A felicidade e a angústia de ser mãe

Categorias: Depoimentos Mães
Esta semana que passou, fomos bombardeados com mensagens emocionantes sobre ser mãe. Imagens e mais imagens de mães felizes com seus bebês sorridentes indo ao seu encontro de braços abertos para abraçá-las.
Impossível não pensar ou repensar a maternidade nesta época. Um dos grandes sonhos da minha vida era ser mãe, mas nunca pensei como seria de fato o maternar. Tive vagas idéias de como criar um filho, quais valores queria lhe passar e em que circunstâncias ele seria planejado e concebido.
Pedro com certeza foi um bebê muito desejado, planejamos com todo carinho a sua chegada e aguardamos muito ansiosos para conhecer aquele rostinho amassado que tanto nos encantou. A gente só aprende a ser mãe com o tempo e embora um filho seja a maior bênção de Deus, nào conseguimos viver apenas momentos felizes iguais aos que eternizamos nas fotos.
O título deste post retrata muito bem a nossa realidade, pelo menos aqui em casa. Os dias com o Pedro foram felizes, muito felizes, mas alguns foram sim muito angustiantes. Quando nasce um filho, nasce uma mãe e nasce também o medo. Medo de errar, medo de exagerar, medo de faltar, medo de morrer, medo de tudo o tempo todo.

As vezes passamos tanto tempo concentrados em acertar e fazer tudo que nos foi ensinado, que mal percebemos que o primeiro mês de vida do bebê já se foi. Assim como muitas mães, tive uma imensa dificuldade em amamentar, achei que tiraria de letra, mas foi um esforço danado para conseguir ultrapassar os primeiros 6 meses. Por algum tempo o Pedro também mamou na mamadeira e perceber os olhares de reprovação daquelas mães que jorravam leite o tempo inteiro foi desgastante, mas assim como aprendi que quando a gente é mãe não existe certo e errado, mas existem escolhas, aprendi que quando a gente vira mãe, muita gente vira palpiteira. Já dizia a pediatra do Pedro lá no início, conselho azedo a gente joga fora. Mas quando os hormônios estão a flor da pele, qualquer vírgula no lugar errado é igual a uma noite inteira de choro.
Layout da Brandili em homenagem ao dia das mães!
Diversas vezes me senti sozinha, achei que meu instinto de mãe não funcionava, achei que precisava ainda mais da minha mãe. Por muitos dias pensei que não ia conseguir, que criar um filho seria quase impossível, pelo menos aos meus olhos perfeccionistas que não permitiam erros. Mas errei, errei muito e ainda erro, mas aprendi que reconhecer o erro e tentar até acertar, é um bom caminho para a felicidade.
Sou muito feliz e realizada como mãe, dou o melhor de mim e procuro aprender a cada dia. É um caminho de aprendizado diário, com muitos erros e acertos. A cada sorriso, cada mamã (mamãe pro Pedro) faz cada noite mal dormida valer a pena, faz cada dia longe dele, ser um dia melhor quando volto pra casa. Ser mãe é a minha maior realização como mulher e sou muito feliz por isso.

Deixe seu comentário