Chorei todo o meu cansaço

Categorias: Comportamento Mães

Pepeu dormindoFim do dia, cansada e com duas crianças chorando de sono, me vi sozinha sem dar conta de tudo. A mochila da escola no meio do caminho, Pedro sem querer tomar banho, Olivia pedindo colo para mamar e dormir e eu precisando de um copo d’água.

O tempo passou, o Pedro topou tomar banho, a Olivia ficou três minutos no berço sem chorar, a gata parou de miar e eu finalmente respirei e retomei o fôlego. Minutos depois, tentei convencer o Pedro a ficar na cama assistindo algo no iPad. Eu não gosto de deixa-lo ali por tanto tempo, mas enquanto ele não deita e fica quietinho, eu não consigo fazer a Olivia dormir. Muitas vezes ela vai dormir mais tarde do que gostaria, fica exausta, chateada e demora ainda mais para dormir.

Eu sempre fico pensando no quão difícil é o meu dia entre 18h e 21h de segunda à sexta. Torço para que este período passe o mais rápido possível e tantas vezes perdi a paciência. Perdi com a birra do Pedro, com o choro da Olivia. Deixei de curtir os dois neste período porque estava tão focada em fazer com que este tempo fosse o mais tranquilo possível e que passasse muito depressa, que hoje eu realmente percebi que sempre será difícil, mas que pode ser bom também.

Desisti de por o Pedro para dormir e deixei ele brincando na sala enquanto levava a Olivia para dormir no quarto. De olhos fechados eu desejava intensamente que ela adormecesse rápido, assim eu daria conta de cuidar do Pedro. Logo em seguida ouço um chamado lá longe. Mamãe, mamanhêêê, mamãããe. Pedi que ele me esperasse já que a Olivia estava praticamente dormindo e logo eu poderia estar com ele. Um silencio um tanto assustador tomou conta da casa e eu inconscientemente me preparei para encontrar tudo fora do lugar, ou simplesmente o sofá todo desenhado de canetinha (certeza que tem algumas perdidas pela casa que não consegui esconder).

Com o cansaço me tirando do eixo, certamente eu ia brigar, esbravejar e fazer cara feia para o Pedro, o meu garotinho que no momento só queria que eu sentasse no chão da sala para brincar. Mas ao chegar na sala e perceber que ele havia se ajeitado sozinho para dormir e que havia de fato dormido sem meu boa noite, sem meus beijinhos e sem cobri-lo com sua mantinha de corujas, eu chorei!

Chorei por ter visto meu garotinho tão pequeno e ainda tão dependente, dormindo sozinho na sala. Chorei por não ter tido tempo para brincar com ele. Peguei ele no colo enquanto as lágrimas rolavam meu rosto, o segurei forte, beijei muito e o acomodei em sua cama, com sua manta de corujas coloridas.

Ao sair do quarto eu desabei, chorei pelo momento difícil que estou passando, pelo cansaço do dia a dia, das noites mal dormidas, das otites intermináveis da Olivia. Chorei por querer que meus filhos acompanhem meu ritmo para que eu dê conta de tudo. Chorei porque muitas vezes o cansaço parece maior do que o amor incondicional que sinto por eles. Chorei porque tudo o que eu precisava fazer durante o dia e não consegui. Chorei de frustração por não conseguir encontrar um meio termo no fim do dia que deixe meus filhos mais tranquilos e eu saia do automático.

É difícil ser uma boa mãe quando a gente está cansada

Chorei por perceber que o tempo está passando, por saber que eles crescerão e não caberão mais no meu colo, ou simplesmente vão dispensá-lo. Chorei por me sentir uma mãe horrível logo depois de perder a paciência e a razão algumas vezes.

Chorei por me sentir incompetente para cuidar de duas crianças tão pequenas, que demandam tanto de mim. Chorei com medo do futuro, com medo de não conseguir transmitir aquilo que acredito, com medo de não realizar meus sonhos como mãe, de não ser uma boa mãe.

Chorei, chorei até cansar.

Chorei todo o meu cansaço!

 

261 comentários

  1. Kamila disse: em 17.09.2015

    E eu chorei com esse seu relato, por muitas vezes passo pela mesma situação. Mas esses dias li que esse sentimento de estar fazendo tudo errado acontece com as mães mais dedicadas, que com certeza você é. Tudo vai ficar bem. Um beijo

    1. Gabriela Gama respondeu: em 17.09.2015

      Difícil abrir mão de um em prol do outro! Dói tanto, mas é tão difícil dar conta de tudo!

      Respira e continua né?
      bjs

      1. simone respondeu: em 18.09.2015

        Amei o texto…
        Aliás, tenho 2 FILHAS…uma de 6 anos outra de 4 e estou gravida do meu 3º que nasce no final de novembro.
        Choro antes mesmo dele nascer, pois sei que vai ser dificil…
        Só quem é mãe e dona de casa, sabe o quanto é dificil dar conta dessa parte emocional, espero que um dia possamos respirar aliviadas, e ter a certeza que cada segundo valeu a pena. Boa sorte a todas nós….

      2. Vânia respondeu: em 22.09.2015

        Puxa Gabriela.. sou mae de 4 filhos barbados e crescidos.. mas hj me encontro em situação similar a sua. Assumi a guarda de 3 netos ( 4, 7 e 9 anos) qdo na minha idade (58) ja queria descanso e tranqüilidade. Muitas vezes me vejo nesta agonia após o trabalho das 18 ate as 22 horas ate todo mundo tomar banho fazer lição e dormir . Qdo sento em minha cama choro pela situação deles sem os pais e por mim.. pelo cansaço q não tenho direito de sentir pois eles São prioridade e precisam da Vovó inteira p eles. So por Deus!!!

        1. Gabriela Gama respondeu: em 22.09.2015

          Vânia tudo bem?
          Eu posso imaginar seu cansaço e sua frustração pelo momento que estás vivendo. Minha ajudante e babá dos meninos também é avó e tem a guarda dos netos. Nós aqui damos suporte, levamos ao médico, ao psicólogo, fono e tudo mais que precisar. Sabemos o quanto é difícil ter novos filhos não planejados e desejados. Minha profunda admiração por vcs que encontram forças onde não tem, pelo bem dessas crianças!
          Um abraço carinhoso.

    2. Iliane respondeu: em 19.09.2015

      Seu relato é também o meu, sou mãe de um menino e uma menina, tal qual vc, e passo a semana toda sozinha com eles pois meu esposo viaja, trabalho durante o dia, e das 18H até as 21H, também passo esses apertos, só Deus sabe do meu cansaço e também de meu grande amor de mãe. beijos.

    3. Marci respondeu: em 19.09.2015

      Você não está sozinha. Muitas de nós nos sentimos exatamente assim. Hoje mesmo eu gritei com minha filha num momento de total frustração e depois me senti muito culpada. É que às vezes atingimos o limite e somos apenas humanas. Damos o máximo que podemos, mas em algum momento o máximo não é suficiente e não temos mais de onde tirar.

    4. karin respondeu: em 19.09.2015

      Eu tb sinto tudo isso… mas achei que era por minha insegurança de primeira viagem. Quando comento com outras mulheres (sogra, tias do marido…) sinto um olhar de reprovação como se pra elas tivesse sido fácil e eu estivesse sentindo dificuldade onde não existe. Muito obrigada por compartilhar a realidade de uma mãe. Muito obrigada por sua sinceridade. Também já chorei sozinha muitas vezes, me achando uma péssima mãe, cheia de culpa. Tudo o que a gente quer ouvir, no fundo, é que somos, sim, boas mães!!! Estamos acertando, dando o máximo que podemos e amando muito esses pequenos! Isso que importa.

      1. Gabriela Gama respondeu: em 19.09.2015

        Só por tentar acertar, já estamos no caminho certo!

        Conselho de uma mãe de dois, olho torto e conselho azedo a gente ignora!

    5. Liz respondeu: em 21.09.2015

      chorei muitas vezes tb me sentindo assim, nossa como nos sentimos culpadas por tantas coisas

      1. Hélide Fontanelli respondeu: em 25.09.2015

        Eu chorei, minha filha com um ano a meio e com o nascimento de outra criança, essa com deficiência especiais, tive que deixar Lilian de lado para cuidar do Marcos que tanto de mim precisava.Hoje graças a Deus mãe de três filhos, as meninas ja formadas e muito minha amiga que me dão todo apoio com os cuidados do irmão, o pai nos abandonou quando meus pequenos eram bem novinhos. Chorei Chorei…Mas venci.

        1. Gabriela Gama respondeu: em 26.09.2015

          Hélide, não consigo imaginar a dor do abandono e o medo de cuidar de três, mas valeu a pena né?

          Parabéns!

    6. marli respondeu: em 22.09.2015

      tambem chorei, pq nesta vida corrida de trabalho, casa, filho, as vezes perdemos a paciencia por estar tao cansada.
      Quando pequenina ainda mamava cheguei do trabalho e nem vi minha filha acordada, cair no choro por uma vida tao corrida q nem temos tempo de ver nossos filhos acordados….

      ser mãe, dona de casa, esposa e trabalhar fora ufffa muita coisa…

    7. Elza Lorenzetti respondeu: em 25.09.2015

      Nenhum momento vc falou do pai das crianças, deu a entender que vc cuida sozinha, mas pode ter certeza vc vai sentir saudade dessa correria, tive quatro filhos em uma epoca que a mulher não trabalhava fora, e cuidar da casa e das crianças era o serviço e a “obrigação” dela, mas contudo hoje acho falta da correria que era. Fica em paz e seja feliz.

      1. Gabriela Gama respondeu: em 26.09.2015

        Elza, eu não falei do Pai, pois ele estuda de segunda a sexta e chega meia noite em casa. É um pai muito participativo, está nas consultas com a pediatra, nas consultas com especialista, vai a reunião da escola, brinca, troca fralda, dá banho, faz dormir e ainda arruma a cada. Mas de segunda a sexta é osso viu!

        1. Andreza respondeu: em 08.12.2016

          O bacana de ler esses relatos é saber que não estamos sozinhas.
          Existem mais mamães como nós.

    8. Ligia respondeu: em 26.09.2015

      Eu chorei com o texto…isso já me aconteceu várias vezes…tem dias que são tão difíceis…já fui dormir me sentindo péssima…pelos beijos que poderia ter dado…pela paciência que me faltou.❤️

    9. Amanda Santana respondeu: em 01.10.2015

      Olá!

      Nunca chorei tanto quando li seu texto, chorei por passar pelos mesmos problemas, chorei por perder a fase mais gostosa dos meus pequenos, corei por me preocupar tanto com a casa e com arrumação e deixar meus pequenos. Obrigada por esse texto lindo, pode ter certeza que hoje sentarei na sala e vou brincar muito com meus pequeninos, Pedro e Manuela.

    10. Maria Céu respondeu: em 03.10.2015

      …e eu tô aqui chorando,chorando,chorando. Que texto mais profundo e intenso.Intenso de verdades ,intenso de amor.
      Só tenho 1 filho de 1 ano e 9 meses,mas tantas vezes estou exausta e com a casa de pernas para o ar (como agora!)e hj mesmo pensei: será que outras mães que só tem 1 filho tb ficam tãaaao cansadas quanto eu? Ou será que eu é q sou molenga mesmo?!!!Tenho problemas na coluna e isso é q tem sido o pior para mim.
      A todas vcs q são mamães de 2 ou mais minha admiração,respeito e aplausos …vcs SÃO VERDADEIRAS HEROÍNAS .

      1. Marciele Santos respondeu: em 04.10.2016

        Olá, Maria!
        Me vi no seu comentário.
        Tenho 19 anos apenas! Tenho um filho da mesmo idade do seu. Tenho problemas com essas dores na costa que parece que só aparecem nas piores horas. Um filho peralta, e que algumas vezes (não sei se por rebeldia ou por brincadeira) não obedece.
        Em alguns dias eu me sinto tão cansada, ao ponto de sentar na beira da cama e pensar que não darei mas conta de coisa alguma!
        Choro! E por vezes grito (por dentro) e é um grito tão torturante que chega a doer tanto quanto uma dor física!
        Então, não pense que só por você tem apenas um filho que seu cansaço é menor, é apenas diferente de algumas mães!
        Abraço e força!

    11. marli mangela respondeu: em 29.10.2015

      tem choro que é bom chorar isso só vai te aliviar , mais pra frente vc vai sentir falta de tudo isso .eu chorei muitas vezes ,
      com filhos que não era meus fui baba de muitas crianças, amei cada um como se fosse meus , depois tive meus tres filhos. tirei de letra criei meus meninos tranquilamente hoje estão todos felizes um casado outro vai casar ano que vem outro namora a dois anos estou com 54 anos me preparando para ser vó kkkkk bjos seja feliz

    12. Adriana respondeu: em 30.10.2015

      Chorei tb. Ontem foi difícil, sentei na porta da sala e fiquei aérea sem saber oq fazer. Uma filha de 5 anos e outra de 11 meses. Elas simplesmente não param. Carol depende muito de mim e carinho não lhe falta, oq qd está mamando consigo acarinha-la, a Bia já fica difícil, e toda noite qd ela dorme sinto que não lhe dei atenção suficientes.
      Difícil de mais

    13. Priscila respondeu: em 15.02.2016

      Chorar….isso é q estou fazendo no momento. Estou morta de cansaço e com uma mistura horrível de sentimentos.
      Tenho duas meninas ( 9 anos e a outra 11 meses) e confesso q está difícil conciliar trabalho de casa + criar as filhas. E olha q nem trabalho fora, aliás tiro meu chapéu pra quem tem q conciliar trabalho de casa, cuidar dos filhos e ainda trabalhar fora.

      Nesse momento eu só queria voltar a ter meus 10 anos….

      Amo minhas filhas demais, mas não tá fácil não….

    14. Daiani respondeu: em 07.04.2016

      Pois é……………… chorei com seu texto…. muitas vezes me sinto exatamente assim e passo por tudo isso também! Tenho um casal de gêmeos de um ano e dez meses, trabalho o dia todo fora e no dia em que os dois estão carentes de um colinho é justamente aquele dia em que eu tenho mais afazeres em casa…. choro, choro, me preocupo com tudo isso que vc relatou, penso em largar tudo, mas tem coisas que não posso deixar pra trás… que dependem de mim, mas enfim, Deus renova nossas forças para que sejamos as melhores mães que conseguirmos….

    15. Carla respondeu: em 08.12.2016

      Chorei junto quando li pq estou vivendo isso nesse momento com dois filhos pequenos!! Choro todos os dias de cansaço,frustração…

    16. lucilene maria respondeu: em 08.12.2016

      Li agora este post, e encontrei nele, tenho 33 anos, sou mãe de 3 filhos, mas um é natimorto. Meu menino tem 5 anos e meio, e a menina tem 2 anos e 4 meses, há 3 anos eu parei de trabalhar com o propósito de cuidar dos filhos, e hoje olho para trás e vejo que não fiz nada por eles. Dá para contar nos dedos os passeios, as brincadeiras que tivemos juntos..
      Agora os gritos que dou no mais velho, as chineladas, os puxões de orelha isso não dá para contar nos dedos não, foram muitos
      Me sinto um fracasso como mãe, dona de casa, esposa..
      Amo muito meus filhos, mas acho que não nasci para ser mãe de 2 filhos não.
      Eu coloco eles dormirem as 17:00, pois não aguento mais de tanta canseira, pois normalmente eles acordam as 05:00 da manhã
      Me sinto um lixo por se assim

    17. sabrina respondeu: em 02.06.2017

      Nessas situações, nossa cama são o lugar mais gostoso do mundo, para os 3….. Afrouxar os nós tmb fará bem â VC, se permita…..bj

  2. Patricia disse: em 17.09.2015

    Choro ainda, tantas vezes! E olha que minha princesa faz 6 anos mês que vem. Acho que essa sensação deve durar a vida toda! ?

    1. Gabriela Gama respondeu: em 17.09.2015

      Amor de mãe, medo de mãe, choro, muito choro de mãe :’|

  3. Janaina Schemmer Lazzeris disse: em 17.09.2015

    E eu chorei por estar passando exatamente pelas mesmas coisas, entendendo cada palavra sua…

    1. Gabriela Gama respondeu: em 17.09.2015

      🙂

      1. Janaina respondeu: em 20.09.2015

        Olá Gabriela,
        já voltei e li seu texto nem sei qtas vezes… parece que estavas aqui em casa e vendo cada situação… tb tenho um casal: uma de 5 e outro de 10 meses. As vezes me sinto frustrada como mãe, parece que preciso dar conta de td sozinha e realmente NÃO CONSIGO. Nestes dias vejo a mais velha sofrendo, olhar triste e penso: que mãe sou eu? Trabalhar fora, dar conta de dois filhos pequenos, casa… parece desumano. E qdo vc começou a escrever, descrevendo sua saída do quarto… dali em diante me vi. Chorei e tenho chorado.. e sei que vou chorar mt ainda, talvez por amá-los tanto, que minha exigência para comigo é imensa. Carinhoso Abraço.

