Relactação e livre demanda

Categorias: Aleitamento Materno Alimentação Desabafo Mães
Minha foto favorita com o Pedro.

Amamentação é um assunto que para as futuras mamães parece muito fácil, mas na prática, a coisa é bem diferente e a realidade só pode ser vista depois que seu bebezinho nasceu, com isso você já está atrasada para aprender como fazê-lo.

Assim que engravidei meus seios começaram a crescer, e não foi pouco, rapidamente passei do 44 para o 48, com isso, todas as minhas amigas diziam que eu teria muito leite e que amamentaria meu filho facilmente, e o leite com certeza não me faltaria! O Tamanho do peito nada tem a ver com a quantidade de leite produzido.
Meu filho nasceu numa sexta feira do dia 07 de dezembro com exatas 37 semanas, para espanto de muitas mães e a revelia do meu marido, programei o parto para que ele nascesse longe do Natal e o mais próximo do início de dezembro, fato que me arrependi profundamente depois de sentir que de fato ele não estava pronto pra nascer. Pedro passou 30 horas na UTI e seu primeiro contato com a alimentação, foi uma mamadeira com fórmula, na época não me preocupei muito, mas depois me senti profundamente culpada por tudo isso.
Passados os dias na maternidade, voltamos pra casa felizes e contentes achando tudo muito fácil, mamar, dormir e trocar fraldas.
Optei por alugar uma bomba elétrica de tirar leite para poder estimular a produção, mas fiz tudo errado, tirava muito leite e amamentava meu filho na mamadeira que era muito mais fácil e prático, minha mãe foi a grande incentivadora, mas acho que no fundo tava tudo bem errado mesmo.
Fiz uma maratona de mamadas para poder recuperar o peso do Pedro, ele havia perdido muito na maternidade e precisava recuperar logo, no começo deu certo, ele mamava muito, dormia muito e engordava muito, tudo era muito nos primeiros dias.
10 dias depois de chegar em casa, comecei a sentir meus seios mais vazios e eles já não enchiam tanto como antes, comecei a ficar preocupada, ao conversar com a Pediatra ela me disse que tinha algumas alternativas a começar por um medicamento bem leve. Esta tentativa não deu certo, tive que apelar para um remédio controlado que aumenta a produção da prolactina, este de fato me ajudou bastante, mas ainda assim, metade das mamadas eram feitas na mamadeira.
Foi difícil manter a produção do leite materno com tantas mamadeiras de fórmula no meio, até que aos dois meses o Pedro foi vacinado, aí que tudo mudou. A vacina contra o Rotavírus deu uma reação enorme do menino, ele teve muita dor de estômago, ficou chatinho, choroso e dengoso por 10 dias. Neste tempo ele não aceitou mamadeira alguma, só de olhar pra ela ele berrava como eu nunca tinha visto, ele só queria saber de ficar grudadinho no meu peito, mamando. Acho que ele passou fome varias vezes quando sugava e ficava irritado ao perceber que quase não saía leite. Foram dias muito difíceis, mas foi melhorando com o passar do tempo. Meu leite aumentou consideravelmente, e as mamadeiras passaram a ficar muito mais tempo no armário.
Logo depois disso fui para Joinville, cidade onde nasci. Foi a primeira vez que minha avó viu o Pedro, e que o Pedro viajou. Foi uma semana cheia de coisas gostosas e calóricas de comer, descobri que comer muito amamentando não engorda, mas o bom mesmo não foi isso, foi descobrir que quanto mais calórica e regrada (de horários) a alimentação, melhor a produção de leite. Pedro atingiu o recorde de 8 dias sem nenhuma mamadeira, acho que ele ficou muito feliz!
Voltei pra casa e as dificuldades com o leite continuaram, a produção diminuiu e passei alguns dias tensa achando que o Pedro novamente estava passando fome. Decidi participar de um grupo de amamentação para entender melhor o que fazer, fui com uma amiga muito querida a Alena, mãe da Rafaela uma japinha pra lá de fofa. A Alena me ensinou muito a ser paciente e entender que amamentar não é pra qualquer uma! Neste encontro ouvi uma moça dizer que Tintura de Algodoeiro era bom pra aumentar a produção de leite, então lá fui eu comprar mais esta “ajudinha”. Acreditem, ele realmente ajuda! Depois da terceira dose eu sentia meu peito encher o tempo todo, chegava a vazar durante a noite.
Depois de tantos meses, continuo tomando medicamentos para poder amamenta-lo e estocar leite para quando eu estiver no trabalho. Testei reduzir as doses desses remédios e o leite quase secou de um dia pro outro, recomecei tudo denovo, passei algumas horas de desespero achando que não adiantaria mais, no fim deu certo.
Pedro tem quase 7 meses, mamou somente no peito dos dois até os seis, pesa quase 10 kilos e é um bebê, gordo, fofo, risonho, simpático e muito feliz.
Minha dúvida agora é, quando devo parar com os medicamentos? Quando devo deixar o processo natural de diminuir a produção de leite acontecer? Muitas mães diriam que já fiz a minha parte e que agora ele já está grandinho e saudável, que não precisa mais do leite materno. Concordo com esta opinião, mas vê-lo sorrindo muito feliz ao perceber que vai mamar no peito não tem preço.
Minha maior dúvida atualmente é quando realmente chega a hora de parar?
Amo amamentar meu filho, e me sinto orgulhosa por ter chegado até aqui =)

