Tenho saudade de morar numa cidade pequena

Categorias: Depoimentos Mães

Joinville nem é tão pequena, mas quando chego nela vindo da maior cidade do Brasil que é São Paulo, me sinto quase que no interior. Saí da minha cidade aos 23 anos em busca de um sonho. Eu queria ser uma publicitária de sucesso, na época desejei até ser uma dessas famosas, mas a vida tomou outro caminho e sou grata por isso.

Deixei a casa da minha mãe, morei sozinha, dividi apartamento, morei em república, casei, me separei, conheci meu atual marido logo após o divórcio e logo me casei novamente. Entre minha chegada a São Paulo e a chegada do meu primeiro filho se passaram 7 anos, 6 empregos (todos para melhor, ufa), dois gatos, um apartamento fofo alugado no bairro de Vila Mariana e um deslocamento diário de quase 30 km até meu último emprego.

Foram 7 anos de intensa correria, trânsito, madrugadas trabalhando, fins de semana aprovando trabalhos ou correndo atrás de alguma coisa. Quando conheci meu marido, aprendi com ele a aproveitar melhor a vida. Viajamos muito, mergulhamos muito, conhecemos diversos lugares juntos e colecionamos muitas fotos e estórias deste tempo.

Posso dizer que São Paulo me deu muitas coisas boas, conheci o mundo morando nela, conheci gente bacana, trabalhos que jamais esquecerei e de lá me despedi para morar na cidade vizinha onde eu já trabalhava há pouco mais de 4 anos e onde pretendia me aposentar. Quando meu marido e eu resolvemos casar, decidimos ir para um apartamento maior e na época mudar para Barueri era a melhor opção.

Nosso apartamento ficou pronto quando o Pedro tinha 45 dias e nos mudamos felizes para uma cidade próxima a São Paulo, mas muito mais segura e tranquila. Durante todo este tempo que saímos da capital, continuamos muito dependentes dela só que agora com um deslocamento muito maior e por vezes muito cansativa. Meu marido continua trabalhando na capital, são mais de 50km todo santo dia.

Depois que o Pedro nasceu, passei a visitar mais minha família em Joinville e comecei a perceber pequenos detalhes que antes não percebia, ou simplesmente não eram importantes quando eu era mais jovem e não tinha filhos.

Fato que morar numa cidade enorme sem nenhum parente de apoio para nos socorrer com os filhos é um tanto aflitivo e difícil também. Por diversas vezes eu me senti muito, muito sozinha, principalmente porque meu marido estudou à noite por 4 anos, dos quais 3, o Pedro e a Olivia eram nascidos.

Hoje, meu trabalho é administrar a casa, o blog e cuidar dos filhos junto com o meu marido. Parece pouco, mas toma um tempo enorme, principalmente quando preciso me deslocar a São Paulo, o que vem acontecendo pelo menos 2 ou 3 vezes por semana. Pretendo mudar isso quando voltar de férias e pretendo também ter mais tempo em casa com uma agenda mais organizada também. Confesso que muitas vezes ando, ando, ando e não faço metade do que eu tinha para fazer.

rua das palmeiras - joinvilleSe eu morasse numa cidade pequena, onde a vida segue mais tranquila, eu teria mais tempo pra mim, mais tempo em casa e meus filhos certamente passariam muito menos tempo no trânsito.

Quando estou em Joinville e termino o dia com tempo sobrando, eu sinto saudade de morar numa cidade pequena. Sinto saudade de encontrar amigos casualmente. Sinto falta de rever pessoas queridas.

Quando vejo que aprendi tanto numa cidade grande, mas que essa mesma cidade me sufoca, tenho vontade de voltar para uma cidade pequena. Tenho saudade de atravessar a cidade percorrendo menos de 20km. Tenho saudade de poder viver com pouco dinheiro, com menos cobranças, deslocamentos e trânsito.

Tenho saudade de morar numa cidade pequena!

Deixe seu comentário