        1. Gabriela Gama respondeu: em 20.09.2015

          Janaína já chorei muito tbm. Acho que só o fato de querermos melhorar e dar conta de tudo, já um bom indício de que estamos no caminho certo!

          Bem vinda à maternidade… aquela que ninguém fala, que ninguém sequer percebe!

          bjs

  4. Thais disse: em 17.09.2015

    Choerei, pois faço de suas minhas palavras! E estou aqui ainda, na luta da bebê contra o sono e a mais velha dormiu com o pai chorando, pois queria dormir comigo.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 17.09.2015

      Tem dias que são tão difíceis né!!! Socorro :'(

  5. Angelita Dutra disse: em 17.09.2015

    As vezes fico aliviada em ler relatos assim, pois descubro que não é só comigo que acontece isso… O tempo passa, e no meu dia a dia cansativo eu não consigo relaxar e curtir o momento… Tenho medo de no futuro olhar pra trás e me arrepender…

    1. Gabriela Gama respondeu: em 18.09.2015

      Acho que é um profundo aprendizado, se por alguns instantes respirarmos e curtirmos pequenos momentos, já terá valido a pena. Assim eu espero!

    2. Áurea respondeu: em 19.09.2015

      Eu tbm!!! ?

  6. Alba disse: em 17.09.2015

    Chorei hoje no meio de uma palestra na faculdade, por estar passando por diversos problemas e não estar conseguindo dar conta. Meu filho mais velho me pediu um abraço e eu neguei pq estava atrasada e ele não tinha posto o tênis. Só fui perceber depois pq estava no automático de novo. Me senti um lixo. Tenho me sentido assim todos os dias.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 18.09.2015

      Como é difícil sair do automático, como é difícil dar conta de tudo. quem sabe amanhã quando ele acordar, vc o cubra de beijinhos e abraços. Ele vai te amar de qualquer jeito 🙂

  7. Delma disse: em 18.09.2015

    Chorei com cada palavra!
    Nunca li algo tão verdadeiro!

  8. Isabelle disse: em 18.09.2015

    Poxa, me sinto exatamente assim…sinto que não estou sendo uma boa mãe, as vezes acho que meu esposo tem razão quando ele fala isso.
    Todos os dias vou dormir dua, três horas da madrugada para poder dar conta das crianças e da casa. Não consigo ter tempo mais para mim e sempre estou cansada… muitas vezes perco a paciência e perco oportunidade de curtir alguns momentos… a hora de dormir têm sido um tormento, são três crianças, uma com 1 mês, outra com 1 ano e 8 meses e outra com 8 anos… obrigada por partilhar esse sentimento, é confortante saber que alguém em algum lugar se sente bem parecido comigo, me faz sentir-me menos mal… obrigada.

    1. Dani respondeu: em 18.09.2015

      Seu esposo sim é um mal esposo e péssimo pai. Porque ele não te ajuda? Com três crianças, duas delas bebês e ele te acha uma má mãe? Ele é um folgado isso sim. Você está fazendo seu papel e sozinha, orgulhe-se disso. Você vai conseguir e tudo vai entrar nos eixos.

      1. roberta lazzaretti respondeu: em 18.09.2015

        Gabriela, primeiro quero lhe parabenizar pelo lindo texto, também sou mão de dois e chorei, pois muitas vezes queria ser duas para poder atender aos dois igual. Em relação ao comentário que você fez sobre o que a Dani escreveu, ela não escreveu pra você e sim para a mãezinha acima Isabelle, que narra que o marido disse que ela era um mãe ruim… leia novamente pois ela não falou de vc. Abraço

      2. Ariane respondeu: em 18.09.2015

        Eu acho que a Dani se referiu a Isabelle (acima). Ela tem três crianças, sendo duas, praticamente bebês. E no que ela relatou o marido dela parece critica-la. Pelo menos foi o que eu entendi ?

      3. Naiara Nogueira respondeu: em 18.09.2015

        Oi Gabriela, acho que não foi do seu marido que a Dani escreveu mas sim do relato da Isabelle, que disse ter 3 filhos e o marido diz que ela não é uma boa mãe. Acredito não foi direcionado a você!
        Agora, sobre o seu relato, sinta-se abraçada! Tbm tenho 2 filhas pequenas, uma de 3 anos e outra de 1 ano e 7 meses, e esse sentimento me ronda como um fantasma. A de 1 ano me exige tanto que me sinto culpada por não conseguir me dedicar da mesma forma com a mais velha. Chorar por me sentir uma péssima mãe é uma constante comigo. Conseguir equilibrar nossa vida como mãe, esposa, mulher e profissional é desgastante muitas vezes, na maioria delas.
        O tempo passa, eles crescem! Eles vão ser adultos por muito tempo, mas criança, só agora. É um período muito curto!
        Um dia de cada vez!

      4. Michele Barcaro respondeu: em 18.09.2015

        Gabriela desculpa, mas você não entendeu, a Dani estava se referindo ao esposo da Isabelle, e eu concordo com ela, oro para que ela supere toda essa fase e consiga cada vez mais dar muito amor aos seus 3 filhos, pois é uma guerreira em fazer tudo sozinha e ainda ser julgada por um pai omisso.

      5. Maria de Lourdes respondeu: em 18.09.2015

        Na verdade a Dani não falou sobre o pai das criancas da postagem. Ela apenas respondeu ao comentário da Isanela, que disse sim que o marido a chama de má mãe, sendo que elas tem dois bebês e uma criança de dois anos. Uma sugestão ė todas vcs criarem rotinas de sono. Hora e ativiaddes certas, todos juntos, antes de dormirem e darem uma folga para as mães. Brincadeiras com a mãe,banho, jantar, historinha e cama. Todas as crianças no mesmo horário. Depois fica tempo para limpar casa, arrumar mochilas ou descansar. Tenho três filhos e a rotina sempre foi essa,funciona sempre. O que não dá ė querer limpar, cozinhar, arrumar, atender um, atender outro, mandar msg, tudo ao mesmo tempo. Aí cansa mesmo.

      6. Pati respondeu: em 18.09.2015

        Acho que a Dani estava se referindo ao marido da Isabelle, não ao seu Gabriela. 🙂

      7. Fer respondeu: em 18.09.2015

        Gabriela acredito q vc nao tenha lido o comentário da isabelle pois a resposta da dani foi para ela, e com certa razão.

      8. Gabriela Gama respondeu: em 18.09.2015

        Dani, me perdoe pois eu respondi a vc, sendo que o cometário não era para mim. Deu erro com tantas mensagens aqui e achei que o comentário era pra mim!

        Isabelle, força vc não é a única a ter um marido que critica muito e pouco faz!

  9. Karine Mello disse: em 18.09.2015

    E eu chorei porque hoje estou me sentindo assim! A pior mae dlo mundo! Minha bebe com colicas, meu filho mais velho (2a6m) querendo minha atencao e eu com uma dor de cabeça que me tirou todo
    Bom humor e paciencia! Quando dormiram (mais de meia noite ja) chorei e ao ler seu relatp chorei de novo! Como é dificil!

  10. Fernanda disse: em 18.09.2015

    Incrível como nós mães nos deparamos com situações e relatos tão parecidos, mas que achamos que só acontece conosco.
    Chorei por me ver no seu relato, por perder a paciência,me arrepender e prometer tentar ser mais calma e no dia seguinte acontecer o mesmo.
    Meu Deus como é difícil!!!!
    O amor que sinto por ele é tão intenso que vivo por ele e pra ele,e ao mesmo tempo peco por não ter a paciência que ele precisa. ?

  11. Carol disse: em 18.09.2015

    chorei lendo o que escreveu, vi que não to sozinha com esse sentimento estranho que dá nessas horas, resolvi estudar agora com a Valentina com 1 ano e 7, chego em casa e ela tá dormindo, dói meu coração!! E tem dias que estou aqui e ela faz uma birra e eu já brigo e depois vejo q não precisava daquilo e dói não só o coração como a alma e eu choro!!!
    Adoro tudo oq vc escreve, adoro o Pedro e a Olívia mesmo sem conhecer!!
    Fica calma q tudo passa… 🙂
    Um beijos

  12. Gislaine disse: em 18.09.2015

    Eu choro muito, me identifiquei em suas palavras.

  13. Taciane disse: em 18.09.2015

    Nossa…. Como é bom saber que não sou a única a passar por isso é me sentir assim. Meu caçula tem só 45 dias e eu acho que não vou dar conta de dois filhos. Minha mãe sempre diz que Deus não dá o frio maior que o cobertor, e tem dias que eu duvido. Tento dar atenção ao máximo pros dois, mas um parece que sempre sai com menos. Encontrar um meio termo nessa loucura está tão difícil. Vamos pedir sabedoria a Deus pra gente seguir em frente e da melhor forma possível.

  14. Andreia disse: em 18.09.2015

    Nossa…Hoje de manhã recebi um texto sobre ter o segundo filho. Agora com seu texto, imaginei seu desespero…acho que não tenho estrutura emocional para o segundo filho…devo refletir por mais um tempo…

    1. Giselly respondeu: em 18.09.2015

      Andreia estamos no mesmo barco. tenho Miguel com 1 ano e 2 meses .

    2. Vivian respondeu: em 18.09.2015

      Também estou nesse barco… não sei se tenho estrutura emocional para mais um filho, casa, marido e profissão!

  15. Heloisa Belém disse: em 18.09.2015

    Nossa chorei tb!!!!! Choro muito… É entendo perfeitamente esse seu momento. Quando nosso segundo bebê chegou ao mundo, uma paz muito grande me invadi e eu tive a certeza q minha primeira filha não estaria mais sozinha no mundo.entretanto as pedras no caminho tem sido pesadas de mais, minha pequena sofre c ciúmes, sofre c vontade de ter os pais só dela, sofre por me ver cuidando do menor… e eu sofro pq nao queria q fosse assim!!!! Só peço a Deus q esse momento passe logo e ela perceba o quão grande é meu amor por ela!

  16. silvania disse: em 18.09.2015

    Isso é muito natural. Meu filho mais velho não amamentei por muito tempo,pois queria minha casa arrumadinha. Hoje vejo o erro que cometi. Minha filha eu já tinha aprendido a lição. Ela Mamou ate (pasmem ) 4 anos e minha casa era uma casa dessarumada mas muito feliz. Aprendi que eles tinham que ser crianças e que um dia tudo is passar. Hoje ele tem 23 e minha filha 19. Minha casa já não tinha brinquedos espalhados tudo arrumadinho. Graças a Deus agora tenho um neto lindo de três anos e muitos brinquedos espalhados. Curta seus filhos porque um dia você vai ter saudade desse tempo. Bjos.

  17. Kely Vizentim disse: em 18.09.2015

    Ai amiga, chorei lendo seu relato! Os dias por aqui também tem sido dificeis, isso pq só tenho uma. E chorei tb porque estamos tao perto e eu mal tenho tido tempo de ler seus posts, e aí fico me sentindo uma péssima amiga, que poderia dar um socorro em alguns momentos, mas nao consigo. Vc é uma guerreira! Acha que pode dar conta de tudo, que tem que dar conta de tudo, mas vc é de carne, osso e alma, entao permita-se sim chorar o seu cansaço! Tudo vai dar certo! Tudo está dando certo! Fiquem bem!

  18. Ester disse: em 18.09.2015

    E eu choro por todos os país ( homens) que não compartilham desta terefa tão sublime. Arrumam trabalho, compromissos, desculpas esfarrapadas para não ajudarem. Depôs quando os filhos crescem querem exigir um carinho e tempo que nunca dispensaram aos filhos. Não basta procriar tem que ser pai de verdade e compartilhar.

  19. Jacque disse: em 18.09.2015

    Não tem como não chorar lendo. ?
    Fantástica reflexão!

  20. Vera M. Horn disse: em 18.09.2015

    Só Deus p nos orientar. Jesus é paz. Força ?. Ele as guiará a forma e caminho certo. Clame a zjesus e verá que tudo entrará nos eixos. Jesus é paz
    Ensina a criança no caminho do Sr e ela não se desviará

  21. Gleice disse: em 18.09.2015

    Me vi em seu relato! Tb chorei! ?

  22. Laiany disse: em 18.09.2015

    E eu choro agora! Ao ler sua história e ver que é igual a minha. Tenho uma menina de 3 meses e um menino de quase 3 anos.

  23. Andreza disse: em 18.09.2015

    Olá Gabriela. Eu, você e tantas outras passam por esses momentos. No meu caso, tenho 4 meninos: Júlio 11 meses, João 2 anos, Artur 4 anos e Antônio 7. Há quase dois anos meu marido trabalha em outro estado então o cuidado e educação ficou pra mim. E justamente este período é o mais complicado. Enquanto estou com o Julio, colocando pra dormir fico prestando atenção nos outros e no que poderia estar aprontando.Está sendo um período bem difícil. Às vezes tem noites que são melhores, outras um verdadeiro caos. Mas, respiro fundo e tento ser mais paciente, ouví-los e aproveitar o momento. A vassoura pode esperar…

  24. Luciana disse: em 18.09.2015

    Compartilho do mesmo sentimento. Tenho um filho de 5 anos e uma filha de 5 meses. Não trm sido nada fácil,sofro todas as vezes que perco a paciência com o mais velho e logo vem a culpa. Peço a Deus todos os dias que me ensine a ser a mãe que os meus filhos precisam.

  25. Juliana disse: em 18.09.2015

    Nossa! Como eu me vi nesse relato. Chorei muito ontem. Como as noites tem demorado a passar. Marido aqui trabalha a noite e eu fico com os 2 sozinha (1 com 3 meses o outro com 3 anos). Quando da 18:00 parece que o relógio para. A pequena completamente dependente de mim, o maior (ainda um bebezão) quer que eu sente no chão para brincar. Tudo que eu quero é que ela durma um pouco pra eu dar atenção para o outro, mesmo que isso me custe um pouco da madrugada acordada, mas ela não dorme. E ele fica no meu pé: mãe, qué brincá. E eu choro. Choro pq não dou conta da pequena, que ainda em fase de cólicas, não para de chorar (e o irmão tapa o ouvido e fala: Para! Para! E tambem nao dou conta de dar atenção ao grande cheio de energia querendo brincar.
    Quantas vezes me deparei com ele dormindo sozinho no sofá, meu coração dói. E eu choro mais.
    E nesses dias tão tensos como foi o dia de ontem, termino o dia completamente estressada, com dor de cabeça, dor nas costas e braços (a pequena só fica no colo), sinto que passo todo o meu estress para meus filhos e fico ainda mais arrasada.
    Me sinto horrível de nao estar conseguindo lidar com isso. E eu que queria 3 filhos no mínimo, sinto que terei que me contentar com 2.

  26. Renata disse: em 18.09.2015

    Chorei de soluçar … Desde ontem a noite estou me sentindo assim… =(

  27. juliana Lima disse: em 18.09.2015

    Chorei! tenho um filho de 3 anos e uma filha de 5 meses, nâo trabalho fico por conta deles 24 horas por dia,meu filho nunca foi para creche ele sempre ficou comigo depois que ele nasceu não quis deixar de estar com ele e de participar da sua vida ,e hoje me vejo nesta situação ,é muito complicado mais faço o possível para estar com os dois a todo momento sempre que estou com a Cecília chamo o Sebastian para ficar perto,mais esta aumentandocada dia mais as dormidas dele longe de mim quando vejo já esta dormindo no sofá e isso mi deixa arrasada,por não esta la para dar com beijo e dizer mamãe esta aqui meu bem, isso me deixa muito triste mais tento a todo tempo fazer com que ele sempre saiba q estou ali para ele a qualquer momento.

  28. Alessandra disse: em 18.09.2015

    Choro nesse momento por me sentir tão incompetente como mãe, choro pela minha falta de paciência , pela minha falta de tempo, por ter que trabalhar tanto e cuidar de tudo sozinha e de ficar tão cansado a ponto de deixar de resolver questões

  29. sheila disse: em 18.09.2015

    Chorei com o seu depoimento pq estou passando exatamente isso e choro quase todos os dia de medo do futuro de medo de não ser uma boa mãe. Que Deus nos proteja.

  30. angelica coelho disse: em 18.09.2015

    Chorei, porque somos assim imperfeitas, e nada é como queremos…também disponho de pouco tempo com minha filha, e me pergunto muitas vezes porque colocar um filho no mundo se não posso criar como quero! e ter que conformar com isso é triste mesmo!