11 comentários

  1. Alena disse: em 02.07.2013

    Oi amiga, estou imensamente feliz pelo seu blog, e emocionada com seu relato. O que vc nao escreveu eh que vc foi uma guerreira na volta ao leite! E se o seu leite voltou nao foi por causa do equilid, da tinta de algodoeiro, da canjica, do suco de maracujá! O seu leite voltou por causa da sua persistência, paciência e o seu amor infinito pelo Pepeu. Estou ansiosa pelos próximos posts!! Bjks Alena e Rafa

    1. admin respondeu: em 02.07.2013

      Amiga, se estou aqui é pq vc me ajudou nesta longa caminhada!
      Vamos que vamos, temos muitos assuntos a publicar!
      Bjks

  2. Kely Vizentim disse: em 02.07.2013

    Gabi querida, fiquei muito emocionada com seu post. Concordo com a Alena, vc venceu a batalha da amamentação pela sua persistência. E se ainda continuo amamentando a Maya foi porque me inspirei em vc. Nunca vou me esquecer de sua ajuda me levando no grupo de amamentação.
    Parabéns pelo blog, com certeza vai ajudar muitas mamães com a troca de experiências. Que venham os proximos posts, vou acompanhar de pertinho. Grande beijo meu e da Maya para vc e o Pepeu!

    1. admin respondeu: em 02.07.2013

      Kely, obrigada pelo carinho!
      Acredite, foi um prazer imenso ajudar vc e a Maya, espero também poder ajudar outras mães que passarão por aqui!
      Beijos meus e do Pepeu =)

  3. michele gaspar disse: em 09.07.2013

    Lindo depoimento ,realmente é um momento magico e único , é claro que ninguém nos fala das dificuldades mas tudo isso é questão e tempo e adaptação … Amamentei a Julia até os 7 meses , porém depois disso com os horários irregulares do meu trabalho ela ficou sem paciência já que na mamadeira é bem mais fácil 🙁

  4. A reforma... disse: em 04.05.2015

    Olá Gaby estou passando por esta dificuldades de amamentar minha filha tem 20 dias e a quase 8 está tomando mamadeira de
    Complemento pq meu Leite diminuiu muito! Hj comprei a tintura e vou começar a tomar se puder me dizer como vc tomava fico imensamente grata ! Bjs

    1. admin respondeu: em 05.05.2015

      Olá boa noite!
      quanto mais mamadeira sua filha tomar, menos leite ela vai mamar no peito e menos leite vc vai produzir. Alguns conselhos caseiros: Faço tudo isso aqui em grandes quantidades… durma, coma, beba água, 30 gotas de tintura de algodoeiro. Sugiro procurar um grupo de apoio ao aleitamento materno porque infelizmente os pediatras pouco nos ajudam nesta parte. Caso não se sinta segura poderia fazer como eu fiz por um tempo, dava um pouquinho de mamadeira e depois colocava no peito, o PEdro sugava bastante e depois ficava sugando pra se acalmar, este não é o método indicado mas foi o que funcionou aqui. Compre ou alugue uma bomba de extrair leite, eletrica tá? e vá estimulando, se conseguir tirar algo armazene e de na mamadeira. Se vc estiver em SP tenho alguns grupos pra te indicar. Força e se precisar estou por aqui!

  5. Nathaly disse: em 15.02.2017

    Cara blogueira, parabéns pela sua persistência
    Você disse que ama amamentar, então por que tantas dúvidas sobre parar?
    A OMS indica amamentar ate os 2 anos de idade, pois o mamá no peito fortalece o sistema imunológico dos nossos bebês.
    Meu palpite: pare quando quiser. Só você e seu bebê vão saber o momento certo de parar.

    1. Gabriela Gama respondeu: em 15.02.2017

      A dúvida era sobre quando parar sim, porque eu acredito que a receita pronta de 2 anos todas nós conhecemos, mas nem toda mãe consegue se manter sã por tanto tempo amamentando em livre demanda. Meu filho desmamou naturalmente aos 9 meses. Este post foi escrito quando ele tinha 7 meses de vida. Mãe de primeira viagem que conhece as regras e recomendações mas tbm entende que a regra não funciona com todos e isso precisa ser respeitado e apoiado 🙂

Deixe seu comentário