Eu queria ser uma mãe paciente, mas nem sempre eu consigo

Categorias: Desabafo Mães

Eu queria ser uma mãe paciente, mas nem sempre eu consigo. Eu queria ser uma mãe SEMPRE paciente, muito paciente. A vida materna não vem com manual de instruções e nem tudo é como desejamos e imaginamos. A paciência (ou a falta dela) é uma dessas coisas que não estão no manual. Eu aprendi a ser paciente, muito mais paciente do que sempre fui com tudo. Acontece que a exaustão das noites mal dormidas, os dias atropelados e a falta de tempo, interferem diretamente no nosso humor e na paciência que temos com nossos filhos.

mulher-irritadaBasta parar para pensar, que naquele dia que a faxineira vem, que você dormiu bem, acordou disposto e logo cedo conseguiu deixar seu dia organizado, as birras e os choros do seu filho não lhe tirarão do sério tão facilmente. Mas se você está com olhos de panda, a casa está do avesso e o filho não para de chorar. Tudo que a gente quer é chorar junto, se esconder debaixo de alguma coisa e tapar os ouvidos para ter uns minutos de silêncio. Geralmente isso não é possível e é aí que a gente perde o rumo, grita, reclama, briga, esbraveja e não apenas com as coisas erradas, mas também com as mínimas solicitações feitas por eles. Basta te pedirem um copo d’água que a gente já atravessa a casa pisando forte e de cara feia. Sim, a gente quer ser paciente, mas nem sempre a gente consegue.

Eu não trabalho fora de casa, tenho uma funcionária que cuida da casa e me ajuda com as crianças e ainda assim, tem dias que quero sumir, e outros tantos, perco a paciência. É normal, mas é preciso saber que nem tudo é birra, nem tudo é mal criação.

Sempre que eu vejo uma mãe chamando o filho de mal criado ou mal educado fico pensando se ela já parou para pensar que se ele é mal educado a culpa e dela, risos (só pra descontrair).

É difícil educar um filho, ainda mais se a gente adotar o diálogo como meio de orientação. As crianças estão se descobrindo a cada dia, descobrindo as partes do corpo, os sons externos, as cores, texturas, os seus próprios limites. É natural que eles queiram pintar, molhar, bagunçar, gritar. Isso tudo faz parte da infância, mas dependendo de como está o nosso dia e o nosso humor, isso pode acabar em briga ou até mesmo em alguns gritos pela casa.

Já chorou de cansaço?

Eu queria ser uma mãe paciente, mas nem sempre eu consigo. Não consigo porque tem dias que eu não quero falar, não quero responder aos inúmeros porquês, não quero falar duzentas vezes a mesma coisa. Às vezes eu só quero um pouco de silêncio. A gente só descobre o que é ser mãe, quando já não dá mais para voltar atrás (eu não voltaria, mesmo se pudesse), mas o que quero dizer é que uma criança é sempre uma caixinha de surpresa. Aquele bebê que mama e dorme, aceita todos os alimentos a introdução alimentar, dorme 12 horas por noite sem precisar da gente, só existe em foto e propaganda de shampoo. Crianças reais, tem vida, tem muita energia, é curiosa por natureza e testará todos os limites que puder. Inclusive o da nossa paciência.

7 comentários

  1. Suelen disse: em 22.09.2016

    Esse texto é perfeito….como me culpo por muitas vezes perder a paciência….e esse texto me mostrou que não sou a única…

  2. Paula Alcântara disse: em 22.09.2016

    Meu deus!sou essa mãe…
    Desesperada,sem paciência me culpo tanto as vezes por não ter essa calma,as vezes me sinto um monstro grito muito com meu filho ele tem apenas 1a7m depois me sinto mal porque apesar de tudo ele me ama e eu também era o que mas eu queria…
    Mas aconteceram tantas coisas perdi minha mãe, estou com minha irmã quase louca por ter perdido nossa mãe… Tem dias que quero sumir com tanta coisa sobre mim…

  3. Mara disse: em 27.09.2016

    Bem assim mesmo…mas sempre que estou sem paciência com meu pequeno percebo que estou na TPM ou algo assim….sempre o problema está em nós….eles ainda estão aprendendo a ser….a se comportar….a se entenderem como pessoas…

  4. Sheila disse: em 04.11.2016

    Exatamente assim!
    Me culpo o tempo todo… Não tenho um pingo de paciência. Fico questionando as vezes, pq Deus me fez mãe. Pq ser mãe é ser a paciência em pessoa… Vejo pela minha mãe. E eu sou totalmente o contrário disso. Me sinto muito mal… Brigo com meu filho de 3 anos todos os dias, tadinho. E ele é um menino bonzinho… Eu com meu estresse excessivo que acabo passado pra ele minha agitação.
    NÃO QUERO MAIS SER ASSIM!
    Quero ser uma mãe mais paciente. Oque que eu faço?

  5. Luciana disse: em 07.01.2017

    Perfeito mesmo o texto, também ando assim uma pilha de nervos, ódio de tudo, agressiva, quebro coisas, dou socos nas coisas e geralmente estou com braços com hematomas. Trabalho fora, cuido da casa, marido e da minha filha. Gente não é fácil, tem dias que é difícil ter paciência, e para ajudar tenho mania de limpeza e organização, tudo isso me afeta. Não é nada, nada fácil ser mãe, mas amamos e fazemos o melhor para cuidar.

  6. Camila disse: em 14.01.2017

    Culpa… Arrependimento… É só o que eu sinto no fim do dia.
    Estou emocionalmente esgotada.

Deixe seu comentário