  31. Marciana Moura disse: em 18.09.2015

    Qual mãe não chora com esse relato, algumas vezes me pego assim, cansada, sem paciência, e acabo não dando à atenção devida a minha filha e não percebo que o choro dela é apenas pra chamar a minha atenção…

  32. Bianca disse: em 18.09.2015

    Também chorei muito ontem.
    E olha que tenho um só.
    Estou desempregada e fazendo alguns freelas e ontem decidi deixar meu pequeno 3 anos e 11 meses) em casa pela chuvarada. Fiquei tão tensa de não dar conta de tocar o trabalho no computador que fiquei impaciente pelas coisas mais bobas e gritei muito com ele (choro só de lembrar…).
    No fim, Índia que era pra ser bom, foi mais um revival das prioridades de trabalho da mãe chegando antes dos momentos de brincadeira com o filhote.
    É assim os dias vão passando…

  33. Chris Secco Molina disse: em 18.09.2015

    Chorei com seu relato, pois super me identifico… passo por isso todos os dias… tenho um filho de 2 anos e 5 meses e outro de 1 ano, as vezes me sinto incapaz, me sinto uma péssima mãe, penso que não vou conseguir dar amor igual aos dois, enfim…. É difícil o dia a dia cuidando de duas criancas tão pequenas…
    Bjooos more

  34. Isabel disse: em 18.09.2015

    Eu sou mãe de 4 adultos, minha filha, mais velha, casada tem uma bebe e ajudo a cuidar, a noitinha, até ela voltar do trabalho. Eu ainda choro por eles…será que fiz tudo certo ? vão se dar bem na profissão ? estão escolhendo bem seus companheiros ? Mãe sofre e chora sempre, desde que nos descobrimos grávidas…Doce vida

    1. Gabriela Gama respondeu: em 18.09.2015

      Acho que a culpa é algo que nos acompanhará a vida toda. A dúvida tbm!

  35. Caroline disse: em 18.09.2015

    chorei lendo teu post! Me identifiquei mesmo tendo só uma menina de 3 anos! E com muita insegurança e medo de ter um segundo filho! ???

  36. Mônica disse: em 18.09.2015

    Eu chorei com você!

    Oi, Gabriela! Te acompanho e me identifico tanto com seus relatos!
    Eu tenho um só, mas tem dias que o cansaço toma conta e não aguento, perco a paciência e choro. Essa madrugada mesmo, ele resolveu acordar e não dormia por nada, foi dormir as 4 horas da manhã. Mas hoje quando acordou e me chamou, todo sorridente, me esqueci totalmente da noite de insonia rs

    Meu bebezinho tem 1 ano e 8 meses, uma criança tão amável, super travesso (rs), me emociono só de lembrar dele.
    O bom de ler seus relatos e os comentários de outras mães aqui no blog, é que não me sinto sozinha. A gente tenta ser perfeita o tempo todo, pra que as coisas não saiam do eixo e quando saem… é nessa hora que perco o foco.
    Vendo essa foto do seu pequeno dormindo, eu me emociono, pois é quando o meu Lucca dorme que eu tenho tempo de parar, respirar, pensar, e vem logo a culpa de não ter feito o meu melhor no dia pra ele.
    Eu rezo e peço pra que Deus me dê forças pra que o dia de amanhã seja muito melhor que hoje.

    Muito obrigada por dividir seus dia com a gente!
    Beijo grande pra você e seus pequenos!

    1. Gabriela Gama respondeu: em 18.09.2015

      Beijo e obrigada por estar aqui conosco!

  37. Andressa disse: em 18.09.2015

    De todos os blogs que eu sigo…de tantos textos que já li….este foi sem duvida alguma, o mais profundo…o que expressou toda a minha realidade e que me fez chorar….muitooo!

    1. Gabriela Gama respondeu: em 18.09.2015

      🙂

  38. ANA MARIA disse: em 18.09.2015

    Amiga, você não é e nem será a única mulher do mundo a ter essa mistura de sentimentos. Nós que temos dupla e às vezes tripla jornada vivemos num eterno questionamento. Mas te digo com a experiência de ser mãe, trabalhadora, estudante e esposa…nós vencemos todos esses desafios!!! Sempre!!!

  39. Fran disse: em 18.09.2015

    To chorando ainda…
    Essa sua história é tão familiar pra mim, meu garoto também é Pedro, e tenho a pequena Laura.
    Céus, como me identifiquei. Lágrimas não param de cair e eu não sei o eueros escrever.
    Gratidão a você por compartilhar…

  40. Fernanda disse: em 18.09.2015

    Nossa amiga, realmente todas nós, nós vimos nas suas palavras. Tenho um filho só é as vezes também me sinto assim. Até penso em ter mais um, já que o meu já tem 5 anos. Mas, penso nessa correria toda e estou quase desistindo. Parabéns pela garra e força. Que Deus te dê sabedoria e tranquilidade em todo o tempo. Força pra nós!!!!!!

  41. Handula Janine disse: em 18.09.2015

    Ai…q bom ouvir isso…Não estou só… Nesse momento exato estou cambaleando de sono sem poder dormir…todos os dia choro e me pergunto… Que mãe sou eu? Dois filhos e um divórcio… Não ter nosso canto…choro…choro todos os dias…tem doído bastante… Essa cobrança de mim mesma…Essa coisa q sinto…dói muito…ter q me justificar para os outros…ter q explicar q isso q sinto não tem nada haver com não estar muito feliz por tê-los… Q sim dou Graças por tudo q eles são para mim…o q dói é não me sentir tão inteira e pronta para ser o melhor q eles já são para mim… Obrigada por compartilhar seu relato.

  42. Cassia Baeza disse: em 18.09.2015

    Super me identifiquei…

  43. Gabriela disse: em 18.09.2015

    Tudo eu!!!

  44. Vanessa Paludetto Lollato disse: em 18.09.2015

    A difícil e doce arte de ser mãe, quem nunca perdeu a cabeça quando viu seu filho ou filha fazendo bagunça, qual mãe que nunca desejou estar num outro lugar, qual mãe que nunca deixou seu filho no tablete para ter 5 minutos de solidão…
    Felizmente ser mãe é errar e acertar todos os dias, não temos um manual e Deus nos fez assim, loucas, insanas e amáveis para ensinar nossos filhos o que é certo e errado.
    Eu choro todos os dias, as vezes de tristeza por não me considerar a melhor mãe do mundo, choro de alegria por ter o prazer de ter minha filha como filha…
    Temos sempre a melhor escolha, a de ser feliz.

  45. Sandra disse: em 18.09.2015

    Não se culpe, todas nós, mães, já passamos por isso… Choramos por corrigir nossos filhos e sentir que muitas vezes saimos um pouco do controle, choramos por ter feito nossos filhos chorarem, embora sempre fazemos isso tudo só pensando em acertar. Também quis muitas vezes que essa época passasse rápido. Ah… Que época boa, onde as coisas estavam em “meu” controle. Tudo vale de experiência.

    Se vale de consolo… Também já chorei muitas vezes o meu cansaço.

    Somos mães.. Não somos perfeitas… (Não lembro onde, mas já ouvi isso em algum lugar e é a mais pura verdade).

    Um abraço. E força pra todos nós.

  46. Tatiana de Antoni disse: em 18.09.2015

    “Chorei também,mas não por estar passando por essa experiencia,mas sim de saudades desse tempo em que vivi isso…Hoje minhas filhas estão com 16 e 11 anos e dependem bem menos de cuidados!!!Aproveitem muito essa fase que passa super rápido bjs

  47. Gabriela disse: em 18.09.2015

    Me sinto assim constantemente… Como eu entendo choros assim!

  48. Janaina Paeta disse: em 18.09.2015

    Tbm me senti na sua pele e sei bem oque vc sente pois sinto do mesmo geito so que no meu caso é somente uma criança um menino que tenho e tem minha mae pelo meio que no caso estraga meu filho eu falo nao e ela sim no fim ela acaba ganhando e tirando minha autoridade ele vive dizendo que nao gosta d mim que nao quer sair comigo diz que num vai morar mas comigo que nao vai dormi comigo ele fala coisas de gente grande isso pork só tem 3 aninhos mas ela(vó) fala pra ele, ela chinga na frente dele fala que nao gosta d mim xii fala um monte e ele acaba aprendendo ele eh birrento devido ela eu corrijo ele ela por traz diz que nao eh pra ele se preocupa que ela cuida dele tipo passa segurança pra ele ela vive dando presentes a ele pra pode ganhae ele aos poucos sabe sempre que sai traz algo eu coloco de castigo ela vai la e tira passa por cima d mim,e por causa dela acabo brigando com ele, ele acaba prefererindo ela do que eu e isso me magoa muito me maltrata essa situação eu ja nao sei oque faço ja tentei de varias formas mas nada tenho resultado sempre saio como errada e ruim.. Eu vivia chorando minha pressao subia vivia passando mal agora ja nem choro pois ja chorei tanto mas tanto que creio que cabei acostumando.. Eu só queria ser mãe d verdade me senti mãe ser chamada d mãe mas infelizmente me tiraro isso..?

    1. Marcele Nóvoa respondeu: em 18.09.2015

      Querida Janaina, me entristeceu o seu relato. Não sei, parece q vc mora com sua mãe? Talvez a solução para o seu problema seja vc corta o seu cordão umbilical com sua mãe. Para vc poder SER a Mãe que seu filho merece TER. Pelo q vc diz, a sua mãe não te respeita como filha e nem como mãe de seu filho. Somente Você pode mudar isso. Não espere que ela aceite ou mude. MUDE VOCÊ. Pegue as rédeas da sua vida e da do seu filho, eu sei que deva existir mil questões que vc acredita que n~]ao tenha solução, Mas TEM. Tenha CORAGEM, Mais FORÇA e Fé. Tudo dará certo. Abraços

  49. Ana Izabel disse: em 18.09.2015

    chorei muito com seu relato pois me vi inteira nele.. toda a culpa pela falta de tempo pelo desejo incontrolavel de que minhas criancas durmam o quanto antes para que eu tambem possa descansar… ao inves de aproveitar o pouco tempo que tenho com eles… que mae é essa que prefere ver o filho dormindo a ficar brincando com ele… que culpa horrivel é essa que carregamos conosco todos os dias…e ate quando vou me sentir assim, frustrada como mae, como pessoa?

  50. Léia Lima disse: em 18.09.2015

    As vezes é bom ler relatos assim pois vejo que não sou só eu..rsrs
    Como é difícil dar conta de td!

  51. Andrea disse: em 18.09.2015

    Se não tivesse crise nenhuma não teria ou não estaria criando filho… toda mãe dedicada, cuidadosa, zelosa, acha que tudo q faz ainda é muito pouco. Tenho os meus adultos, e tudo, absolutamente tudo valeu a pena, quando vejo o carinho o zelo e o reconhecimento de tudo q fiz, de tudo que abri mão em favor de dar um carinho, uma educação para eles. A cada post q um deles publicam em redes sociais, falando o q represento para eles o q significo e o quando sirvo de modelo, ahhh n tem preço… muito menos memórias ruins dos perrengues de que nós podia ou poderemos ter passado.

  52. Katia disse: em 18.09.2015

    Chorei por estar na mesma situação, principalmente por não conseguir dar a atenção solicitada e merecida pra minha mais velha. Muitas vezes o cansaço me consome e a falta de paciência chega e isso acaba comigo. Choro todos os dias por querer ser uma mãe melhor e não conseguir.

  53. elza soares matos disse: em 18.09.2015

    Lindo e triste ao mesmo tempo, mas parabéns por colocar para fora tudo o que se passa com você e com as crianças. Meu coração se apertou e chorei por me sentir assim ás vezes. Beijos e todo meu carinho

  54. Jully disse: em 18.09.2015

    Super me identifiquei. te confesso que lendo o texto, pensei: cadê o pai dessas crianças? e juro que pensei que algo mais grave tivesse acontecido, mas vi tua resposta pra Dani.
    eu tenho um menino, estudo e trabalho, e to sempre me culpando porque não consigo dedicar a ele todo o tempo que ele precisa. lendo teu texto me dei conta das tantas vezes que eu implorei intimamente que ele dormisse para que eu pudesse fazer outra coisa, sem me dar conta de que muitas vezes, eu poderia aproveitar melhor esse tempo com ele.
    lindo teu texto. retrata muito bem o que várias de nós sentimos todos os dias.

  55. luciana disse: em 18.09.2015

    Que lindo texto…sincero…de uma mãe dedicada, amorosa, e preocupada com seus filhos…Tenho certeza que você está fazendo o melhor que você pode….e como mãe hoje entendo perfeitalmente que o cansaço acumulado vence nosso amor incondicional….mãe erra, mãe não é perfeita, mas ter conciencia que podemos fazer melhor no outro dia é o que nos fortalece e o que nos estrutura….tudo vai passar…força e um grande abraço no coração!!!sem culpa, sem medo…você é o melhor que eles tem…

  56. Fernanda disse: em 18.09.2015

    Nossa, me vi há uns anos atrás. Essa era a pior parte do meu dia. Não conseguia fazer os dois comerem, nem tomarem banho. Colocá-lo pra dormir, então era um sufoco! Meu marido trabalhava fora na época. Viajava na segunda-feira e só voltava na sexta-feira. Esses fim de tarde/começo da noite eram muito estressantes mesmo. Hoje, minha pequena já fez cinco anos e o mais velho acabou de fazer nove e sabe de uma coisa? Sinto tanta saudade desse tempo que acho que devo estar ficando maluca!

  57. albani martha Costa disse: em 18.09.2015

    Chorei!! Com certeza, mas de lembrar que tb outras crianças precisam deste tempo e que nunca os terão! Lundo

  58. Michele disse: em 18.09.2015

    Chorei ao ler,na realidade sua vida é como um filme onde muitas mães vivem,mas sempre achamos que os nossos problemas são maiores do que dos outros.
    Meus filhos estão numa fase que brigam muito,meu marido é um ótimo pai me ajuda muito,mas chega um tempo em que a atenção p eles são demais,não temos tempo para nós e por muitas vezes brigamos por conta da criação deles.Confesso que eu choro pelo meu casamento,choro Pq meu marido n suporta uma mãe estérica,choro por ter que deixá-los de castigo,choro por tirar coisas que eles gostam,choro por um tapa dado,choro pelos não,sai dai,para c isso,por ser sim uma mãe muito CHATA,pois é assim q eu me sinto e n basta apenas sentir eles me falam,acreditem uma criança q dois anos já me chamou de chata.Mas eu sei que te isso é p o bem deles,prefiro ser sim uma chata que lá na frente terá orgulho dos filhos,n quero que eles sofram,mas que amor é esse pelo nossos filhos?Passamos uma vida toda sofrendo p que eles sejam felizes e se tornem pessoas do bem.Peco a Deus que cada lágrima seja recompensada lá na frente.Meus filhos são tudo p mim e acredito q p vcs tbm valerá muito a pena cada sacrifício.Bjs

  59. Romi Herta disse: em 18.09.2015

    Passo diariamente por isso à quatro anos. Não acertamos sempre, mas tento manter os dois sempre juntos, criando hábitos e horários pra comer e dormir juntos, isso m ajuda a vencer o dia e o cansaço. E com o passar do tempo eles vão criando independência e ajudando um ao outro. Conversam e aprendem juntos. E vai ficando mais fácil. Com fé e amor os momentos difíceis passam..

  60. Adriana Guercio disse: em 18.09.2015

    Eu tenho 3 filhos: um menino de 8 anos e um casal de gêmeos de 3 anos e também chorei muitas vezes por me sentir culpada por não conseguir dar a mesma atenção para os três ao mesmo tempo! Por cansar e por perder a paciência com eles depois de um dia cansativo de trabalho! O que eu aprendi e tento sempre fazer é me perdoar mais e não ser tão severa comigo! É difícil, pois a culpa sempre nos persegue, mas é preciso sermos mais generosas e benevolentes conosco mesmas, porque eu percebi que a culpa toma conta de tudo e nos impede de aproveitar esses momentos com nossos pequenos! Perdoar a si próprio é fundamental para que consigamos passar por essa fase tão difícil, mas que deixara tantas saudades!!!!

  61. Marcia disse: em 18.09.2015

    Meus filhos tem 14 e 16 anos. Ser Mae de criancas pequenas eh um periodo tao intenso q eu me lembro de detalhes de noites e dias em que tudo era dificil, assim como vcs relatam aqui. Hj eu conto p eles essas historias, choro lembrando das minhas culpas e eles me perguntam por que eu me preocupava tanto. Em resumo, nos maes sempre queremos dar mais e nos culpamos terrivelmente por qqr deslize. Nada disso eh necessario. Meu grande arrependimento eh de nao ter sido mais relaxada, de nao ter exigido menos de mim.

