Cirurgia e pós operatório de adenoide e ouvidos

Categorias: Cuidados/Saúde Filhos Saúde

pos operatorioPedro e Olivia operaram a adenoide e os ouvidos e eu já falei muito sobre as causas, diagnóstico, tratamentos posteriores e terapias, mas nunca falei do pós operatório. Isso porque achei que não fosse um assunto assim, relevante. Me enganei, pois 1 em cada 3 comentários que recebo nas postagens é justamente a pergunta sobre as dificuldades no pós operatório e riscos da cirurgia em si.

A primeira coisa que ouço, é o medo da anestesia geral. Eu, embora goste muito da área da saúde, não fiz medicina, mas já fiz alguns cursos de instrumentação cirúrgica e posso afirmar que os riscos pela anestesia em si, são mínimos. Isso claro, se feito em um bom hospital, com um bom anestesista. A cirurgia de adenoide, ouvido e mesmo a de amídala, é simples e rápida, dura cerca de 40 minutos a 1 hora.

Leia aqui sobre as complicações causadas pela adenoide

Em muitos casos, o médico tenta adiar ao máximo a cirurgia e existem alguns motivos aceitáveis e outros não. O primeiro e totalmente aceitável é que o pico de crescimento da adenoide se dá entre 1 e 2 anos de idade, então é preferível que a cirurgia seja feita após os dois anos. Isso não significa que não possa ou deva ser feita antes. É preciso avaliar o custo benefício, pois adiar a cirurgia é apenas evitar um novo crescimento da adenoide. Aqui tivemos a Olivia operada com 9 meses e a adenoide não voltou, na época, com tantos antibióticos e nenhuma melhora significativa, preferimos resolver a questão sem continuar sobrecarregando o fígado com tantos remédios. O segundo motivo bem menos aceitável, é que muitos médicos, muitos mesmo, não se sentem seguros em operar crianças tão pequenas e por vezes postergam uma cirurgia realmente necessária logo no primeiro ano de vida. Neste caso aqui não é julgar a competência, mas sugiro buscar outras opiniões, pois riscos maiores podem vir se a cirurgia não for feita.

Mas vamos volta ao pós operatório já que o assunto é esse.

Ouvido: se seu filho teve a qualidade auditiva prejudicada por conta das otites, considere um tempo de readaptação de sons e volumes em casa. A cirurgia é indolor e não precisa de nenhum analgésico para o pós operatório. A colocação dos tubos de ventilação é simples e segura, precisando apenas de algodão para proteger os ouvidos na hora do banho. Confesso que acho um saco, mas logo a gente acostuma e vai no automático.

Leia mais sobre as otites de repetição

Adenoide: é um tecido mole que cresce ali atrás daquele sininho da garganta e que é totalmente removido na cirurgia. Para que não haja risco de sangramento, a comida deve ser oferecida em temperatura ambiente por 3 ou 4 dias e de preferência pastosa, passando para pequenos pedaços logo na sequência. Em uma semana a dieta volta ao normal e provavelmente a criança já estará dormindo muito bem. Aqui às vezes cabe um analgésico, daqueles que costumamos ter em casa, mas isso quem determina é o cirurgião depois do procedimento.

Amídala: aqui vou falar da minha experiência de operada aos 19 anos de idade, já que meus filhos não precisaram fazer esta cirurgia. É chato, dói, incomoda, mas longe de ser pior do que noites seguidas sem dormir direito ou pior que as dores de uma amidalite. Sorvete, de todos s sabores e comida fria, aqui eu sugiro aquele purê bem molinho mas geladinho para amenizar a dor. Analgésico é sempre bem-vindo porque esta é a recuperação mais chatinha das três. Mas nada justifica não operar porque tem medo deste pós aqui, ok?

Minha opinião sobre a cirurgia: tem indicação? Faça o quanto antes, a recuperação é sempre mais rápida e melhor quando eles são pequenos. Outros prejuízos podem vir com o adiamento da cirurgia ou até mesmo sequelas irreparáveis como fala, desenvolvimento neuro linguístico entre outros.

