Estabelecendo rotina para a hora do sono

Categorias: Depoimentos Mães
Plantando bananeira pra dormir!
Nunca parei pra pensar no real motivo da reclamação do pai do Pedro sobre o sono, afinal o pequeno dorme a noite toda, salve raríssimas exceções e acorda todos os dias por volta de 8h da manhã. O problema não é o quanto ele dorme, e sim quanto tempo ele leva para adormecer.
Desde bem bebezinho eu tentava fazer o Pedro dormir cedo, sempre com a mesma rotina e no mesmo horário, mas nada deu muito certo. Foram inúmeras tentativas, receitas a seguir, opiniões e tantas outras façanhas que nunca funcionaram direito com ele.
Antes dos 6 meses, quando ele ainda dormia muito, eu conseguia fazer com que ele dormisse mamando por volta das 19h e 30m ou 20h, mas a medida que o tempo foi passando a coisa foi só piorando.
Assim que voltei a trabalhar, o Pedro começou a acordar diversas vezes a noite, foi um período muito cansativo e durante um curtíssimo tempo, o Pedro dormiu comigo na cama. Quem me conhece sabe que sou completamente contra a cama compartilhada. Só pra esclarecer sou contra a minha cama compartilhada, mas como cada mãe sabe onde aperta o calo e se adapta àquilo que facilita a sua vida. Repito minha frase de sempre: na maternidade não existe certo e errado, existem escolhas.

Pedro desmamou com pouco mais de 10 meses por vontade própria e depois disso ficou praticamente impossível faze-lo dormir quietinho na minha cama. Antes dele desmamar, eu fazia ele dormir comigo e depois colocava ele no berço e assim ia até de manhã. Voltamos para o método colo, super cansativo e desgastante muitas vezes, mas que sempre funcionou de maneira satisfatória. No final do ano ele ficou doente e voltou a dormir na minha cama por um tempo, mas assim que melhorou não quis mais ficar por lá.
Eu tive uma educação muito rígida, quase militar, cheia de regras, horários e obrigações. E acabo aplicando este método para várias coisas, sempre com bem menos rigidez do que minha mãe. A coisa de regra e horário era tão séria lá em casa que mesmo quando ela virou avó, esse lado dela não amoleceu. Impressionante como ela consegue por o Pedro nos eixos em 2 ou 3 dias sem muito esforço e sem que ele se chateie.
Nas férias minha mãe acostumou o Pedro a dormir no colo, cantando e dançando, depois tirou a dança, começou a sentar com ele e depois a dormir no berço sozinho. Quando chegamos em casa e a minha mãe veio junto, a rotina se estabeleceu muito bem aqui, e quando ela foi embora continuamos seguindo o ritmo dela, que de todos os já experimentados, foi o menos cansativo e mais assertivo.
Passados mais de 20 dias que minha mãe foi embora, o Pedro continua dormindo no berço, mas agora quer companhia. Preciso ficar sentadinha do lado dele, estender minha mão e esperar ele adormecer. Essa nem sempre é uma tarefa fácil, porque muitas vezes eu chego e vou direto dar um banho nele, aproveito e tomo junto, faço um leite quentinho e coloco ele no berço, quando muito rápido, dorme depois de uma hora q está lá, mas ontem mesmo chegou a levar pouco mais de 2 horas. Acabo não comendo, não tomando água, aliás, acabo não fazendo nada e pouco consigo descansar até que ele durma.
Foram tantas tentativas de estabelecer uma rotina, tantos planos infalíveis do Cebolinha, que de verdade não sei qual alternativa ainda me resta. Sempre que posto algo sobre o sono do Pedro, algumas amigas me mandam mensagens contado das suas experiências e aproveitam pra dar dicas de como tentar resolver o meu problema (amigas queridas, mega obrigada pelo carinho e cuidado). Juro que sigo as dicas e muitas delas até já tentei, mas nada me pareceu melhor do que o momento atual, sento e espero ele dormir. Hoje concordo plenamente com o meu marido, o Pedro é complicado pra dormir, chega muitas vezes a me deixar irritada. Mas como mãe não desiste nunca, acho que vou tentar brincar ainda mais e deixa-lo mais cansado, além de tentar entretê-lo por mais tempo quando ele pedir pra ir pro berço. Vai que dá certo!
Enquanto escrevo, penso que talvez ele precise desse tempo comigo para compensar a minha ausência durante o dia, assim como tudo que já tentei, sentar na poltrona e poder pensar na vida sem ter pressa de levantar, muitas vezes faz bem, embora eu tenha sentido muita falta de ver o jornal, ouvir música, comer tranquilamente, ler um livro ou simplesmente dormir mais cedo.
Talvez você se pergunte porque o pai dele não ajuda nessa rotina diária que tem sido bastante exaustiva. O papai estuda de segunda a sexta, sai todo dia cedinho e volta perto da meia noite, e assim será até o fim do ano que vem quando termina sua faculdade. Nessas horas eu queria muito ter a família por perto pra ajudar.

1 comentário

  1. Ralf Dias disse: em 11.11.2015

    Adorei as dicas, ótimas dicas, agradeço !

Deixe seu comentário