Ensinando minha filha dormir sozinha

Categorias: Depoimentos Mães

Não sou nada experiente no assunto sono. Sou apenas uma mãe como tantas outras tentando desesperadamente fazer com que os filhos durmam uma noite inteira de sono para que eu possa recuperar minha sanidade mental. Falei muito esta semana sobre um novo berço, sobre o desmame noturno e meu cansaço físico e emocional.

Gostaria de esclarecer uma coisa muito importante aqui. Desmame noturno não é trocar leite materno por leite artificial, não é parar de amamentar o filho, é simplesmente não amamentar durante a madrugada. Pensem comigo, se você janta, sacia a sede, descansa e dorme, não sentirá fome durante a madrugada. Um bebê que janta bem, come fruta, toma água e antes de dormir mama bem, não sente fome durante a madrugada. Acontece que o peito não é só alimento, peito é amor, aconchego, carinho e conforto. É natural que o bebê queria estar sempre perto da mãe e se possível mamar em livre demanda 24 horas ao dia. Acontece que a gente não é de ferro e também precisa dormir. Pais cansados e esgotados não conseguem ter tempo de qualidade com os filhos e muito menos ter aquele mega saco de paciência durante o dia inteiro.

O que me motivou a mudar a rotina da Olivia e a maneira como ela dorme, foi uma noite em que ela acordou 17 vezes. Isso mesmo dezessete vezes numa mesma noite. O dia seguinte foi um caos, todo mundo irritado, cansado e o Pedro exausto e mal humorado por não ter conseguido dormir. Desde então eu estou ensinando minha filha dormir sozinha.

Como eu sou contra deixar o bebê chorando ou desassistido, fui conversar com a pediatra sobre como estabelecer uma nova rotina. Ela havia acabado de concluir um curso sobre sono e se propôs a nos ajudar. Fomo eu e meu marido conversar sobre a Olivia.

A rotina diurna não mudou em nada, mas a noturna começou pelo lugar onde ela dormia. Minha cama, desde os 5 meses e meio. Compramos um berço e acomodamos no escritório. Porque compramos um berço e colocamos ele lá? Porque embora o quarto das crianças tenha uma cama para o Pedro e um berço lindo para a Olivia. O fato dela acordar a noite toda e dormir mais cedo do que o Pedro, bagunçou tudo. foi nesta época que passei a compartilhar minha cama.

Não existem grandes segredos, mas existe paciência, persistência e vontade de que a pequena comece a dormir sozinha e a noite toda.

Rotina: banho, janta, água, um pouco de colo, mamada, luzes fracas e berço. Isso aí tudo é a teoria. Vamos a prática.

Olivia toma banho, janta, toma água, dependendo do horário e do sono, come uma fruta de sobremesa, brinca um pouco e mama. Geralmente dorme mamando o que não é o correto, mas fui fazendo uma coisa de cada vez.

dormindo sozinha

Primeira noite minha mãe ficou com ela, eu não amamentei na madrugada, ela havia mamado as 20h e quando acordou depois das 6h mamou novamente. Sim ela chorou, reclamou, queria mamar, queria a mãe, queria a nossa cama. Foi acalentada no colo da vovó todas as vezes que acordou. Foram 8 mais ou menos. Eu, embora tenha acordado todas as vezes que a Olivia acordou, consegui descansar muito mais do que vinha conseguindo nos últimos meses.

Segunda noite segui a rotina da noite anterior e assim que adormeceu mamando eu a coloquei no berço. Eu estava suando frio, ansiosa e com dor de estômago imaginando como seria o desastre da noite. Como eu ia fazê-la dormir sem amamentar, coloquei o sutiã apertado, protetor de seio e um top por cima. A ideia era conter o máximo possível o cheiro do leite. Quando já havia passado da meia noite Olivia acordou. Pulei da cama feito foguete e fui acalenta-la. Ela obviamente me viu e queria muito mamar, eu estava nervosa, ansiosa e achando que não conseguiria ve-la chorar por muito tempo. Ela na verdade não chorou muito, mas eu quase desisti depois de 40 minutos com ela resmungando no colo. Eu já não tinha mais braço quando ela finalmente dormiu de novo. Ela acordou por volta das 3h e dormiu mais rápido do que na primeira vez. Acordou às 5h e dormiu antes de eu pega-la no colo efetivamente. 6h acordou de novo, mamou e voltou a dormir até quase 8h. Confesso que passei o dia me sentindo a mãe super poderosa e confiante.

