As mães também choram…

Categorias: Desabafo Mães
Volta e meia o título do livro com a biografia do Cazuza me vem em mente: Só as mães são felizes! Hoje eu entendo a profundidade deste título, ah como entendo. As vezes me pego pensando em que tipo de pessoa a maternidade me transformou, o que duas pessoinhas ainda tão pequenas como o Pedro e a Olivia foram capazes de fazer na minha vida. Mudaram o rumo da minha história!
Hoje em dia me sinto uma pessoa melhor, mas tenho medo, muito medo. Tenho medo de errar, medo sentir dor, medo de ver meus filhos sofrerem, medo de não dar conta das coisas.
Às vezes a semana passa feito furacão, com altos e baixos, com problemas, gripes, otites, joelho ralado, noites mal dormidas e quando vemos, lá estamos nós, levantando novamente ao amanhecer. Arrumamos força, energia, disposição que nem sabemos de onde vem. Não nos damos o direito de ficar doentes, de fraquejar na frente dos filhos, de perder a linha, de entrar em desespero. Pelo menos não na frente dos filhos e as vezes até das amigas.
Quantas mães como eu já choraram com a alma, já tiveram medo de não conseguir, já choraram no banho pra ninguém perceber, já choraram em sonho, já choraram escondidas bem baixinho pra ninguém ouvir?
Quantas já levantaram de madrugada, pra ver se o filho tava coberto, se dormia tranquilo e perdeu o sono por sentir-se sobrecarregada?

Quantas já quiseram um dia inteiro pra si, mas na primeira hora de folga tiveram a consciência pesada e ligaram pra casa 15 vezes?

Quantas de nós já desejamos que o filho voltasse pra barriga, onde tudo corria bem e lá eles estavam protegidos? Onde éramos mães perfeitas, não tínhamos dúvidas, não errávamos, não perdíamos a paciência.
Diversas vezes me vi implorando baixinho para que meus pequenos dormissem e eu pudesse sentar e curtir o silêncio, mas minutos depois me arrependi por não ter aproveitado um pouco mais o tempo em que estava com eles.
Quantas vezes liguei pra minha mãe e pedi ajuda, pedi pra que viesse cuidar dos netos, cuidar de mim, cuidar da casa. Como é bom ser mãe, mas como é bom ter mãe também.
Eu já chorei de saudade, de arrependimento, de cansaço, por estar irritada, por sentir sono demais, por estar com fome.
As mães também choram, mas só as mães são felizes!

9 comentários

  1. Avatar
    Beatriz Borges disse: em 10.04.2015

    As lágrimas no meu caso, são incessantes. Às vezes elas vem da raiva, do descontrole de não conseguir me fazer autoridade… Outras da pressão, de me achar uma fraude ambulante como mãe, onde prego algo e faço outro, mas td, td mesmo sempre colocando a Melissa em primeiro lugar, antes de qualquer coisa. O meu chorar é a forma sincera que encontro de externar emoções, de não guardar tudo sozinha dentro de mim. O choro ensina, constrói e destrói tbm, dilacera. Mas a maior lição q tiro como o meu aguaceiro pessoal é q sou a melhor mãe q a melissa pode ter, e isto faz do meu bua bua, aprendizado de vida.

    1. Avatar
      admin respondeu: em 10.04.2015

      Chorar baixinho, alto, muito ou pouco sempre ajuda! Mas só as mães são felizes!

    2. Avatar
      Franci Clement respondeu: em 16.04.2015

      Chorei lendo… Muitas verdades em cada palavra… E eu ainda choro por não ter a mãe por perto, por não ter o colo de mãe… Sim eu choro, mas sou uma mãe feliz!

    3. Avatar
      admin respondeu: em 16.04.2015

      É tão bom ser mãe!!!

  2. Avatar
    Joyce disse: em 29.06.2015

    Nossa flor chorei lendo… Como é bom saber que não sou uma mãe ruim por muitas vezes pensar como o que VC escreveu… Amei ler isso pois pensava ser só eu que passava por tudo isso !!!

    1. Avatar
      Gabriela Gama respondeu: em 29.06.2015

      Eu choro e choro muito. Nem sempre com lágrimas, mas muitas vezes choro com a alma! É difícil ser mãe, muito difícil.

  3. Avatar
    Claudia disse: em 08.09.2015

    Hoje eu estava pensando sobre isso,que as vezes é muito difícil só cuidar, que as tbm gostaríamos de pouco de colo, q as vezes só queriamos deitar e ficar quietinha e que alguém cuidasse da gente como cuidamos de nossos filhos,no meu caso impossível, pq minha mãe não cuidou nem quando era pqna,mas tudo bem,todo amor e carinho que não tive dou em dobro para os meus filhotes.

  4. Avatar
    Isadora Costa disse: em 22.09.2015

    Também me sinto as vezes muito culpada por diversas vezes ter perdido a paciência, por diversas vezes ao em vez de brincar com meu bebe pedia pra ele guardar os brinquedos e dormir, as vezes parece ser tudo tão dificil

  5. Avatar
    Aline Duarte disse: em 16.10.2015

    Poxa me identifico demais com sua publicações. AMOOO ser mãe, mas as vezes me sinto tão culpa. Pois tenho duas filhas uma de 1 e outra de 3 anos. Ambas são extremamente grudadas a mim. Trabalho de manha e faço faculdade a noite, chego tão cansada e elas exigem tanta atenção, não dormem, e com isso as vezes perco a paciência, não as agrido ou coisas assim, mas só o fato de ter passado tantas horas fora perdido a paciência ja me deixa tão culpada, mas ver as suas publicações me consola. Espero que não seja uma mãe horrorosa. AMMMMMMMOOOOOOOO de paixão ser mãe mas as vezes acho que não dou conta.

Deixe seu comentário