Comidinhas na casa da vovó!

Categorias: Alimentação Introdução Alimentar
Bem, estamos há 15 dias na casa do meu avô, biso do Pedro, a família se juntou pra curtir o pequeno e aproveitar a delicia que é estar a 2 metros da areia da praia.
Sempre que venho pra cá, descubro que é impossível ir embora sem uns quilinhos a mais, é tanta coisa boa e tanta comilança que só de pensar já engordo mais um pouco.
No meu tempo de criança, tudo era diferente. A introdução alimentar era completamente outra, ou melhor, não existia uma introdução, existiam as comidinhas que toda mãe achava que era bom pro seu filho, os famosos mingaus, docinhos, entre outras besteirinhas.
O Pedro desde que ficou doente em meados de novembro, vem recusando sua papinha salgada, mas demonstra interesse pela nossa comida, quando acho que devo, ofereço algo saboroso e saudável a ele, geralmente ele come e fica bem feliz.
Agora como oferecer algo saudável se estamos na quinzena que engorda, recheados de inúmeras gostosuras preparadas especialmente para nós? Claro que o Pedro assim que vê a gente comendo com aquela vontade, vai logo mastigando e dando sinais de que também quer comer.
Eu passei a gravidez inteira e o último ano falando pra mim mesma e pra quem me perguntasse, que o Pedro teria a alimentação mais saudável possível, que não saberia o que é açúcar tão cedo e não comeria nada que não fosse preparado especialmente pra ele.
Concentração nível máximo!
Aqui vai minha confissão de mãe: neste curto período de férias o Pedro já chupou picolé, se apaixonou por panettone, comeu pão caseiro, lambeu a xícara de café com leite e parece ter gostado, esvaziou o copo com suco de maracujá do papai (suco de maracujá vai açúcar), comeu bolo da vovó, provou uma lasquinha de brigadeiro de colher e ficou doido de contente, tomou muita água da piscina, além de comer um pouco de areia, claro.
As frutas, vitaminas, leite e sucos naturais continuam fazendo parte do seu dia a dia, mas ele tem preferido muito mais as besteirinhas entre uma refeição e outra. Espero que ao voltar pra casa a rotina de alimentação volte a fazer parte do dia a dia dele, porque depois de tudo isso, aquela bolachinha maizena parece ter perdido completamente a graça.
Aprendizado de mãe: nunca falarás, meu filho não vai fazer tal coisa, porque muito provavelmente ele vai fazer e muito mais do que imaginamos.

Deixe seu comentário