    1. Fernanda Muniz respondeu: em 26.09.2015

      Márcia, que coincidência. Meus filhos tbm estão com 14 e 16 anos. Conto pra eles alguma história, que aconteceu qd eles eram pequenos, tipo qd eu briguei e gritei com eles por terem aprontado ou coisas que falei e me arrependi. Enfim, estas coisas que todas nós já passamos. E perguntei se eles lembravam. Fiquei muito feliz qd eles disseram não lembrar dos eventos que relatei. E tbm aliviada por saber que os “erros” que eu julgava ter cometido não foram guardados por eles e que o sentimento maior, que foi o amor que passei, mesmo com os percalços da correria do dia a dia, prevaleceu. Outra coisa que acho que ajudou bastante, é que sempre depois das “brigas”, das palavras duras, qd a poeira baixava (depois de ter chorado rios de lágrimas) eu sempre pedia desculpas e dizia que os amava muito e explicava que, as vezes, eu estava muito cansada e que acabava ficando com raiva por causa dos problemas etc. Eu acho que essa atitude gerou uma confiança tão grande de meu amor por eles,que chegou um tempo que a minha mais velha ainda tão pequena, com uns 4 aninhos, já dizia pra mim:”

  62. Flacia disse: em 18.09.2015

    Muito obrigada por dividir conosco um relato tão verdadeiro e que é tão igual ao que muitas de nós vivemos diariamente. Sua sinceridade me comoveu e me fez enxergar tudo de forma diferente. Parabéns pela coragem de dizer a todos que a maternidade não é apenas felicidade, e ainda sim, não trocamos isso por nada.

  63. Sol disse: em 18.09.2015

    Eu chorei tbem só de ler, pq ja passei por exaustões assim e com um filho só, é duro, bjuss

  64. Vivian disse: em 18.09.2015

    Você chorou, mas o Pedro aconchegou-se e adormeceu. Competente, ele soube esperar, e assim ajudou a mãe a cuidar da sua mana Olívia! A capacidade de estar só também é muito importante e ele conseguiu, e ficou bem 😉
    Essas competências ele certamente desenvolveu numa relação de confiança e proximidade com a mãe.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 18.09.2015

      Não havia pensado nisso. Obrigada pelo carinho 🙂

  65. Juliana Riato disse: em 18.09.2015

    Que bom ler esses relatos !!! Muitas e muitas vezes o cansaço nos vence e acabamos por não dar a atenção e carinho necessário que nossos filhos merecem … Mas isso infelizmente é fruto da vida corrida que levamos nos dias de hoje …. A rotina que a Maria de Lourdes comentou é muito boa mesmo,
    desde que não durmamos juntas !!! Kkkk !!! Bom final de semana. !!!

  66. Raqui disse: em 18.09.2015

    Chorei muito lendo esse texto, pois me imagino daqui uns dias com meus pequenos e acredito que vou passar momento assim. Pois meu filho tem 2 anos e estou grávida, como dar conta sozinha de dois pequenos e ainda trabalhar fora, chegar ter toda a casa pra cuidar e ser paciente pois eles esperam esse momento com a gente. Mas somos mulheres guerreiras e damos conta sempre de tudo. Bjos amei seu blog.6

  67. Natanael Zanatta disse: em 18.09.2015

    Querida Gabriela…chorei! Chorei contigo, chorei por ti, chorei por mim, chorei pelos meus pequenos (Augusto e Cecília). Sou Pai mas chorei como mãe, pois sinto essa angústia e essa dor massacrante de ver que a vida de nossos rebentos está escapando por entre os dedos…não queria que a Ceci, no futuro, lembrasse de quanto tempo passou no IPad pra eu poder fazer o Augusto dormir; não queria que o Augusto lembrasse, no futuro, das minhas olheiras e impaciência por não conseguir colocá-lo no horário adequado na cama e poder correr de volta pra fazer carinho na Ceci; eterna dor, eterna frustração das boas intenções; obrigado por me fazer sentir humano.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 18.09.2015

      Somos humanos, cansamos e erramos muito!

      Só o fato de não nos conformarmos com o erro, já nos faz melhores!

      Adorei ter um pai participativo por aqui! Muito bem vindo 🙂

  68. Sandra disse: em 19.09.2015

    Realmente o momento mais cansativo é a hora de ir pra cama. As crianças estão cansadas, manhosas, querendo atenção… E você exausta, querendo “socorrer a todos (três no meu caso) e fazer tudo certo: O leitinho, os dentinhos, a oração, a musiquinha, a companhia e se der a historinha… E ainda guardar energia para os seus planos depois que eles dormem.
    Mães. É normal perder a paciência, afinal somos humanas. Chorar às vezes também faz bem… E as crianças vão crescer e superar todos esses momentos que achamos que fizemos tudo errado. Lidar com as frustrações é inevitável e não podemos poupá-los disso durante a vida…

  69. Daiana disse: em 19.09.2015

    Caramba!!
    Me emocionei!
    Exatamente assim.

  70. Karine Hickmann disse: em 19.09.2015

    Como é difícil essa tarefa interminável de ser mãe! Eu muitas vezes me culpo por ouvir que estou fazendo errado, que sou muito rígida com minha menina de 5 anos, quantas vezes chorei, logo que nasceu, a cada dificuldade e a cada “conselho”. Sempre imaginei que ser mãe era difícil, hj vejo que é uma dificuldade que não tem fim e a cada fase me sinto culpada por coisas diferentes e sempre me pego perguntando a mim mesma: será que sou uma boa mãe, será que estou fazendo meu papel da maneira certa, será que o que vou colher no futuro é o que luto todos os dias? Nunca sei responder e lendo seu relato e escrevendo, não tem como segurar as lágrimas! Abraços mamães e força pra nós ?

  71. Thalliz disse: em 19.09.2015

    Eu só tenho uma e é bem assim que me sinto às vezes, parece que não consigo demonstrar todo amor que tenho para ela. Gostaria muito de ter outro filho logo, mas como fico sozinha de segunda a sexta, vou esperar minha pequena que hoje tem 1 ano e 2 meses fazer 3 anos para então planejar aumentar a família. Boa sorte :O

  72. Andréia disse: em 19.09.2015

    Amigas tenho um filho que hj está com 16 e uma com 13 e ainda choro, por momentos que acho que não consigo dar a devida atenção, perco a paciência, mas daí eles dizem que sou a melhor mãe que alguém poderia ter e principalmente meu filho diz relaxa mãe e descansa…mas acho que nós mães sofremos sempre e choraremos tambem todas as vezes que nos sentirmos de mãos atadas, como dizem filho criado trabalho dobrado, precisam tanto da nossa atenção quanto um bebê, não para as necessidades básicas mas para as dúvidas da vida, as frustrações, os anseios, mas é isso aí mãe é mãe, e olha que eu larguei tudo pra viver só pra eles…fique em paz

  73. Adriana disse: em 19.09.2015

    “O mundo da culpa”

  74. Sheila disse: em 19.09.2015

    Boa noite!
    Eu sei o que sentes! O meu de 3 anos dormiu há pouco porque eu acabei deixando ele dormir durante a tarde porque eu precisava de um tempo… agora estou exausta e amanhã tenho que estar bem pois ele estará a mil! Sinto que não estou dando o meu melhor pro meu filho, estou sempre cansada e por ser “pãe” me sinto mais culpada ainda… mas o mais importante estamos dando, o amor, e acredito que é o essencial! Bom descanso para todas!

  75. Marlucia disse: em 19.09.2015

    É incrível o quanto amamos esses pequenos e o quanto nos sentimos culpados, principalmente quando olhamos eles dormirem, eu passo pela mesma situação, e penso ser uma péssima mãe, me identifiquei com seu texto, minha realidade, mas somos humanos, mesmo quando queremos dar o máximo de nós, nosso corpo e mente não acompanha toda essa energia e dependência da gente.

  76. Daniele disse: em 19.09.2015

    As histórias de repetem…tenho 2 filhos amados..um de 6 anos e outro de 1 e 8 meses….a rotina é como a sua…e as autoanálises também…eu peço a Deus que me dê calma p não descarregar no mais velho a minha incompetencia de as vezez não conseguir remediar, com paciência, conflitos ma hora do banho ou de dormir…pq os amo demais e não quero que tenham traumas oriundos de momentos de desespero e que não traduzem meu amor por eles.

  77. Juliana disse: em 19.09.2015

    Meninas. Fiquem tranquilas. Essa fase é bem difícil mesmo. (Tive o segundo filho um mês depois do primeiro completar 2 anos). Mas passa tão rápido e acontecem tantas coisas boas depois que vc acaba deletando esses momentos difíceis. Hoje eles têm 7 e 5 anos e são bem companheiros. Temos certeza que ter filhos com pouca diferença de idade vai fazer deles super companheiros. Vão com calma. Aguentem as pontas. Tudo dará certo! Beijos

  78. aluza prado disse: em 19.09.2015

    Mamães sofrem por amar demais amiga?. Sou mãe de 3 e já passei mil vezes por isso. E passarei mais milhões…porq filho é filho, hj choramos o cansaço, amanhã a preocupação pelos amores não correspondidos, o cansaço de esperar madrugada à dentro sua chegada da balada…mãe é assim. O amor verdadeiro machuca mas compensa. ? Força aí!!! Mil beijos!

  79. Patrícia Almeida disse: em 19.09.2015

    Quem nunca chorou todo o seu cansaço né? Me lembro bem da época em que as meninas eram pequenas com 1 e 3 aninhos…muitas vezes perdi a paciência, chorei e me senti uma péssima mãe. ..Hoje tenho duas pré adolescentes em casa Mila com 13 anos, Mari com 11 anos e um príncipe o Rique com 4 aninhos. ..Hoje enxergo as coisas de outra maneira, é esse meu olhar que torna tudo mais fácil pra mim e para eles tb…o Henrique é super tranquilo pq hj largo tudo para brincar com ele, para ficar observando bichinhos para ficar brincando no banho. ..tenho passado tb pelas delícias e dificuldades da adolescência que garanto não é fácil e não raro me pego chorando incontrolavelmente por achar que não darei conta…o q importa na verdade é que se erramos é por amor e eles com certeza sabem disso e nos agradecerão no futuro…obrigada querida pelo lindo texto!!!

  80. Oswaldo disse: em 19.09.2015

    Bom dia, Gabi. Criar filhos não é uma tarefa fácil, mais é uma nobre missão, ver nossos filhos crescendo e progredindo nos da uma sensação enorme de dever cumprido e orgulho. Sou pai de duas filhas, sendo que uma mora comigo, não tenho ajuda nenhuma da mãe que vive em outra cidade, também não tenho ninguém da minha família na minha cidade que possa me ajudar, mas superei todos os desafios até agora, como falta de tempo, dedicação e financeiro. Hj ela está com 15 anos, tenho muito orgulho dela e todos os valores que consegui passar para ela. É uma ótima companhia na minha vida, meu motivo para enfrentar todos os desafios que a vida apresenta dia após dia. Tenho certeza que vc encontrará sempre forças para também superar os desafios que irá aparecer, boa sorte e que Deus te acompanhe sempre.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 19.09.2015

      Oswaldo parabéns pelo carinho e cuidado com sua filha!
      Muito bom ver pais presentes que encontram um caminho mesmo que ele não seja fácil de seguir e ainda assim são felizes.

      Obrigada pelo seu relato!

  81. Camila Gadens disse: em 19.09.2015

    Li o relato e até parecia eu falando, tenho 2 pequenas, uma de 3 anos e outra com 6 meses. Meu choro é por saber q agora q volto a trabalhar tudo voltará a ser no automático, com pressa e q não vou poder curtí-las como fiz nestes 6 meses. Saber q a correria do dia a dia se tornará meu centro qdo na vdd elas é quem deveriam e mereciam ser. Choro por medo de não conseguir ser mais a mãe q estou sendo e q é a que eu gostaria d ser. Difícil ser uma boa mãe e profissional nos dias de hoje. Meu esposo divide as atividades comigo, mas aquele tempo de brincar com elas acaba negligenciado pela correria…

  82. Jeh Matos disse: em 19.09.2015

    Gabi, vc descreveu minha rotina quase sem rotina da noite! A diferença que tenho dois pequenos e meu pequeno um pouco maior!! Obrigada por compartilhar toda essa emoção!

  83. Marcela de Meneses Alfonso disse: em 19.09.2015

    Nossa nem consegui ler todos oa comentários, mas eu compartilho da dor de ser mãe de 2 pequenos. Dor porque eu queria ter SEMPRE sorrisos, abraços, farras e paciência muita paciência pros meus tesouros. Mas ser mãe, professora, dona de casa, esposa, não é uma tarefa fácil. Penso todos os dias em largar o emprego e ser mãe em tempo integral, porque meus filhos só serão crianças uma vez, e o tempopassa muito rápido. Tenho uma Olívia de 2 anos e 7 meses e um Abraão de 11 meses, e o que mata por dentro é pensar que eles já cresceram tanto e eu continuo não dando conta de tantas obrigações e de amá- los por inteiro. Noite passada achei que iria enlouquecer, os dois agitados nenhum queria dormir e eu com o corpo quebrado, sem conseguir ao menos ficar acordada, Graças a Deus meu esposo ajuda muito e tem muita paciência, porque Estou exausta!

  84. Jenifer disse: em 19.09.2015

    Olá Gabriela
    Me identifiquei muito com seus relatos… sou mãe de três crianças muito amáveis, o Lorenzo de 6 anos, Maurício de 4 anos e a Lívia com 1 ano. Trabalho fora e eles permanecem no Cmei o dia todo, enquanto estou trabalhando procura não pensar neles, mas como sou fotógrafa em um studio, muitas crianças passam por mim, e elas me fazem lembrar dos meus filhos, é difícil mas tento ser forte o máximo q posso. Final do dia não vejo a hora de abraça-los e ver como estão, como foi o dia deles…Mas as vezes tbm já me peguei em situações de desespero de não saber pra quem dar atenção,pq todos precisam de mim e eu sou só uma, e como a Lívia é menor tenho q dar prioridade à ela, e quando vejo se passou mais um dia e de novo irei ficar longe deles. Os meninos já se viram, mas me sinto culpada por não conseguir dar a atenção que precisam. Quero agradecer vc por dividir sua história com as mamães!!!

  85. Eliane Luz disse: em 19.09.2015

    O texto traduz muito de mim, mesmo agora com eles adultos ainda choro e busco dar o meu melhor sempre, mas é impossível porque somos imperfeitas. Com o meu neto tento e mesmo com ele e por ele ainda choro rs. Ah!Temos o coração nos olhos,
    correndo pela casa e pelo mundo sempre

  86. kariny disse: em 19.09.2015

    Linda mensagem e com o amor maior do mundo com nós mães as vezes nos sentimos incapazes ou desordenadas em certas atitudes!mas nosso amor fala mais alto é por eles nossa razão de viver!

  87. Adrilucia Gonçalves disse: em 19.09.2015

    E eu chorei lendo seu texto. Parecia um descrição da minha vida. Ja passei por isso e me senti um monstro e chorei muito quando aconteceu. Chorei com seu texto, pq em cada palavra lida me encontrei. .. na dor, no cansaço, na falta de paciência, no amor, na insegurança de saber q amanhã meu Pedro será do mundo. Olho todos os dias para meu filho e vejo como ele esta crescendo rápido e vem aquela nostagia e vontade de parar o tempo só para ficar curtindo o momento com meu pequeno. Lindo texto. É muito bom saberque nnós mães compartilhamos de tantos sentimentos e nos identificamos em casa detalhe. Parabéns!!!

  88. Michelly disse: em 19.09.2015

    Olha eu não te conheço, nunca tinha entrado no seu blog e cai aqui por acaso através do Facebook. Também não sou mãe e não faço ideia do que é passar por tudo isso, mas uma coisa eu posso dizer. É nitido nesse único texto que li o quanto vc ama seus filhos e o quanto se esforça por eles tanto que escreve em um blog pra falar disso. E acredite eles também sabem que vc os ama mto. Não sou mãe, mas sou filha e com mais 3 irmãos. Certamente minha mãe tbm passou por tudo isso que vc está passando, certamente em alguns momentos ela se sentiu uma péssima mãe por não dar conta disso tudo. Mas hoje eu com 25 anos se olho pra trás só vejo as coisas boas que ela fez por mim. Não lembro se algum dia eu dormi no sozinha no sofá para que ela atendesse minha irmã mais nova. Eu não sou perfeita mas sei que sou uma boa filha, porque fui criada por uma mãe assim como vc. Que um dia deixou o pequeno dormir sozinho no sofá, quem entrou em desespero e chorou todo seu cansaço. Com certeza vc é uma mãe maravilhosa. A fase é dificil mas passa, e quando seus filhos tiverem a minja idade saberão da mãe maravilhosa q tiveram e não vai importar as vezes que vc teve pequenas falhas, mas sim as vezes em que fez tudo por eles!