Terceira noite, mesma rotina, mesmo horário e a Olivia acordou 8 vezes, o dobro da segunda noite. Eu dormi pouco e fiquei bastante cansada, mas ao contrário das noites anteriores, ela dormiu muito rápido. Mal pegava no colo e já estava capotada novamente. Esta foi a noite em que ela entendeu que não mamaria mais durante a madrugada e finalmente o desmame noturno parece estar funcionando.

Quarta noite, mesma rotina, mamada e consegui colocar a Olivia quase dormindo no berço. Levei bastante tempo entre colo e berço para conseguir pela primeira vez, fazer com que ela não dormisse mamando ou balançando no colo. Primeiro indicio de que a nova rotina está sendo estabelecida sem traumas, sem sofrimento e sem choro. A quarta noite é hoje, então não sei quantas vezes mais ela acordará, mas sei que encontramos um caminho e lentamente vamos caminhando por ele.

Não sei por quanto tempo mais a pequena vai continuar acordando durante a noite, mas sabemos que depois de 9 ou 10 meses, um bebê tem total condições de dormir uma noite inteira de sono. Eu continuarei ensinando minha filha dormir sozinha, mesmo que para isso tenha que adotar outra nova rotina. Na verdade, eu já tentei tantas outras que foram frustradas (leia aqui) e esta última é a que melhor funcionou e a que melhor vem se estabelecendo por aqui.

Sei que assim como eu, muitas mães andam exaustas de tanto acordar a noite. Também volto a dizer que apoio a amamentação em livre demanda e por muito tempo, na verdade o tempo que mamãe e bebê desejarem. Mas aprendi com meus dois filhos que depois de um certo tempo, todo mundo precisa do seu espaço, todo mundo precisa e merece dormir bem. Criança que não dorme não se desenvolve. Mãe que não dorme enlouquece.

Aprendi que não existe manual de instrução para pais e filhos, mas existem algumas condutas que funcionam e merecem ser seguidas. Acredito que sempre há um caminho que possa ser trilhado, basta a gente se dispor e começar a caminhar.

8 comentários

  1. Avatar
    Pamella disse: em 30.10.2015

    Boa noite gostaria de uma ajuda tenho um filho de 5anos e depois que me mudei pra uma casa nova ele não consegue dormi no quarto dele ja fiz de tudo mais não consigo ja fiquei a noite toda com ele acordado por tentar deixar ele dormi no quarto dele .

    1. Avatar
      Gabriela Gama respondeu: em 02.11.2015

      Já tentou repintar as paredes, mudar os móveis de lugar, algo do tipo? Quando eu era pequena com esta mesma idade, meus pais mudaram para uma casa. Eu nunca mais quis dormir sozinha pois eu tinha medo. Muito medo.

  2. Avatar
    Vivian Thalita disse: em 31.10.2015

    Ola Gabriela,
    Adorei o seu post!!! Tenho uma bebê linda que esta no mesmo período da Olivia. A noite é sempre a mesma rotina que a da sua bebê, por conta da mama ela não dorme a noite toda. Vc escreveu tudo i que eu gostaria de ouvir!!! Agradeço demais as dicas! Já havia tentado de tudo!! Peço gentilmente que se der certo, escreve pra gente o final dessa historia! Um beijão enorme nessa bebê linda!!!

  3. Avatar
    Karine Soua disse: em 01.11.2015

    Boa noite,

    Situação difícil a comentada, mas e necessário que eles aprendam a ter seu espaço e os país também. Precisamos descansar, gostei das dica s pra ir me preparando. Teu um filhote de quatro meses, já colocamos no berço desde os três com medo e receio, mas foi muito bom pra ele e pra nós….

  4. Avatar
    Clara disse: em 13.04.2016

    Olá, também tenho uma filha que não dorme. Já tentei de tudo, não consigo deixar chorando. O pior de tudo é que ela também demora muito pra dormir, parece que nçao gosta mesmo de dormir! Só por Deus. Também tenho um blog https://caradecotia.wordpress.com/. Adorei o seu, parabéns!

  5. Avatar
    Luh disse: em 01.08.2016

    Oie adorei a matéria minha bebê graças aDeus dorme a noite toda desde 1 ano e 2 meses. Mas aqui em casa são outros problemas não sei como lidar com as birras da mel , tem dias q não sei o q fazer chora chora e chora se não der nao para de chorar, tem dia q deixo ela chora e sai de perto pra chorar pq eu não aguento + isso , me sinto impotente , um fracasso não sei a palavra certa mas não me sinto bem nessa situação

    1. Avatar
      Gabriela Gama respondeu: em 03.08.2016

      O choro é a única forma de comunicação de um bebê com esta idade, é preciso entender o que está acontecendo ou se é pura birra (incomum nesta idade). Talvez ela esteja precisando de algo que vc não esteja entendendo.

Deixe seu comentário