Tem medo de anestesia geral? Leia mais a respeito, existem inúmeros sites sobre saúde que vão constatar o que já relatei acima. Converse muito com o médico, se ainda estiver inseguro, peça para falar com o anestesista.

Está com medo do pós operatório? Garanto a você que é muito mais fácil e indolor que as inúmeras madrugadas em claro e as inúmeras idas ao PS que te levaram até a indicação da cirurgia em si.

Espero ter ajudado.

12 comentários

  1. laricelima disse: em 06.02.2017

    minha filha de 2 anos e 4 meses vai operar de adenoide e confesso que depois de ler seus comentários fiquei mais tranquila….

    1. Gabriela Gama respondeu: em 07.02.2017

      Fico feliz que tenha lhe ajudado de alguma forma! Um ótima cirurgia para a sua pequena!

  2. Márcia Mendes disse: em 19.06.2017

    vamos passar por essa cirurgia aqui também estou bem anciosa, vc teve q fazer exame pré cirúrgico porque a Otorrina só pediu consulta com anestesista

    1. Gabriela Gama respondeu: em 19.06.2017

      Olá, se ele encaminhou ao anestesista, este pedirá os exames. Geralmente um eletro e um hemograma e coagulograma. Nada além disso.

  3. Valdete disse: em 28.07.2017

    Olá minha filha está no pós operatório e confesso foi muito tranquilo e a diferença já ja é invisível . Não ronca mas (tenho que me acostumar com isso agora), está com uma fome de Leão. Brinca , pula, grita…nossa cabeça que cria muitas expetativas.

  4. Filipa Teixeira disse: em 08.11.2017

    A minha filha foi operada no dia 6 e a recuperação está sendo um pouco difícil, não quer comer, mas já está a melhorar com um pouco de paciência tudo se consegue

  5. Lilian disse: em 05.02.2018

    Minha filha sera operada daqui a 3 dias , espero q ela fique bem , confesso que estou apreensiva , e com muita dó, mas quando vejo ela dormir com a boquinha aberta e roncando , penso que sera o melhor p ela , que Deus abençoe a cirurgia ..

    1. Gabriela Gama respondeu: em 16.02.2018

      Como foi a cirurgia?

  6. Guida disse: em 30.03.2018

    Estava com muito medo da anestesia,principalmente pq ela tem colinesterase baixo (ñ produz uma enzima)q tem a ver com o tempo de volta da anestesia…mas conversei com o anestesista e só permiti ser feito depois q eu estava com todas as duvidas esclarecidas.
    O pós ta sendo complicado, principalmente pq o antibiótico q pinga no ouvido ,ela disse q dói demais…no 3 dia voltamos ao médico pq ela teve muita tosse…o negócio é ter paciência e pedir a proteção divina!

    1. Gabriela Gama respondeu: em 09.04.2018

      Melhoras para o seu pequeno. Dependendo do remédio, ao pingar no ouvido, causa tontura, aqui a orientação era aquecer um pouco com as mãos. Ajudou bastante, converse com seu médico e me;horas pro pequeno!

  7. Carina disse: em 20.04.2018

    Oi Gaby!!! Minha pequena acabou de operar aí no Hospital Municipal de Barueri e pesquisando sobre o pós cirúrgico achei essa postagem no seu blog rs Hoje é o terceiro dia pós cirurgia de retirada das amígdalas e adenóide e ela está muito bem, de ontem para cá o nariz congestionou um pouco o que é normal, mas nem remédio para dor ela está tomando. Eu confesso que tinha o medo da anestesia geral, principalmente porque minha filha é asmática, mas a cirurgia foi muito tranquila e sem dúvida a qualidade da respiração dela e consequentemente da vida dela será outra. Eu trocava a roupa dela várias vezes durante a noite de tanto esforço que ela fazia para respirar, agrava muito a asma dela. Agora tenho certeza que ela será muito mais saudável.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 08.05.2018

      Aqui foi um divisor de águas Cá!!! Como está a pequena?

      bj bj

Deixe seu comentário