    1. Gabriela Gama respondeu: em 19.09.2015

      Obrigada pelo carinho 🙂

  89. Ana Maria Sirino Galindo disse: em 20.09.2015

    Também me identifiquei muito com seu comentário sou mãe de dois meninos Arthur de 3 e Davi de apenas três meses realmente me sinto também frustrada quase todos os dias por não dar conta de fazer tudo por culpa de não dar atenção adequada aos dois pequenos mas uma coisa eu faço Creio em Deus e busco nele forças e equilíbrio necessários. Creio que a melhor escolha chorar aos pés de Jesus se depender dele pois só ele é competente para nos capacitar a ser mãe de verdade.

  90. marilia oberziner disse: em 21.09.2015

    Eu tenho três filhos e as vezes n sei o q fazer. Meu filho mais velho esta com 11,ele ta sempre respondendo e tenho mais paciência ,n sei o q fazer tenho um bebe de dois anos q precisa de atenção e ainda trabalho fora no período da tarde, me sinto sozinha, cansada, frustrada por n conseguir lidar com a situação.

  91. Regiane disse: em 21.09.2015

    Gabriela, difícil missão de ser mãe, esposa, dona de casa, mulher maravilha, psicóloga e tantas outras profissionais!! Também tenho passado por isto! Sou mãe de dois meninos um de 08 e outro de 01 ano e quatro meses!! O mais novo, tem uma energia sem fim, o mais velho, chega cansado, pede por socorro “quer atenção”, tem para casa intermináveis!! Jantar para fazer, as horas passando, o cansaço gritando!! E eu ali, lamentando, que queria poder chegar em casa e simplesmente poder ficar com eles, sem pensar nos afazeres!! Nos resta, acreditar e ter fé em Deus que vamos vencer!! Boa sorte!

  92. Vanusa disse: em 21.09.2015

    Chorei muito lendo seu relato… E principalmente chorei por saber que não estou sozinha…. Quando olho o Raul com 3 anos e o Miguel com 4 meses, as vezes acho que não vou dar conta e esqueço o mundo à minha volta…parece que sou a única mãe no universo a ter esse sentimento de impotência…Obrigada por partilhar seus sentimentos e colocar pra fora o que eu não consigo…

  93. Paola Mazzaferro Kratz disse: em 21.09.2015

    Gabriela, parabéns por colocar em palavras o sentimento de tantas mães. Sei que o texto não traz soluções ou fórmulas secretas, mas o simples fato de sentirmos que existem outras pessoas que passam por situações parecidas às nossas nos traz um certo conforto e ânimo para atravessar esse momento que passa tão rápido feliz ou infelizmente…

  94. Ju Santna disse: em 21.09.2015

    Eu tenho gêmeas, hoje com 9 anos, q nasceram prematuras e até os 5 anos ficavam doentes quase que toda semana. Ontem, fiquei arrasada qdo vi que deixei as duas o dia todo nos celulares, brincando, assistindo videos, enquanto eu dava um jeito na casa e tentava descansar da semana exaustiva. Me senti culpada demais, falei isso pra elas e quem me consolou? As duas. Falaram q sou uma ótima mãe, q elas adoravam ficar brincando assim e que não precisava ficar chateada. Como me identifiquei com esse texto….

  95. Jean disse: em 21.09.2015

    Olá Gabi! Realmente muito tocante o seu relato e eu sei que muitas mães passam pela mesma situação. Aqui em casa é um pouco diferente, pois por opção eu, o pai, cuido das crianças e minha mulher é quem trabalha fora. Nós dois somos muito impacientes devido ao corre corre do dia a dia. Assim como você temos um casal de filhos, João Paulo e Maria Luiza, e hoje eu sei o quanto é difícil cuidar de dois, não que um só não seja. Depois que tive filho eu costumo dizer que criar um ser humano é o décimo terceiro trabalho de Hércules, só sabe quem passa. Vi o relato de algumas mães ai dizendo que deixam os filhos entretidos com objetos celulares, tv, tablet e outros, e infelizmente muitas vezes eu e minha mulher fazemos o mesmo. ela cansada do trabalho fora de casa e eu cansado do trabalho dentro de casa com eles. É uma situação com a qual nos deparamos diariamente e muitas vezes não sabemos como lidar com ela. O bom é que cada dia é uma nova chance de fazer diferente e melhor, mesmo não conseguindo às vezes. E sempre chega o momento em que esse amor incondicional que temos pelo nossos filhos se sobrepõe a qualquer situação do dia a dia, por pior que ela seja. Deus abençoe a todos.

  96. Aline disse: em 22.09.2015

    Ue… que horas eu escrevi isso?
    Profundamente identificada!

  97. Patrícia disse: em 22.09.2015

    Gabriela, como chorei lendo seu relato!!!
    Aqui muitas vezes acontece tudo exatamente como você descreve no texto, tenho um filho de 4 anos e um casal de gêmeos de 7 meses, muitas e muitas vezes perco a paciência com o mais velho, quantas vezes ele desmontou sozinho no sofá da sala, quantas vezes me chamou para brincar e eu não podia porque seus irmãos estavam me tomando todo o tempo… Sinto que não tenho controle de nada, não consigo sentar no chão para brincar com ele como merece, nem para desenhar, nem para assistir um desenho ou simplesmente lhe dar um colo… Uma tristeza sem fim essa situação, seu relato foi um abraço virtual que senti nesse momento, bom saber que compartilhamos do mesmo sentimento e da mesma opinião! Obrigada mesmo!

  98. Adriana Reis disse: em 22.09.2015

    Eu sei c a d a peso e significado das suas palavras. Sinta o meu abraço!
    Tb sou uma mãe que as vezes chora e clama força para Deus para seguir em frente!
    E vou me lembrar das mães que aqui se manifestaram.
    Deus abençoe a nós e nos dê sabedoria para continuar.
    Com carinho!

  99. Maria alice disse: em 22.09.2015

    Olá mães!
    Eu como várias de vocês chorei. E me senti melhor pq soube que não sou a única a sentir isso. Ainda ontem minha filhinha de 3a perguntou pq eu estava brava. Tadinha… Tão inocente… E eu estressada por toda correria do dia a dia. Obrigada por escrever sobre seus sentimentos pois nos ajudou muito. Um bj

  100. Suzanne disse: em 22.09.2015

    Como é aliviado perceber que as pessoas passam por coisas tão parecidas. Confesso que fiquei com uma única inveja: não choro! Por mais que eu queira e olha que estou precisando. … Não sei mais como fazer!!!! Choro por dentro e vou levando comigo o cansaço e a fadiga de não ser a mãe que planejei ser. Beijos carinhosos e saiba que vivi muitas vezes isso. Vai passar…..e ainda assim terá outros choros para chorar, uns de alegria e outros desses assim ..

  101. Samara disse: em 22.09.2015

    Eu não sou mãe, mas sou a filha de uma mulher, que como muitas de vocês trabalhou 2 períodos, como professora por anos, ela acordava de madrugada pra fazer nossa comida, passou anos vestindo as mesmas roupas e sem qualquer luxo pra conseguir pagar uma escola particular pra minha irmã e eu. Minha mãe é humana gritava, batia,perdia a paciência, minha mãe é esposa, minha mãe é um ser social, minha mãe é uma mulher e tem suas vaidades,minha mãe é uma heroína me ensinou à ler, cuidou de mim, me protegeu, chorou por mim, cantou pra mim, quando ela cansava colocava um disco de vinil com histórias infantis, comprava cadernos de colorir e massa de modelar. Fiquem tranquilas meninas eles vão crescer pra se tornarem homens e mulheres de bem, vão compreender a humanidade e a limitação de vocês, e vão ama-las e respeita-las, porque mãe é tudo de bom.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 22.09.2015

      Que lindo depoimento Samara!

  102. Paula disse: em 23.09.2015

    Li muitos comentários além do tocante texto abordando um assunto que envolve um dos sentimentos mais puros que existe, o amor aos filhos. Tenho uma menina de 6, a pessoinha mais importante do meu mundo! Fiquei comovida com histórias de muitas mamães, e para cada uma quero dizer que vcs são e sempre serão as melhores mães do mundo por simplesmente estarem fazendo seu máximo e identificando onde podem corrigir, uma mãe que se importa com seus filhos enxerga tudo isso, nunca se esqueçam que tudo são fases e tudo passa, a única coisa que não pode faltar é dar abraços beijos e conversar a cada situação, às vezes 1 minuto de papo a criança pode refletir, e vc ganhará aos poucos mais tempo apenas por ensinar explicando olho no olho. Vcs são lindas e sintam-se abraçadas por mim com muito carinho! Deus as ajude e abençoe o lar de vcs! Ah e coloquem sempre os papais pra ajudar, pois futuramente até eles irão agradecer mesmo não querendo hoje! Quando voltei da licença maternidade até pra buscar ela pra mamar ele tinha a vez de acordar e ir pegar no berço, procurei dividir desde o começo, mas nunca é tarde!

  103. Adriana disse: em 23.09.2015

    Nossa, me vi muito no seu texto. Tenho 4 meninos com distância de 1 ano entre o 1º e o 2º e de quase 3 entre o 2º os Gêmeos e já chorei muito de cansaço. Tinha hora que faltava mãe… passou. E de fato me sinto como se tivesse perdido muita coisa, mas sei que não deu pra ser diferente.E é assim: A gente faz o que dá conta e a força é mesmo o amor. Bj grande pra vocês.

  104. Silvani disse: em 23.09.2015

    E tantas que choram por não passar por isso.vcs são abençoada. Bjs a TDs .

  105. Fatima disse: em 23.09.2015

    Tb estou passando por isso tenho tres bebes,dificil dar atençao aos tres!! Dificil dar conta de tdo sozinha!!!

  106. Sara Mascarenhas disse: em 23.09.2015

    Eu toda!!! Eh realmente difícil!

  107. FLORA disse: em 23.09.2015

    primeiro: sentimento de culpa é inerente à condição de mãe!
    segundo: faça menos drama, pense menos na arrumação e seja mais alegre. Rir é sempre o melhor remédio.
    terceiro: experimente colocar os dois pra dormir ao mesmo tempo! è uma ideia!
    Quarto: não me diga “Ah, ela não sabe do que está falando” Eu sei, garanto que sei.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 23.09.2015

      Imagino que saiba o que está falando. Ainda não consigo coloca-lo para dormir na mesma hora porque a Olivia só dorme mamando e como ela passará por uma cirurgia em 3 dias, alterar esta rotina agora pode deixar minhas noites ainda mais difíceis.

      beijinhos

  108. RENILLA SORIANE disse: em 24.09.2015

    Gabriela, me vi em alguns momentos de sua historia, tenho um pequeno de 2 anos e 10 meses, muitas vezes choro, por medo, por sentir que não estou certa, me culpo muito por tudo… sou mãe solteira, e não tenho parentes próximos, então fica mais difícil ainda, fazer tudo sozinha, trabalhar fora, ser dona de casa, mãe, pai…. são muitas frustações para um mãe de primeira viajem… mais quando olho aquela carinha gorda falando um ” mamo voxe” eu esqueço qualquer dificuldade, qualquer obstaculo e sigo em frente… Amor maior que o de mãe não existi…

  109. Delzuite disse: em 24.09.2015

    Identifiquei-me profundamente.

  110. graziele disse: em 24.09.2015

    Oi mãe, eu já me vi quase na sua situação. Porque eu só tenho um filho e o papai ajuda muito. Mas já chorei de cansaço e de frustração em momentos q tudo parece dar errado. Tente curtir a bagunça, tente rirdo que dá errado, tente ficar com seus dois filhos juntos na cama, conversando, tome banho os três e façam desenho no box do banheiro, peça pizza, acostume com a bagunça da casa, não se preocupe em colocar a mesa, não se preocupe com a toalha jogada na cama, agradeça as dificuldades porque acredite tudo poderia ser pior se um dos três adoecesse. Divirta-se com seus filhotes. Bkos

  111. Fabiana disse: em 24.09.2015

    Eu tenho dois meninos, o mais velho de 3 anos e meio e o pequeno de 1 ano. Estamos numa fase complicada. O mais velho com muito ciúme, machuca o pequeno, pega os brinquedos que o pequeno tenta brincar, faz birra se joga no chão, enfim, um final de dia daqueles de chorar. Tentamos fazer o melhor possível para ter um ambiente calmo, mas é quase impossível, volta e meia saem alguns gritos de “para” ,” solta o mano” e por aí vai. As vezes caio no choro pelo cansaço, pela frustração de não dar conta e não ter a calma suficiente para lidar com as situações, e também pelo fato de sermos muito cobradas pela sociedade, para sermos mães perfeitas totalmente equilibradas iguais a Super Nany. Hj se pudesse aconselhar alguém com certeza diria para não ter dois filhos tão próximo um do outro. Já se foi o tempo de ter um atrás do outro. Bjss em todas e coragem

  112. Michele disse: em 25.09.2015

    Obrigada por compartilhar esse momento conosco, pois através do seu relato e de outras mães fez com que eu me sentisse normal como todas vocês. Pois ontem a noite antes de ler seu relato estava chorando muito de cansaço, dor nas costas,com minha pequena de 40 dias no colo sem parar de chorar e me sentindo uma péssima mãe, pois meu outro filho já tem 14 anos e com ciúmes da irmã não me ajuda em nada. Como ele já é adolescente,eu e minha casa era impecável, nada fora do lugar,hoje com a bebê, minha casa,carro,e eu..vivem largados,e eu me cobro muito por isso,pois não consigo dar conta de tudo,e só hoje após ler esses relatos pude entender que tudo isso é normal. Graças a Deus tenho um marido que trabalha meio período à tarde e me ajuda muito,mas ainda não é suficiente para organizar tudo. E ainda tenho muita insegurança na hora de voltar para o trabalho,pois trabalho a noite e sei que vai ser impossivel conseguir dormir de dia com a bebê ainda pequena tão dependente de mim,e fico com dó do meu esposo que vai ter que cuidar sozinho dela à noite toda e trabalhar de dia. Quem inventou licença maternidade nunca foi mãe, pois deveria ser no mínimo 1 ano,pois os bebês são muito dependentes da gente. Mas tudo vai passar. E agora que sei que sou uma boa mãe como todas vcs, vou encarar tudo de um jeito melhor,mesmo sabendo que vou chorar muito ainda,e nesse momento vou entrar aqui e ler tudo isso de novo para me dar força. Obrigada a todas!

  113. Eliane Amaro disse: em 25.09.2015

    Lindo relato tbem chorei, chorei e chorei… Passo por isso de segunda a sexta, gostaria de ter mais tempo para meus pequenos, dois meninos lindos um de 8 anos e o mais novo 1 ano e 9 meses. É dificil mas pedimos força pra Deus e seguimos. Super beijo

  114. Suelen disse: em 25.09.2015

    Bacana seu relato. Ser mãe é dolorido muitas vezes, mas não se culpe, você faz seu melhor. Apenas uma dúvida: cadê o papai nessas horas para ajudar?

    1. Gabriela Gama respondeu: em 25.09.2015

      Papai estuda de segunda a sexta. Está no último semestre da faculdade. Quando está em casa, ajuda com as crianças e mais ainda com a casa. Nunca lavei louça depois que casei rsrs

      De segunda a sexta é difícil aqui sem papai!

      1. Suelen respondeu: em 25.09.2015

        Que bom Gabriela! Também tenho 02 filhos, um menino com 11 anos e uma menina com 03 anos. Cuide de sua sanidade, seja menos perfeccionista e não queira cuidar de tudo ao mesmo tempo. Não leve tudo tão à sério. Sabe… deixa rolar de vez em quando, não há mal nenhum nisso. Bjs.

  115. Ana Cláudia disse: em 25.09.2015

    Gabriela, você me motivou a escrever um texto, pois ao ler o seu, bateu uma saudade enorme do tempo que meus meninos, hoje com 19 e 17 anos, eram pequenos. Como faço para te enviar o texto? pois espero que ele possa te ajudar.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 25.09.2015

      Ana Claudia, tudo bem?

      Escreva para: gabriela@aprendizadosdemae.com

      Lá conversamos melhor ok?

  116. Lara disse: em 25.09.2015

    Nossa, incrível como nos identificamos e nos sensibilizamos com as histórias de outras mães. A magia da maternidade vem acompanhada com o sentimento de “quero dar conta de tudo”.
    Às vezes me sinto tão cansada…
    Tem noites que eu sento no chão do quarto deles (Maria de 3 e Francisco de 2) e fico admirando o soninho. Me sinto tão plena ali. Me recarrega. Nessa paz, eu reponho toda a paciência que me falta durante a correria do dia-a-dia.
    Muito bom o texto.

