Parar de trabalhar fora não significa ser só dona de casa

Categorias: Mães Trabalho

Parar de trabalhar fora não significa ser só dona de casa, também não significa que a mulher deixe de ser mulher e passe a ser apenas aquela que lava, passa e cozinha. Parar de trabalhar fora pode ser uma escolha ou não, pode ser bom ou não.

Quando digo que parar de trabalhar fora não significa ser só dona de casa, quero dizer que esta mulher assim como eu, pode trabalhar sem ter que bater ponto das 9 às 19h, pode trabalhar com algo que goste ou simplesmente não trabalhar.

A maioria das mulheres que param de trabalhar para ficar mais tempo com os filhos, muitas vezes precisam abrir mão de certas comodidades como uma faxineira, passadeira ou manicure toda semana. Muitas dessas mulheres passam a ser responsáveis por todo o cuidado da casa, incluindo faxina, comida, mercado, filhos, marido. Sim incluo marido porque a minoria das mulheres tem um marido ativo em casa, que entende a casa, como responsabilidade mútua e colabora para o bom andamento da dinâmica familiar. A maioria das mulheres passa o dia cansada, descabelada, correndo atrás de tudo para no fim do dia, ter alguém que olha e diz: estou cansado, trabalhei o dia inteiro e você “só” ficou em casa. Cara, vontade de dar um murro num ser desses, mas calma e respira, eles são a maioria, infelizmente.

Parar de trabalhar fora nem sempre é uma escolha. O mercado de trabalho não está preparado para receber e acolher as mães, que por vezes precisam deixar seu local de trabalho e ir cuidar de um filho doente, ou leva-lo ao médico. O modelo de trabalho que obriga as pessoas a ficarem sentadas em suas mesas, mesmo quando ela já terminaram seus afazeres, ainda é a maioria.

O mundo não recebe bem as mães, parece que só lhes resta empreender, fazer artesanato ou depender do marido. Tudo bem ser isso tudo, contanto que seja uma escolha.

Leia sobre a minha escolha em parar de trabalhar fora e o custo desta escolha.

Quando digo que parar de trabalhar não significa ser só dona de casa, quero dizer que não precisamos deixar de ser mulher, que não precisamos andar com os cabelos emaranhados, a cara amarrada e as unhas por fazer. Não precisamos passar o dia em casa como se tivéssemos um chefe a tiracolo.

parar de trabalhar foraÉ possível se organizar e ter uma rotina que permita uma volta na praça, uma ida à padaria a pé apreciando a vista ou simplesmente esfriando a cabeça. É possível preparar uma comida bacana e 5 minutos antes do marido chegar, tomar um banho e estar com uma carinha boa, mesmo que o dia tenha sido difícil.

É possível ter uma agenda, organizar as prioridades, saber reorganizar os compromissos quando aquela virose do filho te fizer passar noites em claro e deixar a casa de pernas pro ar. É possível ter vida, nem que seja depois das 22h para assistir uma séria bacana, ou às 7 da manhã para tomar um café da manhã com calma.

Aqui o segredo é: Levantou? Toma banho e café, organize a agenda e agilize as coisas que precisam ser feitas até a hora do almoço. Se não for assim, dá meio dia e eu ainda estou de pijama sem escovar os dentes.

Brinque com seu filho. Se você largou o emprego para ficar com ele, não faz sentido ser engolida pelo afazeres domésticos a ponto de estar sempre ocupada quando ele te chamar. Saiba pedir ajuda, saiba aceitar ajuda.

Tem uma avó, uma tia ou madrinha que adora ficar com seus filhos? Permita-se ficar só por algumas horas, permita-se deixar que seus filhos voem. Permita-se se reencontrar.

Parar de trabalhar não é uma tarefa fácil e exige muito mais do que planejamos e só é possível ser feliz sem aquele bom salário no fim do mês, se continuarmos fazendo coisas que nos proporcionam pequenos momentos de prazer.

Lembre-se: parar de trabalhar não significa ser só dona de casa!

Leia também, tempo de cura: tempo para se reencontrar após a maternidade.

3 comentários

  1. Eu simplesmente amei esse post! 🙂 Às vezes, em casa, a gente acaba fazendo mais coisas do que numa empresa… e isso é exaustivo!

  2. Angelita disse: em 07.02.2017

    Esse texto me fez tão bem… Ando pensando em sair do meu emprego (sou concursada!) porque não estou sabendo lidar com a carência das crianças, o peso na consciência está acabando comigo… Mas é uma decisão difícil!!!

  3. Patricia C Fialho Pereira disse: em 14.03.2017

    Amei o texto, diz exatamente como nós mulheres e mães temos que lidar com o dia a dia, da difícil decisão de parar de trabalhar fora para cuidar dos filhos. Parabéns!

Deixe seu comentário