Estomatite em crianças

Categorias: Saúde

estomatiteEstomatite é uma doença viral, comum em crianças e sem grandes riscos, mas que causa muitos incômodos nos pequenos. Muitas vezes essa inflamação vem acompanhada de febre alta (até 40ºC) e falta de apetite, além da dor.

A Estomatite pode se apresentar de forma leve e pouco dolorosa ou com lesões por toda a boca, incluindo gengivas, essa segunda geralmente causa bastante sofrimento à criança pois as dores são intensas e a dificuldade em se alimentar colabora para a irritação. As lesões são como aftas acinzentadas ou amareladas e costuma causar mau hálito.

Olivia, nem nas suas piores otites, teve febre. Há dois dias, acordou no meio da noite com quase 39ºC de temperatura. Mesmo com antitérmico, a febre demorou a ceder e reapareceu durante todo o dia. O que mais me assustou foi a falta de apetite. Para quem a conhece, sabe que seu nome poderia ser Magali. Ela é boa de garfo e não recusa nada, então um jantar e um café da manhã praticamente de jejum, me fez levá-la ao pronto-atendimento.

Leia aqui quando levar seu filho ao pronto atendimento

Liguei para a pediatra para aviar da nossa ida ao PA, já que horas antes do primeiro pico de febre, ela tinha passado em consulta com o otorrino e estava ótima. Ela pediu que ligassem para ela, assim que a pequena fosse examinada. A médica do pronto atendimento, adiantou que era estomatite e por isso viral, quando não há necessidade de antibiótico, mas que por conta de todo o histórico da Olivia, ligaria para a nossa pediatra e decidiriam juntas, fazer mais exames ou não.

Por uma questão de segurança, fizemos o STRAPTEST, um exame simples, que é basicamente uma cultura do muco que fica na garganta para pesquisar bactérias.

Como imaginávamos, não era bacteriano e sim viral. Voltamos para casa com prescrição de antitérmico e observação. Ontem ainda ficou sem apetite, mas hoje nem parece que está doente, embora a febre ainda apareça depois de 5 ou 6 horas em que tomou o antitérmico.

Amigdalites e estomatites são comum nas crianças e costumam ser chatinhas de tratar. Os pequenos ficam irritados e por vezes mais chorosos e sem apetite. O importante é monitorar a temperatura, deixar o pediatra ciente do que está acontecendo e se não apresentar melhora em 2 ou 3 dias, retornar ao pronto atendimento ou ao médico de rotina.

Sobre o STRAPTEST, é um exame que tem ajudado evitar antibióticos prescritos desnecessariamente. Aqui em SP este exame está disponível no pronto atendimento do Hospital Albert Einstein e no Hospital Santa Catarina, então caso seu filho tenha dor de garganta ou febre alta sem causa, prefira estes hospitais, é sempre bom evitar antibióticos, ainda mais que na primeira infância, costumamos precisar muito deles.

Caso você conheça algum outro pronto atendimento que ofereça este teste rápido, por favor comente aqui que atualizo o post.

4 comentários

  1. Karoline Tulio disse: em 28.10.2016

    Boa noite Gabriela! Um dos tratamentos de escolha para Estomatite é a Fotobioestimulação, também conhecida como Laserterapia, principalmente em se tratando de pacientes pediátricos, uma vez que este tratamento é não invasivo, de ação analgésica imediata e apresenta potencial ação cicatrizante! Além do médico, o diagnóstico e tratamento de tal infecção viral pode ser feito pelo Estomatologista (cirurgião-dentista). Sou mãe, Estomatologista e já passei por esta terrível experiência com minhas filhas Valentina (5 anos) e Betina (2 anos) e este foi o tratamento de melhor efetividade. Vale à pena divulgar, já que muitas pessoas desconhecem!

    1. Gabriela Gama respondeu: em 28.10.2016

      Karoline, muito obrigada pela informação. Caso queira escrever sobre o assunto, será um prazer divulgar.

    2. Mônica respondeu: em 16.06.2017

      Onde tem este tratamento com fotobioestimulacao???
      Minha sobrinha está com muita dor e ela já sofre com outros probleminhas constantes na vidinha dela tadinha…
      Tem 2 anos..

      Se puder ajudar!
      Minha irmã agradece!
      maserra25@yahoo.com é o email dela!

      Abçs!

      1. Gabriela Gama respondeu: em 19.06.2017

        Precisa ser feito por uma odontopediatra.

Deixe seu comentário