  117. Mariana disse: em 25.09.2015

    Chorei ao ler tudo o que sinto!
    Não tenho dois filhos, mas tenho um esposo que cobra mais que um filho rs.
    Me pego pensando nisso e nessa situação, as vezes pela correria dos nossos afazeres não consigo sentar e simplesmente brincar, e isso dói mais que qualquer tapa na cara.

  118. Nilce Nakamura disse: em 25.09.2015

    Gabriela, eu entendo bem essa fase e o que vc está passando…tenho 4 filhos, atualmente todos adolescentes, entre 19 e 13 anos…mas ja fiquei muito tempo frustada, chorando sem parar no banheiro, por cansaço, por aflição, por tudo…meu marido trabalhava o tempo todo, e estudava, e eu ficava em casa com todos, a hora de dormir era sempre um sufoco, mas olhando para trás, até me dá uma certa saudade…acho que agora estou começando a viver a síndrome do ninho vazio, pois os mais velhos já não moram comigo, foram embora para SP para estudar…eu moro em Manaus e apenas meu filho caçula vive comigo…mas o que eu quero dizer, assim como tudo na vida, essa fase vai passar, e tudo o que vc tem feito, com todo esse amor, vai valer a pena…com carinho Nilce…

  119. Marianna disse: em 25.09.2015

    Nossa, você expressou em palavras o que todas as mães ( de 1 filho, + de 1, donas de casa, e que trabalham fora) o nosso maior medo: de ser uma mãe ruim. Eu que sempre trabalhei fora, ao chegar em casa cansada, muitas vezes fui estúpida com meu filho mais velho por não querer ajudá-lo com o dever, fui ausente com o mais novo ao deixar a brincadeira para depois e encontrá-lo dormindo… Só Deus sabe todos os nossos medos e arrependimentos. E nós temos que aprender com cada um deles para evitar que se repitam. A vida é feita de momentos. Não podemos deixar que nenhum nos escape. Fica com Deus, essa fase vai passar.

  120. Nilza Almeida disse: em 25.09.2015

    Gabriela, sensacional o seu depoimento. O problema é que nos a vamos com a obrigação de darmos conta de todos os papéis que as mulheres foram assumindo ao longo do tempo. Ainda nos mantemos fiéis à fantasia da Mulher Maravilha.

  121. Rosangela Alves disse: em 25.09.2015

    Li o seu texto e achei lindo e verdadeiro. Já passei por isso e sei muito bem o vc está sentindo. Mas o tempo passa tão rápido e quando vemos eles já cresceram e deixaram de ser os nosso bebes. Hoje , com os filhos criados sinto saudades dos meus bebes que já estão me dando netos. Curta o mais que puder seus filhotes .Abraços

  122. Marcela disse: em 25.09.2015

    Nossa, nunca li algo tão verdadeiro e tão parecido com o que vivo e sinto… tenho um menino de 8 e uma menina de 5 anos… chorei demais com seu texto! Tenho chorado por todos esses anos, como é difícil e doloroso… 🙁

  123. Jeovana Leticia disse: em 26.09.2015

    Nossa me identifiquei, chorei já na primeira parte, me recordando dos meus últimos 5 meses com o nascimento da minha segunda filha. O tempo que está passando tão depressa e eu não estou podendo aproveita, perdendo cada momento importante,único e que não volta. Hoje também já tinha chorado pois minha primogênita de 4 anos, exaltou chorando: ” mas a senhora só trabalha”! E aquilo cortou meu coração, a coloquei pra dormir e pensando… Senhor será que nunca serei uma boa mãe? ?
    Mas com a “mão” na consciência,sequei as lágrimas, juntei as forças lembrando de cada sorriso que recebo delas e percebi que sim, sou uma boa mãe, pois tudo que faço e por elas, tenho que lutar agora, pra que lá na frente, não passem pelo que já passei e que sejam felizes e realizadas. Assim sim serei completamente feliz vendo o resultado de todo o esforço feito por mim. Só tenho agradecer ao Nosso Pai pelo mais precioso presente que a vida me deu. Sem elas nada sou. Muito obrigada Senhor! Você é um exemplo de mãe Gabriela, parabéns!

  124. Paula disse: em 26.09.2015

    Uma pergunta: Cadê o pai destas crianças????????

    1. Gabriela Gama respondeu: em 26.09.2015

      O pai que é um pai extremamente presente e participativo, estuda de segunda a sexta e chega em casa meia noite. Então os dias dificeis são durante a semana!

  125. Carla Mariles disse: em 26.09.2015

    Chorei junto com vc!

  126. Roseli Silva disse: em 26.09.2015

    Chorei…..me identifiquei muuuuuiiiiitoooo com seu relato, pois é extamente o momento que estou vivendo. Tenho um casal de filhos. Um menino de 3 anos e uma menina de 9 meses. Tem dias que penso que vou ter um piripaque. Choro horrores.

  127. debora disse: em 26.09.2015

    Chorei ao Ler pq passo exatamente a mesma coisa. Força!♡ Deus seja contigo.

  128. Beatriz Zogaib disse: em 27.09.2015

    Querida, sinta-se abraçada. Vou compartilhar seu texto com a seguinte legenda: “assustadoramente eu…”. Ando exatamente assim, chorando todo o meu cansaço e frustração em não dar conta de dois e da demanda que tenho diariamente. Também me pego louça nesse horário. E hoje foi um desses dias que só chorando… Mas escrever ajuda né? No blog (Mãe da Cabeça aos Pés), tem muito texto meu falando disso. É assim vou encontrando forças… Porque não estamos sozinhas… Meu último desabafo foi sobre a viagem de uma
    Semana do marido… Imagine? Mas sobrevivi. É, a gente sobrevive. E sempre dando nosso melhor… Beijo grande e parabéns pelo texto!!!

    1. Gabriela Gama respondeu: em 27.09.2015

      Obrigada Bia, pelo depoimento e pelo compartilhamento!

      Mães sobreviventes 🙂

      UFA

  129. Tayna Amoretti disse: em 27.09.2015

    Bom dia,

    Você não está sozinha nessa, também tenho dois filhos pequenos uma menina de 2 anos e 8 meses e um menino de 1 ano e 4 meses, diferença pouca, quando eu tive o meu pequeno eu sofri de ansiedade e dava um desespero angustiante, tinha medo de não dar conta de dois e ficava preocupada de dar atenção para minha filha, ate porque eu n tenho ninguém para me ajudar a tomar conta deles, só o meu marido, mas ele trabalha o dia todo. a hora mais dificil para mim é quando tenho que levar e buscar minha filha na escola, moro em ladeira e as vezes estou exausta, mas desço e subo com ele no carrinho e minha filha no colo (porque ela pede colo) e é muito cansativo, porque ela ta mt pesada, mas eu dou graças a Deus que eles são levados e aprontam, porque isso quer dizer saúde. E não somos perfeitas, somos humanas e não robôs e as vezes deixo mesmo eles no berço para dormirem sozinhos.

    tudo de bom para vc e seus filhos.

    bjs

  130. Marta Sousa disse: em 28.09.2015

    Sou mãe apenas de um mas trabalho home office e não tenho babá ou qq ajudante.
    Estou aqui lendo seu texto com os olhos fechando depois de um fds de farra infantil e de uma noite exaustiva de muitas mamadeiras e nariz entupido.
    O cansaço é frequente e o nosso limite fica cada dia mais perto. Mas vamos caminhando, afinal fomos escolhidas para ser mães não por acaso. Nós conseguimos!

  131. Gislene disse: em 28.09.2015

    Ser mãe e profissional não é fácil, sempre sentiremos culpada muitas vezes acontecia isso comigo. Amiga força Deus é contigo.

  132. Elaine Bastos disse: em 28.09.2015

    Poxa, como eu te entendo. Sou mãe de 2 Homens 19 e 17 anos, e 1 menininho q vai fazer 2 aninhos. Fui mae aos 15 anos e logo depois veio o segundo, nossa, eu nem sei como dava conta pq ainda trabalhava fora e estudava, mas me lembro q el todo meu tempo livre em q eles estavam acordados, estávamos brincando ou eles estavam me ajudando. Hj com meu pqno, não trabalho fora nem estudo, e msm com meu tempo pra cuidar da casa e dele sendo vem maior q qdo os outros eram pqnos, eu sinto q não dou conta e varias vezes me pego chorando..
    Acredite flor, vamos dar conta, duvidas sempre teremos mas são elas q nos fazem melhores!
    Boa sorte pra nós! um abraço!

  133. Fabiana disse: em 29.09.2015

    Parece que estou lendo minha história.
    Até o horário que tudo acontece 18h às 21h.
    mas não me preocupo com a bagunça da casa….aproveito este horário para cuidar bem deles….quando vejo que não dá mais de vê a desorganização da casa, levanto as 5h da manhã enquanto estão dormindo para fazer os serviços da casa…..
    Choro muitas vezes todo o meu cansaço….
    amo demais meus filhos….Iago Antonio e Luara

  134. Daniela disse: em 30.09.2015

    primeiramente lindo o nome dos seus filhos, meu filho se chama Pedro e se um dia eu tiver uma filha irá se chamar Olivia (nome dos meus avós paternos), choro sempre o meu cansaço, quando vou carregando tudo nas costas penso comigo mesma, preciso chorar ou não vou aguentar, me arrependo, me frustro muitas vezes, acho que esse é o significado da vida, aprender com as frustrações para que no dia de amanhã possamos acertar, estamos juntas nessa, você, eu e milhares de mães

  135. Mirella Costa disse: em 30.09.2015

    Olá,
    Li este texto com um nó na garganta! Tenho três meninos de 16, 14 e 7 anos, não trabalho desde que o primogênito nasceu. Mesmo tendo o dia todo pra eles, quando os dois mais velhos eram pequenos eu passava pela mesma situação que você passa hoje. E quando o mais novo nasceu me enganei em ter pensado que seria diferente.
    Hoje sinto tanta falta de pegá-los no colo e fazê-los dormir balançando-os em meus braços!
    Quanta saudade dos meus pequenos…
    Sinto que poderia ter brincado mais com eles, ter dado menos broncas, te-lôs abraçado mais… Meus meninos, lindos cresceram rápido demais!!!

  136. Mristela Galvão disse: em 30.09.2015

    Profundo relato. Não tem como não se emocionar, principalmente se passamos por algo parecido. Mas certamente sua dor é minha e de muitas, talvez de outras sejam até pior mas não sentimos a dor dos outros, sentimos apenas a nossa e muitas vezes, nem temos tempo de “curtir” essa dor. Peço a Deus que te conceda graça pois a graça é bênção. Não peço paciência pra que vc n seja testada, e peço por fim que Ele te afastes dos maus pensamentos. Eu sempre penso, quando vou perder a calma, que pra ela agente pode ser sempre preguiçosa e podemos deixá-la pra depois. Nem sempre funciona, mas vale a tentativa. Fica com Deus.

  137. MERY disse: em 30.09.2015

    exatamente assim…saio de casa as 07:30 e retorno as 19:30 trabalho com fopag e bem estressante chego em casa com cansaco mental…nao consigo me doar para o meu filho q jaja faz 3 anos e percebo isso q ele nao cabe nos meus braços ja dorme sozinho…tbm nao gosto de deixa lo com eletronico mas é qdo consigo dar conta da casa da janta e dps mde tudo isso…temos ter folego pra sentar chao e brincar…me sinto um lixo de ser humano a pior mae q nao consegue dar conta de uma criança…me sinto mal muito mal…obrigado por poder desabafar…abraço forte em todas as mamaes dqui…as x o q precisamos e so ouvir…eu te entendo…

  138. Maria Edmeia Dias. disse: em 01.10.2015

    * Nos mães choramos MUIIIIIIIIITTTTOOOO e , geralmente , ninguém vê !!! 🙁

  139. Romenia Alves disse: em 01.10.2015

    Gabriela,

    O texto diz muito e tudo… senti exatamente isso essa semana… é bom sabermos que as nossas dúvidas e sentimentos são compartilhados com outros.. e que, cada mãe, ama a sua maneira, que todas passamos por momentos bons e ruins! Tenho aprendido muito com meu filho… Muito bom o texto!

  140. Vanessa Tavares Melo disse: em 01.10.2015

    Choreeeeeei muitíssimo, exatamente o que estou passando no momento. Bom poder ver o desabafo de uma mãe, o que na verdade acaba por ser o de várias mães, que não sou só eu passando por isso, mas que existem muitas outras mães com o mesmo sentimento Brasil a fora. Queremos que eles hajam da nossa maneira, do nosso jeito, nós é que temos que nos adequar à bifa deles. São crianças, pequenos seres. Chorei até não ter mais lágrimas para derramar #

  141. Mariana disse: em 04.10.2015

    Nossa lindo seu relato a forma como descreve lembrou me também do meu menino de 4 anos que as vezes tem que esperar eu cuidar do de 1 ano para depois por ele para dormir. E já o vi dormindo no sofá também rs …

    Aqui eu optei por ter uma vida com menos dinheiro (bem menos) e menos corrida … Eu não trabalho mais fora, então consigo colocar uma rotina onde os 2 vão dormir tranquilamente as 20:30 em ponto. E depois desse horário que trabalho em casa com artesanatos que vendo.

    Acredito eu que esse é um reflexo das famílias modernas, eu admiro muito muito vocês, vocês mulheres independentes se trabalham ou não tem muito o meu respeito por serem mães, por criarem com amor, com a força e o tempo que tem!

    Muita paz e serenidade no coração de todas vocês e no meu também para que sejamos receptivas as mudanças da vida, e os problemas nos dão a capacidade de nos sentirmos mais forte, mais confiantes e além do que acreditávamos ser.

  142. tatiane disse: em 15.10.2015

    Chorei com seu texto. Sou mãe de uma menina linda, morto por ela. Sou completamente frustrada por ficar 14hs fora de casa, e dar atenção enqt estamos no trânsito e um pouco em casa. Frustrada em ver minha bb virar uma mocinha e nao saber em que momento essa mudança começou. Em ver ela comendo sozinha e escolhendo roupas com apenas 1 ano e 7 meses. Frustrada em saber que nao consigo conciliar trabalho, casa, marido, filha. Chorei e choro por muitas vezes e ainda ne sinto a pior mãe do mundo tentando entre erros e acertos ser a melhor p ela.

  143. Daniele disse: em 16.10.2015

    Nossa e eu chorei muito ao ler o seu relato. Tenho dois meninos,um de 10 e um de 7 anos e uma menina de 6 meses. Trabalho fora,saio de madrugada e chego entre 19 e 20 hrs. Tem dias q estou extremamente cansada e meus meninos querem brincar,é muito difícil. Além da bebê q exige mt atenção também.

  144. Ana Paula disse: em 20.10.2015

    Eu chorei tbm com vc! Chorei Pq me vi. Chorei Pq vi minha casa assim! Minha filha dormindo sozinha no sofá, enquanto amamento o irmão! Dura realidade, mas doce tbm. Acredito q minha mãe passou a mesma coisa. Mas o q conforta é saber que vai valer a pena! Deus nos abençoe nesta linda é difícil missão. Mil Bjus querida!!!

  145. Fabiana disse: em 20.10.2015

    Eu choro também de tristeza pois tenho um com 3 anos e meio e o caçula de 1 ano. o mais velho bate no menor faz coisas que me deixa extremamente chateada. Passo a manhã com os dois, o que julgo um privilégio em tempos que as crianças desde pequenas frequentam escolinha, por outro lado as vezes tenho vontade de sumir por tantos gritos de para, chega, não bate no mano, devolve o bico, palmadas muitas vezes…um verdadeiro stress. Penso em colocar o mais velho o dia todo na escola e ao mesmo tempo me culpo por estar tentando me livar ao invés de enfrentar o problema. Dificil tarefa de ser mãe, esposa, profissional etc, etc, etc. e nossos pequenos serão pequenos somente agora. isso que mais me desespera. Saber que estamos perdendo o melhor fase dos nossos filhos…. choro e ainda vou chorar muito

    1. Gabriela Gama respondeu: em 21.10.2015

      Fabiana, eu procuraria ajuda de uma profissional. Um psicóloga infantil, nem digo que ele precisa de terapia, mas talvez você precise de orientações em como lidar com ele. Eu fiz isso quando a Olivia estava para nascer e foi muito importante. recomendo!

