Uma semana na casa da vovó

Categorias: Depoimentos Mães

Todos os anos, no mês de agosto temos um encontro marcado com o vovô. Este ano ele completou 85 anos e não poderíamos deixar de comparecer. Partimos de SP rumo à SC no sábado cedinho e retornamos na segunda feira próximo ao meio dia. Fomos em 4 (contando com a Olivia na barriga) e voltamos em 3. Pepo ficou na casa do biso e volta só no próximo domingo. Ele já havia passado uma semana lá em outubro do ano passado, mas parece que desta vez a saudade tá mais apertada. Acho que a medida em que eles vão crescendo, começam a interagir e demonstrar o carinho e amor que sentem pela gente, nosso amor se transforma e se multiplica. Atualmente sinto muito mais falta do meu filho durante minha jornada de trabalho, do que quando ela era um bebezinho que dormia quase o dia inteiro. Acredito que para ele a separação também é sentida de maneira mais intensa agora que está crescidinho.

Não temos família por perto e sempre que possível minha mãe vem pra cá ou vamos pra lá encontrar todo mundo. Pedro fica super bem por lá, afinal a casa da vovó e do biso é uma delicia, além de toda regalia. Há algum tempo havia prometido deixar o pequeno com a vovó por pelo menos uma semana, e assim fizemos.

Voltamos com um aperto no coração, com a sensação de que tínhamos abandonado nosso filho e que isso era muita crueldade. Mas passado o desespero inicial e com a cabeça no lugar, entendemos que ele, além de super bem cuidado, está curtindo a natureza, está a beira da praia e brincando o dia inteiro como toda criança gostaria. Ele passeia, vai pra areia, vai pro balancinho, assiste desenho, passeia com o biso e a bisa e no fim do dia desmaia de tão cansado que fica.


Quando postei a foto da malinha dele indo pra casa da vovó, muita gente comentou que jamais faria este tipo de coisa, que deixar o filho longe é impossível, mas eu acho que no fundo é bem saudável. Pensando de forma bastante pessimista, se acontecesse algo conosco e o Pedro não tivesse afinidade com a família, como seria ser criado pela avó de um dia pro outro? Além disso, ele tem bisavô e bisavó o que eu acho muito bacana, mas até quando eles estarão por aqui? Será que é viável que eles venham até aqui o tempo todo para conviver com o primeiro e único bisneto? Não, acho que a distancia, as férias e o convívio em família faz parte e é bastante saudável se feito de uma maneira bacana. Já dizia uma terapeuta de família que conheci bem antes do Pedro nascer. “Filhos precisam de ninho e de asas. Ninho para que se sintam seguros e asas para que possam voar e sonhar.”

No primeiro semestre de 2015 estarei de licença por conta do nascimento da Olivia e com certeza passaremos algumas semaninhas lá no sul. Eu descanso, a família curte a pequena que acaba de chegar e o Pedro brinca muito e se diverte.

Aqui algumas fotos do nosso fim de semana lá na casa do biso, será que fui tão cruel em deixa-lo no paraíso em vez de deixa-lo aqui no apartamento o dia todo? Digam aí!

A casa do biso, quase na areia!
Primeiro dia a milanesa!
Sendo paparicado pelo papai e pela Rebeca!
Curtindo a praia

 

O dia foi assim, só na diversão

 

Quando fomos embora ele tava assim, brincando feliz!

Domingo ao meio dia Pedro está de volta, estamos bastante ansiosos com a sua chegada e também curiosos com a sua reação ao nos ver no aeroporto e ao chegar em casa. Sempre que viajamos, mesmo que por um curto período de tempo, assim que o Pedro chega, vai direto pro quarto dele matar as saudades dos brinquedos.

Deixe seu comentário