedrinho cantando uma simples musiquinha para a mãe dele.

Sayto Gama

carta de um pai

Tio Raul

carta de um pai

Tia Tata

carta de um pai

Tia Pam

2 comentários

  1. Madalena Ranieri disse: em 24.05.2017

    Que lindo!! E o Pedro é muito lindo!!!

  2. Daniela Bertuolo disse: em 25.05.2017

    A gratidão é um sentimento tão nobre que me emociona.
    Que Deus continue abençoando está família linda e todos os profissionais envolvidos nesta jornada de sucesso.👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

Deixe seu comentário