O amigo imaginário do meu filho

Categorias: Sem categoria

Piufuto, este é o nome do amigo imaginário do meu filho. Levei um tempo para compreender quem era o tal Piufuto. Isso mesmo, o amigo imaginário do Pedro tem um nome pra lá de esquisito e eu demorei para entender que ele era mesmo imaginário.

Pedro logo depois que operou o ouvido, começou a falar diversas palavrinhas. No início, nada fazia muito sentido, mas as coisas foram fazendo mais sentido ao longo do tempo.

Leia sobre a perda auditiva do Pedro

Eu não me lembro de ter tido um amigo imaginário na infância, mas lembro que minha prima mais nova tinha uma e eram muito amigas, daquelas confidentes. Essa amiga existiu por longos anos.

Há algum tempo atrás, Pedro começou a contar mais e mais episódios em que o Piufuto estava presente, até o dia em que eu resolvi perguntar onde morava o tal amigo e onde ele estava. Pedro prontamente respondeu: mora aqui em casa, olha ele aqui do meu lado.

Eu ri sozinha por alguns instantes e resolvi dar asas a imaginação do menino. Sempre que el contava algo ou falava com o Piufuto, eu perguntava algo ou mandava algum tipo de recado. Piufuto sempre respondeu. Ele tem voz fanha e fala baixinho, e até pouco tempo atrás, só o Pedro podia ouvi-lo.

Pedro conversando com o Piufuto

Minha mãe chegou para o aniversário dos pequenos e logo conheceu o Piufuto, entre brincadeiras e risadas, ela foi dando corda para o Pedro e ele, cada dia mais contava sobre o seu amigo, seus gostos e preferências.

Na nossa viagem para a casa do Biso, Piufuto também veio, lanchou conosco, ficou cansado, dormiu, cantou, reclamou da demora mas ficou muito feliz com o balanço na varanda.

Desde que nossas férias começaram, resolvi fazer amizade com o Piufuto. Ele gosta de purê, dorme com uma almofada amarela, brinca no balanço, dorme mais cedo que o Pedro e adora a piscina.

Essa noite mesmo, ele pediu pra assistir a Peppa, comer purê e tomar suco de uva.

Piufuto, o amigo imaginário do meu filho.

E por aí, algum amigo imaginário? Como anda a imaginação dos pequenos?

Deixe seu comentário