Irmão dividindo o quarto – Relato

Categorias: Desenvolvimento Filhos
Como filha única, sempre desejei ter um irmão para conversar a noite antes de dormir. sonhava com aquelas cenas de filme, onde os irmãos se juntavam na mesma cama para ler uma história iluminada por uma lanterna. Por conta disso, sempre que pensava no quarto dos meus meus filhos, mesmo antes deles nascerem, eu imaginava um quarto para 2 ou 3 (depois do primeiro tive certeza de que seriam apenas dois), risos.
Ao montar o quarto do Pedro, escolhi um berço que virasse cama de solteiro, comprei uma cama auxiliar com bi-cama e um armário bem espaçoso, eu queria algo mais duradouro, pois gastei bastante nos móveis e não queria ter que me desfazer deles depois de 1 ano ou 2.
O tema da decoração é mergulho, já até falei aqui com fiz o quarto de menino virar um quartinho unissex. A disposição do quarto é boa e tem bastante espaço, por isso sempre tive certeza de que seria perfeito para dois.

Quando a Olivia nasceu, optamos por deixa-la no nosso quarto alguns meses. Para isso escolhemos uma mini berço que pudesse passear pela casa durante o dia e que coubesse ao lado da nossa cama à noite.

Pedro ama o berço dele, e por isso fui adiando a transição pra cama o quanto pude, mas agora a Olivia que já deixou de ser mini há muito tempo, não cabe mais no bercinho do meu quarto. Fui obrigada a iniciar a transição sem me sentir muito segura pra isso. Fiz basicamente o que toda mãe faz, comprei uma roupa de cama bem bonita, fiz festinha pra ele dormir na cama nova e levei-o até a cama todas as vezes que ele decidiu sair dela e passear pela casa.

Tudo organizado e pronto, chegou a hora de colocar a Olivia no berço que foi do Pedro e fazer eles dormirem juntos. Pensei em tudo detalhadamente, só não me atentei ao fato da rotina dos dois ser completamente diferente. aí que vem o sufoco.
Depois de idealizado o quarto pra dois e a casa inteira montada com apenas um quarto de criança, estamos tentando adaptar uma nova rotina para que não atrapalhe o sono deles, mas que tem atrapalhado bastante o meu.
Pedro nem sempre quer dormir cedo, principalmente quando o pai está em casa. Agora que está na casa, sai o tempo todo, acende a luz e quer brincar, ficamos no vai e vem até que ele finalmente se convence de que é hora de dormir. Olivia tem o sono leve, acorda com qualquer mínimo barulho, então faço ela dormir e deixo ela na minha cama. Levo pro berço somente quando o Pedro já está capotado.
Quando Olivia acorda de madrugada, o Pedro continua dormindo, mas quando acontece o contrário, são duas crianças chorando no meio da noite. Ambos dormiam a noite inteira, mas ultimamente andam fazendo revezamento, quando um dorme o outro acorda, depois inverte e depois os dois acordam ao mesmo tempo. Me senti num beco sem saída e não sei qual será a melhor solução, mas o que não tem remédio, remediado está.
Daqui um tempo, volto pra contar como está esta nossa rotina. Mas aproveito pra pedir dicas e conselhos de como lidar com esta situação. Quem aí tem alguma dica?

1 comentário

  1. Avatar
    Beatriz Borges disse: em 26.04.2015

    Paciência é o principal. Estas transições são de uma relevância gigante e fica complicado conciliar tantas situações novas. O jeito é encontrar uma maneira de integrar o Pedro neste novo cuidar da Olivia, pq querendo ou não ele sente q perdeu o quarto exclusivo, o berço, o espaço, a rotina… Contar com a ajuda dele para q ele fique "responsável" por este acolhimento da Olivia no quarto ao meu ver atenua a sensação de q Pedro está dividindo e sim, compartilhando.

Deixe seu comentário