  146. Thayane disse: em 25.10.2015

    Assim como a maioria, também chorei. Tenho um casal, Daniel de 3 anos e Bia de 1 ano e meio. O que mais me dói é a falta de paciência nos momentos de exaustão. Me sinto uma péssima mãe…
    O que a gente faz hein? Eu oro pra que tenhamos sempre muita paciência…

  147. Bruna disse: em 25.10.2015

    Foi inevitável as lágrimas quando li esse seu desabafo.
    Tenho uma linda princesa de 1 ano e 5 meses. E estou grávida de 10 semanas. Desde já insegura, amedrontada. Pois já é tão difícil com ela, e penso: logo estará mais um.
    Mais somente o amor verdadeiro, a paz e a sabedoria de Deus vai me ajudar, vai nos ajudar a trilhar dias mais leves.

  148. elio galli filho disse: em 27.10.2015

    Olá Gabriela!

    Lindo relato. Sou solteiro, não tenho filhos, mas chorei ao ler seu texto. Não por suas agruras acerca da meninada (são esperadas), mas sim pelo amor e dedicação de ser mãe! Chorei pela minha mãe também. Me emocionei! Parabéns! Seus filhotes são lindos!!!

  149. josiane disse: em 27.10.2015

    E não querendo desanima las mas quando achamos que vamos parar de chorar (os meus estão com 15/12 e 4) a gente chora de novo com as incertezas, com as descobertas, com a dúvida de saber se fez ou não um bom trabalho; enfim acho que nunca pararemos de chorar. ..

    1. Gabriela Gama respondeu: em 28.10.2015

      Josi eu ouço tanto isso. Só muda o motivo, mas o choro continua!

  150. fabiane disse: em 27.10.2015

    Nossa só muda nomes mas personagem é mesmo… Como é duro passar por isso tbem chorei do começo aí fim… mas sei que com tudo sou uma boa mãe mas …… fica difícil sozinha. ….

  151. Fernanda disse: em 27.10.2015

    Querida, choreicom o texto. A realidade demuitas amigas minhas, e as vezes a minha(meu marido costuma dividir muita coisa, mas as vezes precisa viajar). Ja pensou em formar uma rede de maes? assim uma ajuda a outras? estamos montando isto na escola da minha filha, é uma escola pequena e nos conhecemos todos. De qualquer mandeira sinta-se abraçada, queria poder fazer algo.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 28.10.2015

      Obrigada pelo carinho e acolhimento 🙂

  152. Phâmela Borges Oliveira disse: em 28.10.2015

    Não chorei lendo seu texto por apenas uma motivo minha querida!
    E vc precisa saber…não chorei porque descobri que não sou a única que me pego em situações como essa, sua história de vida me faz ver que nós MÃES passamos pelos mesmos dilemas.
    E olha meu filho já está sabendo se defender de quando estou atolada de trabalho, ou sufocada com pouco tempo para tantas funções!!!
    Por incrível que pareça desde ontem me vi obrigada a mudar meu comportamento com ele para que ele não deixe de querer o meu colo(o que já estava acontecendo)
    Eles vão crescendo e aprendendo a lidar com a vida logo cedo tadinhos rsrsrs…
    Mas o amor que sentem por nós é muito grande, e como vc disse não podemos perder tempo pq logo eles crescerão e nós vamos ficar chupando os dedos querendo eles nos solicitando o tempo todo!
    Tente não se preocupar tanto com tudo a sua volta, como: casa organizada, cozinha perfeita…essas coisas sabe? Tenho feito isso para ter mais tempo com ele e acho que estou no caminho certo por enquanto!
    Meu filho começou a me responder NÃO em tudo que eu o perguntava ou o ordenava e pasme…acabei descobrindo que ele estava me imitando! Foi assustador!
    Agora procuro disfocar do assunto, ou explicar de uma maneira mais amorosa. O não de vez em quando vai ter que acontecer com certeza, porém jamais quando houver a possibilidade de voltar atrás como por inúmeras vezes eu fiz para o meu próprio conforto.
    Enfim linda, Deus abençoe vc e sua família! Cuidar de criança é um privilégio muito especial concedido à nós, e tenha a certeza que no fim tudo dará certo!!!

  153. Flavia disse: em 28.10.2015

    Oi, nossa! Tive uma crise de choro ao ler esse texto.Tenho 3 meninos, Caio de 8 e gemeos com 2 anos. Meu marido é professor e não esta em casa de noite. Desde que que nasceram fico com eles sozinha nesse horário. A parte mais difícil pra mim foi praticamente abandonar o mais velho….simplesmente não sobrava tempo pra ele cuidando de mais 2 bbs. Vc descreveu minha angustia perfeitamente…só que em vez de mais um…tenho mais 2. Dá pra imaginar né?
    Quantas vezes chorei ao pé da cama dele depois que dormiu sem meu boa noite….quantas vezes me senti a pior mae do mundo por ter perdido a paciência….quantas vezes senti que não estava dando conta e me desesperei. Ainda hoje tenho dias inacreditáveis….como hoje, por exemplo. Casa de perna pro ar, suja, com brinquedos por todos os lados….e eu sem conseguir fazer nada.
    Nao é facil nao, mas tambem nao troco minha vida e meus tesouros por nada. So peco a Deus que renove minhas forcas para continuar tentando dar meu melhor pra eles

    1. Claudia respondeu: em 29.10.2015

      Flavia, passo pelo mesmo que você. Engravidei de gêmeos quando a mais velha tinha 2 anos e toda a minha atenção era só para ela. Sofremos muito, muito, muito! Quando eles nasceram, tiveram que ficar um tempinho na UTI e ela na minha sogra. Depois disso e durante uns 5 meses, me rejeitou, como se não tivesse mais mãe. Só queria saber do pai e dos avós. E eu, chorava dia e noite. Hoje, estamos super unidas, mas ela já entende um pouco. Ela está com 4 e os gêmeos com 1 ano e 5 meses. Acho que ter tido os gêmeos, me deixou mais forte para enfrentar isso. Porque um sempre tem que esperar a vez do outro, e com isso, vem manha, choro! O meu ouvido e coração já estão treinados a enfrentar tudo isso e não sofro mais tanto. O meu marido ajuda muito durante esse horário, mas eu que coloco os 3 para dormir.

  154. Nane disse: em 28.10.2015

    Respira fundo…vai melhorando tudo isso…respira fundo porque vc não é uma mãe horrível, todas nós nos sentimos assim, todas perdem a paciência, vc não está sozinha, as otites melhoram (graças a Deus!) e as crianças vão ficando mais autônomas e vc vai se sentir menos cansada.
    Respira fundo e caminha no ritmo delas por enquanto…é menos frustrante! seja mais imperfeita, e perdoe-se por isso, vc vai se sentir melhor! ?

  155. Juju disse: em 28.10.2015

    Oi …lindo o texto ,eu passo por uma situação parecida ,minha filha tem 7 e meu filho 4 meses ,eu volta e meia MW cobro ,por n conseguir dar a atenção q minha filha mais velha precisa ,eu estudo trabalho ,e tento ser a melhor mae só mundo ,ou o melhor q posso ser ,aa minha filha n é filha di meu marido ,só meu filho …intao … Me cobro mais ainda pois meu filho tem o carinho de pai q minha filha nunca teve ,é uma sensação horrível ,mais converso muito c ela ,sou mãe e sou pai ,antes do meu filho nascer ,ela dormiu comigo até os 6 aninhos ,ela sempre foi o meu grudinho e ainda é ,só q eu deixo ela mais livre pois sou muito cuidadosa e isso acaba atrapalhando ela ,por exemplo se ela vai p casa da avó eu piro pq lá tem piscina ,odeio piscina ,ai flo flo p avó dela prestar atenção ,se ela entra num carro p passear corro por o cinto ,e viajar c a família só pai ,nem pensar eu não confio no pai dela. .. Na vdd cuido dela pq sei q ela e frágil e é tudo p mim ,minha única menininha e precisa de mim ,bem mais q o meu filho ,só q no momento eu estou mais focada nele ,pois é um bebê ….e isso me deixa louca …pois amo os dois do MSM jeitinho … Parabéns VC é uma mãe maravilhosa ,pois hj em dia se cobrar ,se culpar é coisa de uma mãe q ama muito seus filhos , VC deveria se preocupar se VC n ligasse e achasse isso normal ,igual umas ” mães” ai …. Bjao

  156. Roberta disse: em 28.10.2015

    Nossa…estou passando por essa situação tenho um filho de 7 anosuma filha de 3 anos e um bb de 28 dias. … esta sendo muito difícil, o cansaço as tarefas domésticas, a atenção aos meus outros filhos. Mas peço a Deus só forças para poder ajudar os 3 amores da minha vida.

  157. ana paula disse: em 28.10.2015

    nossa texto lindo, obrigada por expressar tdo que nos maes de 2 ou mais passamos, pq realmento nao é facil.
    Tenho um de 3 anos e meio e outro de 1 ano e meio e fico exausta pq as tarefas nunca acabam, enfin ate dormindo estamos preocupadas e correndo de um lado pro outro afff. bjinhos
    boa sorte para todas as maes

  158. Roberta Lioni Bergo disse: em 28.10.2015

    também estou chorando meu cansaço neste momento!!!!

  159. Liliane disse: em 28.10.2015

    Quantas lembranças! Este horário é o pior. Meu filho mais velho, tinha 8 anos quando o terceiro nasceu, minha filha do meio garantia seu espaço, mas ele era tão bonzinho, dormia sozinho, e depois eu ia la e beijava, apertava e dava meio boa noite com ele dormindo. Exatamente como vc. Hoje, ele tem 20 anos, esta fazendo faculdade fora de Sao Paulo, eu mando mensagem diariamente dando meu boa noite. Muitas vezes ele só vê de manhã e responde: Valeu mãe, um bom dia pra vc .Te amo.
    E eu me derreto toda. Hoje chorei com seu texto, chorei minhas lembranças e minha vontade de te garantir, o amor ultrapassa o sono, os olhos fechados, ele está entranhado na gente. Pode relaxar , vai dar tudo certo.

  160. Aline disse: em 29.10.2015

    Olá também já passei por essa situação muitas vezes… tenho um casal uma menina de 5 e um menino de 2 e por isso comecei a colocar os para dormir juntoe na cama comigo desde que o meu filho era bebê, pois via que não conseguia dar atenção para minha filha mais velha na hora de dormir até hoje eles dormem assim e depois levanto e os coloco cada um em sua cama, foi a maneira que encontrei para conseguir dar atenção para ambos, me identifiquei muito com seu texto e você pode ter certeza que o tempo ajuda muito

  161. andrea disse: em 29.10.2015

    Gabriela, obrigada por seu relato!!!!

    bjs

    Andréa

  162. Suzana disse: em 29.10.2015

    Nossa, chorei 6 meses de angústia agora! Também tenho 2. Um de 5 anos e uma de 6 meses. Desde que ela nasceu tenho tentado colocar minha vida no lugar, mas está impossível. A gente tenta abraçar o mundo, mas percebe que os braços são curtos.
    Tento ser o melhor que posso para eles, mas sempre acho que deveria ter feito mais. O mais velho amadureceu tão rápido, hoje faz praticamente tudo sozinho, mas as vezes bate aquela insegurança de um bebê e ele chora pedindo colo, e eu morro por dentro. Por estar sozinha quase que 24 horas por dia, pois o marido sai cedo demais e chega tarde demais. Digo sempre que filho não dá trabalho, o resto é que dá. Se fosse pra ficar só com eles seria perfeito, mas tem uma casa inteira para administrar. Lavar, passar, cozinhar, limpar…e no intervalo, tentar tomar um banho e comer.
    Mas faria tudo de novo, largaria trabalho, vida social, tudo por eles que me fazem levantar toda manhã para mais um dia!

  163. Débora disse: em 29.10.2015

    É por essaa e mtas outras q meu filho vai ser único. Tenho a tarde toda livre e noite com ele pq trabalho só de manhã, mas tenho q cuidar da casa q é enorme, e todos os afazeres de mãe… Tem dia q tudo q mais quero é um belo banho, sozinha, sem ele batendo na porta me chamando ou tomando banho junto.

  164. Patrícia Aguiar disse: em 29.10.2015

    Gabriela, você não está só! Tem dias que a gente gostaria de sumir, só um pouquinho, e ter um ou dois minutos de paz, sem ter que preocupar com banho, jantar, tarefa de casa, mochila, lanche da escola, guerra por brinquedos… UFA! Mas é só ver os sorrisos, os desenhos, a alegria deles e o cansaço melhora! Um dia minha irmã, que é bem mais velha que eu e já tem duas filhas adultas, me disse: “Faça aquilo que seu coração mandar, porque eles vão crescer, fazer terapia, e no fim aa culpa vai ser sua mesmo! Se quiser dengar, dê dengo; se quiser brigar, brigue! Mas faça de coração!”. Tenha sempre em mente que somos só humanas, cansamos, choramos e nos frustramos, mas fazemos tudo isso com muuuuito amor!

  165. Gisele disse: em 30.10.2015

    Estamos juntas…
    Lembro de chorar enquanto o pequeno mamava em meu peito e a mais velha (?) de 3 anos ficava me olhando sentadinha no chão do corredor, em frente à porta…
    Choro agora, só de lembrar.
    Chorar às vezes é bom! Lava nossa alma e nos prepara para o que vem pela frente! O importante é aprender a se perdoar! Beijo no coração de todas as mamães! ?

  166. Suely Sette disse: em 21.11.2015

    Passei por tudo isso ,com três,diferença de três anos cada um.
    Em seu relato fica claro a maravilhosa mãe que tem seus filhos,quando, tem essa reação tão apaixonada ao encontrar o pequenino que adormeceu sozinho.
    Seus filhos nunca estarão sozinhos e pode acreditar eles sabem disso.
    Uma coisa é certa, ainda hoje, com os meus já homem e mulheres feitas, ainda me assaltam perguntas ,sobre se sou ,ou não boa mãe.Isso é para a vida toda!
    Já sei que fiz tudo e fui além,pelos filhos que correspondem hoje ,com amor e sendo pessoas de bem e isso conforta muito!
    Acho que nós mães precisamos tirar a capa de super,mesmo sabendo que para eles e por eles seremos sempre SUPER…
    O amor de uma mãe é comparado somente ao amor que Deus tem por nós.Isso diz tudo!
    Amor Ágape!
    Abraço de mãe para mãe.
    Suely Sette

    1. Gabriela Gama respondeu: em 24.11.2015

      Obrigada pelo seu depoimento e carinho.
      bjs

  167. deinha disse: em 25.11.2015

    Não se sintam culpadas mamaes, é muito dificil dar conta de tudo sozinha, não se culpem tanto, vocês estao fazendo o papel da melhor maneira, voces são humanos e não robos….

  168. Danúbia Klein disse: em 07.01.2016

    Nooossa! Me vi agora! Meu marido trabalha no Samu e a maioria dos seus plantões são de 24h muitas vzs seguidos de 48h então fico muito sozinha com a Lara de 6 anos e o Davi de 3 meses… já chorei inúmeras vzs pelos mesmos motivos. Ainda bem q não sou sozinha nesse mesmo dilema. Tem hs q o desespero pega a o medo de não dar conta frustra. Adorei teu texto e me identifiquei por completo.

  169. Rebeca disse: em 07.01.2016

    Oi, mamães. Eu tenho 32 anos, ainda não sou mãe, mas tenho pensado mto no assunto ultimamente. Hoje tenho uma rotina que, pra mim, já é pesada. Trabalho o dia todo, tento cuidar um pouco do meu corpo e da minha saúde física depois do trabalho e aí vou pra casa, terminar o dia e cuidar dos afazeres domésticos pra depois começar tudo de novo. Por vezes, choro de cansaço, de stress e de frustração por não ter mais tempo pra curtir meu marido e as coisas que gosto e q alimentam a alma. Fico pensando que, se me sinto assim hoje, como seria se eu tivesse filhos? Nas últimas férias, minha sobrinha de oito anos ficou, inesperadamente, uma semana comigo. Era um tempo que eu tinha me programado para recarregar a bateria e relaxar a mente, mas com ela lá, me vi 24h em função dos cuidados e brincadeiras de crianças. Me senti extremamente triste e culpada porque não consegui aproveitar a companhia dela como eu gostaria e como tantas pessoas parecem aproveitar a companhia de crianças. Ao contrário, me senti sobrecarregada, presa. Como a mamãe do post, chorei todo o meu cansaço. Por tudo isso, tenho me questionado muito. Talvez eu não tenha nascido para ser mãe, talvez não seja algo que eu esteja disposta a viver. A impressão que eu tenho é que a escolha de ser mãe envolve abdicar muito de si mesma e da vida a dois. Não sei se é pq hoje as famílias estão cada vez menores e os núcleos familiares, mais fechados, mas me parece que as crianças não ficam mais brincando com outras crianças e os adultos acabam suprindo essa necessidade infantil, doando-se o quanto podem e o quanto aguentam até o limite emocional, para serem “bons pais” e “boas mães”. Hoje, não tenho dúvidas de que vocês, mamães, consideram os seus filhos o maior amor que poderiam ter, mas antes de serem mães, vocês sempre sonharam com isso? Nunca tiveram medo de todo o desgaste físico e emocional que a maternidade traria? Nunca tiveram receio que o stress do dia-a-dia as afastassem de seus companheiros e pais de seus filhos? Se pensaram em todas essas coisas, o que as motivou a se tornarem mães e a se doarem dessa forma tão corajosa e altruísta? Pergunto todas essas coisas, pq fico aflita quando penso sobre tudo isso e queria saber se há mais mulheres que se angustiaram com isso como eu. Tenho receio de decidir que não quero a maternidade agora e um dia, quando for tarde demais, mearrepender. Um beijo e muita força a todos vocês. Vocês são ótimas mães e mto corajosas.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 07.01.2016

      Rebeca, eu sempre digo que filho é o maior amor da vida, mas se tirar a poesia da coisa, é punk.
      Eu sabia o quanto tomaria meu tempo, o quanto me cansaria o quanto deixaria de viajar. Foi melhor do que eu pensava, mas foi mais dificil em diversas horas. Nunca será fácil. Meu filho tem muitos amiguinhos e não precisa de mim para brincar, mas precisa de cuidados de atenção de disciplina e tudo mais e isso toma tempo. Ter um filho é fácil, ensinar e cuidar de forma presente é que é difícil.

  170. Mariana disse: em 31.03.2016

    Chorei com o seu relato, pois me vi em várias partes dele.
    Tenho um bebê de 1 ano e trabalho fora o dia inteiro. Quando chego em casa, muitas vezes já estou no automático e ele quer atenção, quer brincar, quer colo, carinho… enquanto isso eu penso que tenho que dar a janta, escovar os dentes e deitar com ele para dar de mama e colocá-lo para dormir. Afinal, depois ainda tenho uma casa para arrumar, roupa para lavar, coisas do trabalho para fazer e a mochila dele da creche para arrumar.
    Muitas noites chorei no sofá da sala. Chorei meu cansaço, minha frustração, meus medos, meus arrependimentos, minha culpa.
    Obrigada por seu depoimento. Obrigada por me mostrar que não estou sozinha.

  171. gracilene disse: em 31.03.2016

    Oi olha eu sei que e muito dificil vivi uma história aasim.mas a minha ainda foi bem diferente porq cm saúde agente vence tudo e swm..Tive filhos gêmeos morava em outro estado longe meus familiares.era correria cm as duas crianças primeiro filhos tudo novo .ai quando as crianças completaram 1 aninho era muita lut cuida .Eu achei agora vai diminui mas o trabalho vou consegui dormi pouco.ops nada eles fizeram 1 aninho ai que a luta ia começar eu nao sabia.mas meu Deus ja sabia o final .Tiver cancer de mama .fiz cirurgia tive q fazer dois anos tratamento sabe q e vc chegar da quimioterapia e cuida duas criancas cheia d energia assim era eu .Deus ali do .eu lado mim dando força ufaa .a.vou resumir olha peguei cm Deus ele foi meu socorro mim socoorreu mimajudou hoje estou aqui contando vitória .meus filhos estao cm 3 aninhos sou evangélica sirvo a Deus estamos muito felizes . amem

  172. Ana Paula Hernandes disse: em 31.03.2016

    Nossa…chorei ao ler seu desabafo…
    Eu sou mamae a 14 dias hj,meu primeiro bebe…sempre o quiz,sonhei com ele desde menina…e por ter tomado conta dos meus irmao desde recem nascidos,achei em meus devaneios,que seria mamao com açucar cuidar do meu…
    Mas ta sendo mais complicado do q imaginei…sem falar na cobrança q as pessoas poe sobre mim,parece q sou uma criança tomando conta de outra…meu esposo ta sensível ao extremo,mal posso falar alguma coisa q ele acha q to sendo grossa,q to dando patada…ele nao entende q to exausta…meu bebe nao para de mamar,o bico ja ta aos pedaços,fiz cesárea,entao tudo doi ainda é desconfortavel,to sangrando sem parar,mal consigo fazer xixi…nao sei se pelo fato de eu ter ficado 3 dias na UTI longe do bebe,ele ta mais carente,sei la…mas o bebe nao me deixa quase fazer mada…
    Ontem parei com ele no peito e chorei de soluçar,aproveitei q nao tinha ninguem em casa,tudo q quiz,foi sumir…to me sentindo triste,e isso me deixa culpada,me sentindo egoista,pq sempre quiz meu filho,ele ta aqui,lindo e saudavel e eu to triste…nao quero me sentir assim…eu quero curtir cada minutinho,pq tenho consciência de q vai passar muito rapido…e eu to presa a esse sentimento ruim sobre meu filho.

  173. Roberta disse: em 24.04.2016

    Choro muito meu cansaço… Meu bebê esta com pouco mais de 40 dias, eu que acordo durante a noite e fico o dia todo com ele… As vezes passo o dia de pijama descabelada por nao ter quem fique com ele por alguns minutos pra eu tomar um banho… Ai vem casa p cuidar, roupa p lavar e bate um desespero… Está sendo mais dificil do que imaginei e quando pedi ao meu marido pra me ajudar mais, terminou numa bela discussão e ainda ouvi que não faço merda nenhuma… Minha licença termina em setembro, mas preciso voltar ao trabalho antes disso e não tenho a menor idéia de como vou fazer com o bebê… Mas é isso aí, temos que continuar lutando e sendo super 24 horas por dia, mesmo sabendo que nossa luta é invisível aos olhos da maioria dos que no cercam…

  174. Jéssica disse: em 24.04.2016

    não chorei ao ler o texto mas foi por pouco, chorei ontem todo meu cansaço e acho que ainda falta chorar um pouco mais, nunca pensei que a maternidade fosse tão difícil, nunca achei que fosse me pegar chorando de cansaço, de dores no corpo, de tanta dedicação e de a únicas pessoas a me entender sou eu e minha cunhada que tem dois filhos. as vezes me faltam forças mas quando olho aqueles olhinhos a me olhar aquele sorriso banguelo busco forças não sei de onde.
    feliz por saber que não estou sozinha.

  175. Alessandra disse: em 27.04.2016

    Todas nós choramos assim um dia minha querida, choramos pq nos cobramos muito, e desejamos a perfeição, choramos não só de cansaço, choramos por que vemos que o tempo está passando, se desse pra ir mais devagar, apesar de tão difícil, escolheríamos essa opção… Já chorei muito tbém, ainda não me tornei a mãe que quero ser para os meus filhos, mas estou em busca dela… e isso cansa, e traz o choro! Todas nós somos assim! Belo texto!! Parabéns

  176. Grazi Heck disse: em 11.07.2016

    Nossa, descreveu examtamento o que eu sinto, todo dia ao chegar do trabalho 🙁
    Me sinto assim, frustrada, triste, querendo dar conta de tudo….vendo a correria passar por mim, e eu sem saber o que fazer….fico triste, é assim que me sinto….

  177. Mariana Silva disse: em 18.09.2016

    Parabéns com leveza e simplicidade vc colocou tudo o que sentimos… Nossa qtas vezes coloquei minha menina para dormir sem um boa noite e como e culpei, ontem mesmo ao lavar as roupinhas da Sofia (que logo irá chegar) eu chorei, chorei no tanque sobre as roupinhas por medo, por insegurança, por pensar que não darei conta, chorei por ver que minha menina está crescendo que se tornará irmã mais velha, chorei pronome sentir uma mãe má em muitas vezes é chorei principalmente pela minha falta de paciência nesta fase e meu cansaço!!!

  178. Samantha disse: em 18.09.2016

    Nossa! Só não chorei lendo o texto porque acabei de ter uma crise de choro bem no meio da rua. Meu esposo e militar , trabalha muito , fica muito pouco tempo em casa mas apesar de ser um pai maravilhoso que participativo me sinto sobrecarregada e a única responsável pela criação da nossa filha de um ano. Não tenho parentes próximos, amigos , ninguém para contar , somos só nós três ou melhor só nos duas e o cansaço quando bate bate forte , tento levar com leveza o dia a dia , parando qua do ela precisa de atenção , deixando os afazeres de lados , só que tem horas que o corpo e a mente principalmente não são conta e quando vc olha para os lados só vê mães perfeitas , parece que só você passa por isso.

  179. Cristina disse: em 20.09.2016

    Tão verdadeiro. ..chorei muito pq tb vivo essa situação. Tenho uma sogra maravilhosa que me consegue vir alguns dias da semana depois do trabalho para me ajudar justamente nesse horário mas como minha filha de 2a 1/2 vai pra escola só a tarde, fico com os dois no período da manhã. Tenho um pequeno de 7 meses. E o sentimento é exatamente esse que vc descreve…..o cansaço parece ser imbatível. Nos corrói, faz com que a gente perca a paciência quando o que eles querem é somente atenção, carinho, um momento pra brincar, um sorriso. Tem dias que sinto que travei uma luta com a minha filha. ..tantos nãos, tantas discussões….no final da noite olho pra ela dormindo e choro pedindo desculpas por ter sido tão dura, por não ter dado a devida atenção, por não ter dado o colo naquele momento em que ela pediu. Da mesma forma que as vezes olho para o meu pequeno e peço desculpas por não conseguir dar tranquilidade para a mamada, por não conseguir dar toda a atenção que eu gostaria de dar….É muito difícil mesmo.

  180. Fabiana disse: em 21.09.2016

    Chorei….me vi várias vezes na mesma situação julgando meu desempenho como mãe. Ainda sinto uma insatisfação em não poder me dedicar mais as minhas filhas de 8 e 3 anos. Tenho um marido maravilhoso que ajuda muito mas ha horas que não dá para aguentar. Já por várias vezes pensei em largar a carreira profissional mas, a necessidade falou mais alto. Diante de todos os conflitos sigo em frente.

  181. Lorena Merlo disse: em 21.09.2016

    E mesmo difícil eu só tenho uma menina mas trabalho e tenho q dividir entre o trabalho y minha filha porque si não trabalho não tem dinheiro pra criar minha filha já deixei ela acordada e cuando voltei ya havia adormecido y llorei por não estar com ela antes de fechar os olhinhos por perder muitas coisas q ela está aprendendo a fazer sozinha… entendo muito desse sentimento…

  182. Marjorie disse: em 21.09.2016

    Eu chorei lendo o seu desabafo, talvez porquê tenha me identificado nele! Eu tenho um casal de gêmeos com 3 anos e meio, parei de trabalhar quando eles completaram um ano, desde então tenho me dedicado à eles, nesta difícil tarefa que é ser mãe! Até o começo do ano fiquei cuidando deles sozinha, só agora os coloquei na escolinha (meio período) e estou tentando voltar ao mercado de trabalho! Tem dias que como você, estou exausta, as vezes sem paciência com eles, sem paciência com a casa, com marido, acho até que sem paciência comigo. E às vezes me pego chamando a atenção (brava), já teve vez de gritar! Mas depois dessas ações, penso: por que não tive um pouco mais de paciência? Por que fui tão brava? Sou uma péssima mãe! Eles irão crescer tão rápido e daqui a pouco estarão me chamando de velha ao invés de mamãe! E então eu choro, choro e choro mais um pouco! Choro porquê penso que eu poderia ter dado um bronca sem talvez me exaltar tanto, choro porquê os amo demais e não os quero ver sofrer, choro porquê penso que por mais que eu esteja dando o melhor de mim; às vezes me parece não ser o melhor para eles , choro porquê eu estou cansada e às vezes não sou compreendida, choro porquê eu não queria estar cansada! E depois eu choro porquê sou feliz por ter os meus pequenos ao meu lado e agradeço a Deus por ter permitido eu ser mãe!
    Hoje para mim, foi super importante e “confortante” saber que não sou a única a me sentir assim, não sou a única a sentir o “cansaço de mãe”, hoje seu texto me tirou um pouco da minha “culpa” de mãe!
    Obrigada!!!

  183. Bruna disse: em 21.09.2016

    Me identifiquei muito com o texto e ainda mais com os nomes de seus filhos, eu tenho um Pedro hj com 9anos e uma Olivia com 4 anos. As vezes acho que vou surtar e não dar conta deles também.

  184. Francisco Portes disse: em 21.09.2016

    Eu, provavelmente o único pai que aqui estará inserindo o seu comentário, digo que vocês, mulheres, são o link da raça humana com a espiritualidade, Deus ou seja lá o que você considere como energia que nos mantém vivos. Vocês são o máximo, as insuperáveis em todos os critérios de capacidade de gestão de aspectos ligados a família. Parabéns! Que felicidade a minha ter uma por perto!

  185. Josi disse: em 23.09.2016

    Nossa! Como não desabar, lendo um texto que nos representa tanto? Me senti reconfortada, a gente sempre lê que somos muitas na mesma situação, mas a cada texto sincero que leio, me sinto menos sozinha! Obrigada Gabriela, seu texto veio em boa hora!

  186. Marciele Santos disse: em 04.10.2016

    Olá, Gabriela!
    Tenho um filho de 1 a ano e 9 meses.
    E chorei ao ler vários comentários de mães que sofrem o mesmo que eu pra cuidar dos filhos!
    Sofrem da hora de educar, repreender, manter a ordem, colocar pra dormir, vestir, dá banho. Mães, que choram por pensarem que não darão conta, que se acham péssimas mães, que ficam triste, felizes, angustiadas, que fazem de um tudo pra serem as melhores mães para os seus pequenos, e no fim ainda ouvem (de algumas pessoas que só sabem criticar) que estão fazendo errado!
    Eu sou bem nova, mas, não me sinto menos mãe! Meu marido me ajuda bastante, trabalha de 7hrs a 17:30hrs (trabalha pesado, na construção civil) e ouço muitas críticas do tipo: no meu tempo as mulheres tinham obrigação de cuidar dos filhos e os maridos obrigação apenas com o trabalho, no meu tempo o marido tinha tudo pronto e não se preocupava com nada em casa, essas esposas de hoje não sabem de nada, essas mães de hoje não sabem de nada, nunca vi o marido chegar do trabalho cansado e ainda ter que ajudar a mulher com o filho! E quando (na visão deles) nós “acertamos”, pasmem! Não foi mais do que sua obrigação!
    Alguns dias me vejo cansada, triste, com toda a vontade do mundo de chorar, e ainda tenho que ouvir de pessoas que não estão no meu lugar que: quem pariu Mateus que o embale!
    A verdade é que… ninguém quer ficar com o meu filho pra mim estudar, ninguém se oferece pra vim passar uma noite com ele para o meu esposo e eu sairmos pra apenas tomar um sorvete a sós, ninguém quer ficar com ele pra mim apenas descansar por 10 minutos, ninguém que ficar com ele pra mim ir lavar roupa/louça. Na verdade, as pessoas querem apenas criticar!

    Abraços e força, muita força a todas as mães que aguentam tudo pelos filhos!

  187. Micaela Sene disse: em 29.10.2016

    Realmente como não chorar…Tenho dois filhos, um de 11 e outra de 5. Sinto-me esgotada, a ponto de já estar atrapalhando meu casamento, não tenho ânimo pra nada. E agora meu marido trabalha noutra cidade a semana toda.
    Espero que surja algo bom na minha vida… As vezes penso que não vou conseguir vencer. Força para todas nós.
    Ter filhos é um tanto quanto ilusório…

  188. Renata Fiorante Veloni disse: em 18.11.2016

    Simplesmente um relato que cabe na vida! Obrigada Gabi. beijos

  189. Katia Costa disse: em 18.11.2016

    Obrigada por compartilhar um desafio tão nosso … essa louca maternidade. Tb sou mae de dois pequenos e muuitas vezes me pego assim exatamente como vc relatou. Obrigada por tanta verdade e por diminuir o peso da minha culpa.

  190. Stoney disse: em 17.01.2017

    Chorei com o seu relato pois é a realidade de tantas mães e a culpa é tão grande que quando a gente lê que mais algum passa pela mesma situação e tem os meus sentimentos, nos conforta!!Eu penso que tudo passa e a gente é mais forte do que isso!!bjs

  191. Luciano disse: em 31.05.2017

    CADÊ O PAI?

    1. Gabriela Gama respondeu: em 14.06.2017

      À época deste post, o pai no caso meu marido, trabalhava e fazia faculdade, por isso saía as 06 e chegava quase meia noite. Mesmo com poucas horas de sono, revezava durante as madrugadas e fazia praticamente tudo da casa, além das crianças o fim de semana. Mas a rotina diária que foi muito, mas muito exaustiva com os dois tão pequenos, ele não tinha como ajudar pois estava trabalhando e estudando!

Deixe seu comentário